abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O PAPEL BRANCO

Um sábio, depois, de dedicar toda a sua vida à compreensão do homem, chegou à velhice sem ter certeza de haver entendido a alma humana. E quanto mais pensava, menos compreendia. Desesperado mediu ajuda divina.
Os céus, então, enviaram uma folha de papel em branco para que o sábio mostrasse a várias pessoas. E lá foi ele mundo afora, perguntando para toda a gente o que via naquela folha de papel.
Uns diziam ver o céu, outros a guerra, outros ainda o mar. Assim, o papel branco sempre mostrava diferentes imagens para diferentes pessoas. E o sábio começou a perceber que não se pode compreender a todos como se fossem iguais. Porque cada um é um, diferente, especial. Com sua maneira única, diferente e especial de ver o mundo. Aceitar essas diferenças é o primeiro passo para a compreensão do homem.

Moral da história:
Aceite os outros como eles são.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

PIPOCAS DA VIDA....

Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre.
Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.
São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor!
Pode ser o fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre. Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo! Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também. Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer. Dentro de sua casca dura, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: Bum! E ela aparece completamente diferente, algo que nunca havia sonhado. Bom, mas ainda temos a piruá, que é a pipoca que não estoura. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir algo mais maravilhoso do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a casca dura do milho, que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras à vida inteira!! Deus é o fogo que amacia nosso coração, tirando o que nele há de melhor! Acredite! Para extrairmos o melhor de dentro de nós, temos que, assim como a pipoca, passar pelas provas de Deus. Talvez hoje você não entenda o motivo de passar por alguma provação...
Mas tenha certeza, que quanto mais quente o fogo, mas rápido a pipoca estoura.


Autor Desconhecido

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Texto anti-depressivo

Quando você se observar, à beira do desânimo, acelere o passo para
frente, proibindo-se parar.

Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.

Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.

Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança
construtiva de idéias.

Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima
espiritual.

Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e
instruções que lhe enobreçam os pensamentos.

Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.

Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam
dificuldades maiores que as suas.

Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam
qualquer demora nas nuvens do desalento.

Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante,
através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a
vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não
se acomoda com a inércia em momento algum.

* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Busca e Acharás.
Ditado pelo Espírito André Luiz.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

O PROBLEMA DE UM... PODE SER DE TODOS.

Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali.

Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado. Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:

"- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa! "

A galinha, disse:

"- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda."

O rato foi até o porco e lhe disse:

"- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira!"

"- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar.

Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces."

O rato dirigiu-se então à vaca. Ela lhe disse:

"- O que Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!"

Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro.

Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego.

No escuro,ela não viu que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher...

O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.

Sabemos que para alimentar alguém debilitada, nada melhor que uma canja de galinha, para fortalecer.

O fazendeiro foi até o galinheiro pegou o ingrediente principal e mandou que fizesse uma boa canja para sua amada.

A doença da mulher continuava, cada dia mais grave e os amigos e vizinhos apareciam para visitá-la.

Para alimentá- los o fazendeiro mandou matar o porco.

A mulher não melhorou e acabou morrendo.

Muita gente veio para o funeral.

O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.

MORAL DA HISTÓRIA:

Não vivemos sozinhos. Quando alguém estiver em apuros, numa diga ou pense que o problema não é seu ou que não lhe diz respeito. Numa sociedade o problema sempre é de todos.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Raiva cega

Um belo dia de sol, Sr. Mário, um velho caminhoneiro
chega em casa todo orgulhoso e chama a sua esposa
para ver o lindo caminhão que comprara
depois de longos e árduos 20 anos de trabalho.
Era o primeiro que conseguia comprar
depois de tantos anos de sufoco e estrada.
A partir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão.
Ao chegar à porta de casa,
encontra seu filhinho de seis anos,
martelando alegremente a lataria do reluzente caminhão.
Irado e aos berros pergunta o que o filho estava fazendo e,
sem hesitar, completamente fora de si,
martela impiedosamente as mãos do garoto,
que se põe a chorar desesperadamente sem entender o que estava acontecendo.
A mulher do caminhoneiro corre em socorro do filho,
mas pouco pôde fazer.
Chorando junto ao filho,
consegue trazer o marido à realidade,
e juntos levam o garoto ao hospital para cuidar dos ferimentos provocados.
Passadas várias horas de cirurgia,
o médico desconsolado e bastante abatido,
chama os pais e informa que as dilacerações foram de tão grande extensão,
que todos os dedos da criança tiveram que ser amputados.
Porém, o menino era forte e resistia bem ao ato cirúrgico, devendo os pais aguardá-lo no quarto.
Ao acordar, o menino ainda sonolento
esboçou um sorriso e disse ao pai:
-Papai, me desculpe. Eu só queria consertar seu caminhão, como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.
O pai, enternecido e profundamente arrependido,
deu um forte abraço no filho e disse que aquilo não tinha mais importância.
Não estava bravo e sim arrependido de ter sido tão duro com ele
e que a lataria do caminhão não tinha estragado.
Então o garoto com os olhos radiantes perguntou:
- Quer dizer que não está mais bravo comigo?
- É claro que não! – respondeu o pai.
Ao que o menino pergunta:
- Se estou perdoado papai, quando meus dedinhos vão nascer de novo?

