domingo, 12 de outubro de 2014

A borboleta e a lagarta; Eixo reflexivo: Educação. Rubem Alves


via Byline

CDF-Brasil( Central de Divulgação da Filosofia e suas Associações no Brasil), Assessoria e Treinamentos. Educação. Eixo reflexivo de uma frase de Rubem Alves pelo filósofo Ednilson...
Views: 0
0 ratings
Time: 12:49 More in Education




O cego e o escritor.



Havia um cego que pedia esmola numa esquina da cidade.

Todos os dias, um escritor passava por ele, sempre de manhã e à noite.

Em todas as ocasiões, deixava alguns trocados no chapéu.

O cego segurava um cartaz com a seguinte frase:

"Cego de nascimento. Uma esmola, por favor."

Um dia, o escritor teve uma ideia: virou o cartaz do cego ao contrário e escreveu outra frase.

À noite, perguntou ao cego como tinha sido o seu dia.

O cego, muito contente, respondeu:

-"Até parece mentira, mas hoje foi extraordinário! Todos que passavam por mim deixavam alguma coisa. Afinal, o que é que você escreveu no letreiro?"

O escritor tinha escrito uma frase breve, mas que mexia com todos os que passavam.

A frase era:

-"Em breve chegará a primavera e eu não poderei vê-la."

A maioria das vezes não importa o que você diz, mas como você diz.

Por isso, tome cuidado ao falar com as pessoas.

Fale com o coração. Toque a alma e a sensibilidade das pessoas com suas palavras.

Certamente, você será mais bem compreendido.




quinta-feira, 9 de outubro de 2014

APRENDA A CHAMAR A POLÍCIA (LUIZ FERNANDO VERÍSSIMO)


Eu tenho o sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia alguém andando sorrateiramente no quintal de casa.

Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá de fora, até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro.
Como minha casa era muito segura, com grades nas janelas e trancas internas nas portas, não fiquei muito preocupado.
Mas era claro que eu não ia deixar um ladrão ali,espiando tranqüilamente.
Liguei baixinho para a polícia, informei a situação e o meu endereço. Perguntaram- me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da casa.
Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse possível.
Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma: - Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal.
Não precisa mais ter pressa. Eu já matei o ladrão com um tiro da escopeta calibre 12, que tenho guardada em casa para estas situações.
O tiro fez um estrago danado no cara!
Passados menos de três minutos, estavam na rua 5 carros da polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV e a turma dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo.
Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de assombrado.
Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do Comandante da Polícia.
No meio do tumulto, um tenente se aproximou de mim e disse: - Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão.
Eu respondi: - Pensei que tivesse dito que não havia nenhuma viatura disponível. (Luiz Fernando Veríssimo)




terça-feira, 7 de outubro de 2014

O Pai E O Filho Na Montanha


De repente, o menino cai, se machuca e grita: 
- Ai!!!
Para sua surpresa, escuta sua voz se repetindo em algum lugar da montanha: 
- Ai!!!
Curioso o menino pergunta: 
- Quem é você?
E recebe como resposta: 
- Quem é você?
Contrariado grita: 
- Seu covarde!
E escuta como resposta: 
- Seu covarde!
O menino olha para o pai e pergunta, aflito: - O que é isso?
O pai sorri e fala: - Meu filho, preste atenção,
Então o pai grita em direção à montanha: 
- Eu admiro você!
A voz responde: - Eu admiro você!
De novo, o homem grita: - Você é um campeão!
A voz responde: - Você é um campeão!
O menino fica espantado. Não entende.
E o seu pai explica:
- As pessoas chamam isso de ECO, mas, na verdade, isso é a VIDA.
A VIDA lhe dá de volta tudo o que você DIZ, tudo o que você
DESEJA DE BEM E MAL AOS OUTROS. A VIDA lhe devolverá
toda BLASFÊMIA, INVEJA, INCOMPREENSÃO, FALTA DE
HONESTIDADE que você desejou, praguejou às pessoas que lhe
cercam.
NOSSA VIDA é simplesmente o REFLEXO das nossas ações.
Se você quer mais AMOR, COMPREENSÃO, SUCESSO,
HARMONIA, FIDELIDADE crie mais AMOR, COMPREENSÃO, HARMONIA, no seu coração.
Se agir assim, A VIDA lhe dará FELICIDADE, SUCESSO, AMOR das pessoas que lhe cercam.





quinta-feira, 2 de outubro de 2014

A ÁGUIA QUE VIROU GALINHA


                   Era uma vez um camponês que foi a floresta vizinha apanhar mais uma galinha para seu galinheiro. Mas chegou  tarde de mais e só conseguiu pegar um filhote de águia. Coloco- a no galinheiro junto com as galinhas. Embora a águia fosse dona do céu e dos horizontes, aprendeu a ciscar como galinha, comendo milho e ração que o camponês dava igualmente a todas Depois de cinco anos, este homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:

 - Esse pássaro aí não é galinha. É uma águia.
            - De fato – disse o camponês. É águia. Mas eu criei como galinha.

Ela deixou de ser uma águia. Transformou-se em galinha como todas outras, apesar das asas de quase três metros de extensão.
 - Não – retrucou o naturalista. Ela é e será sempre uma águia. Pois tem um coração de águia. Este coração a fará um dia voar ás alturas. - Não, não – insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.  Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse: - já que você de fato é uma águia,  já que você pertence ao céu e não a terra, então abra suas asas e voe! A águia pousou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.
O camponês comentou:
-  Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!
-   Não – tornou a insistir o naturalista. Ela é uma águia.
E uma águia será sempre uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã. 
                 
No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa. Sussurrou-lhe:
-  Águia, já que você é uma águia, abra as suas asas e voe!
Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas.
O camponês sorriu e voltou à carga:
- Eu lhe havia dito, ela virou galinha!
- Não – respondeu firmemente o naturalista. Ela é águia, possuirá sempre um coração  de águia. Vamos experimentar ainda uma ultima vez. Amanhã a farei voar.
No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha. O sol nascente dourava os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:
- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe!
A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte.
Nesse momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergue-se, soberana, sobre se mesma. E começou a voar, a voar para o alto, a voar cada vez mais para o alto. Voou... voou... até confundir-se com o azul do firmamento.
Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus!  Mas houve pessoas que nos fizeram pensar como galinhas. E muitos ainda acham que somos efetivamente galinhas. Mas nós somos águias. Por isso, abramos as asas e voemos . Voemos como as águias. Buscando sempre novas coisas, novos horizontes. Jamais nos contentemos com os grãos que nos jogarem aos pés para ciscar.




O sábio e o rei!


Há muitos séculos, um rei se sentiu intrigado com algumas questões. Desejando ter respostas para elas, criou um concurso.

Todas as pessoas do reino poderiam participar. Seria premiado com ouro e pedras preciosas quem conseguisse responder a três perguntas:

- Qual é o lugar mais importante do mundo?

- Qual é a tarefa mais importante do mundo?

- Quem é a pessoa mais importante do mundo?

Milhares de pessoas apareceram, mas ninguém deu uma resposta que satisfizesse o rei.

Em todo o território, um único homem, um velho sábio não se apresentou para tentar responder os questionamentos.

O rei convocou esse homem para vir à sua presença e tentar responder suas indagações.

Seus guardas o trouxeram.
E o velho sábio respondeu a todas:

- O lugar mais importante do mundo é aquele onde você está. O lugar onde você mora, vive, cresce e trabalha.

- A tarefa mais importante do mundo não é aquela que você gosta de fazer, mas aquela que você deve fazer. Por isso, pode ser que o seu trabalho não seja o mais agradável e bem remunerado do mundo, mas é aquele que lhe permite o próprio sustento e da sua família.

- A pessoa mais importante do mundo é aquela que está do seu lado agora, que precisa de você, porque é ela que lhe possibilita a mais bela das virtudes: a caridade.

O rei deu-se por satisfeito.

O sábio recusou o ouro...




terça-feira, 30 de setembro de 2014

O Vendedor De Balões


Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse. 
Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões. 
Havia ali perto um menino negro. 
Estava observando o vendedor e, é claro apreciando os balões. 
Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco. 
Todos foram subindo até sumirem de vista. 
O menino, de olhar atento, seguia a cada um. 
Ficava imaginando mil coisas... 
Uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto. 
Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou: 
- Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros? 
O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse: 
- Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.

Autor desconheço