Nos momentos de raiva cega, machucamos as pessoas que mais amamos,
e muitas vezes não podemos “sarar” a ferida que deixamos.
Nos momentos de raiva, tente parar e pensar em suas atitudes,
a fim de evitar que os danos seja irreversíveis.
Não há nada pior que o arrependimento e a culpa.
Pense nisto!

domingo, 26 de dezembro de 2010

Soldados - Amizade

Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles, podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.
A sua cama estava junto da única janela do quarto. O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas. Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres e famílias, das suas casas, dos seus empregos, onde tinham passado as férias... E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava, ele passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto, todas as coisas que ele conseguia ver do lado de fora da janela.
O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a atividade e cor do mundo do lado de fora da janela. A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem, e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vista no horizonte.
Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava a pitoresca cena.
Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia a passar. Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, ele conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a refratava através de palavras bastante descritivas. Dias e semanas passaram.
Uma manhã, a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida do homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia. Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.
Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca. Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.
Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela... que dava, afinal, para uma parede de tijolo!
O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto, lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.
A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. "Talvez ele quisesse apenas dar-lhe coragem...".
Moral da História: Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas. A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.
Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.
"O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que lhe chamam presente."

sábado, 25 de dezembro de 2010

Azar ou Sorte?!

Na China havia um garoto pobre que desejava muito um cavalo. Um dia o dono de uma cavalaria, sabendo do seu desejo, deu a ele um potrinho.
Um vizinho, tomando conhecimento do ocorrido, disse ao pai do garoto: “Seu filho é de sorte” “Por que?”, perguntou o pai. “Ora”, disse ele, “seu filho queria um cavalo e ele ganha um potrinho. Não é sorte?” “Pode ser sorte ou pode ser azar!”, comentou o pai.

Um dia o cavalo foge. O vizinho, chegando ao pai do garoto falou: “Seu filho é de azar” “Por que?”, perguntou o pai. “Ora”, disse ele, “seu filho queria um cavalo e ele ganha um potrinho. Agora o animal que tanto ele gostava fugiu. Não é azar?” “Pode ser sorte ou pode ser azar!”, comentou o pai.

O tempo passa e um dia o cavalo volta com uma manada selvagem. O menino, agora um rapaz, consegue cercá-los e fica com todos eles. Observa o vizinho: “Seu filho é de sorte! Ganha um potrinho, cria, ele foge e volta com um bando de cavalos selvagens.” “Pode ser sorte ou pode ser azar”, respondeu novamente o pai.
Mais tarde, o rapaz estava treinado um dos cavalos, quando cai e
quebra a perna. Vem o vizinho. “Seu filho é de azar! O cavalo foge, volta com uma manada selvagem, o garoto vai treinar um deles e quebra a perna.” “Pode ser sorte ou azar” insiste o pai.
Dias depois, o reino onde moravam declara guerra ao reino vizinho. Todos os jovens são convocados, menos o rapaz que estava com a perna quebrada. O vizinho. “Seu filho é de sorte...”
Assim é na vida, tudo que acontece pode ser sorte ou azar. Depende do que vem depois. O que parece ser azar num momento, pode ser sorte no futuro.

Lair Ribeiro

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Oração de agradecimento

Agradecimento
Senhor, por muitos nomes te chamamos Pai, irmão, amigo... De muitas maneira estás conosco em nossas vidas...Cada dia de nossas vidas foi prefixado desde antes que um só deles existisse.Cada uma de nossas ações teus olhos viram, e todas elas foram escritas em teu livro.Foste orientação, inspiração, força e estímulos na descoberta de nossa vocação.Foste o incentivador em nossas dificuldades de estudo e aprendizado.Andaste sempre conosco e, muitas vezes, nos levaste nos braços. Por isso, Senhor, suplicamos:Santifica nossos corações, purifica nossa mãos, para que tudo o que venhamos a executar seja consolidado segundo a tua vontade.Hoje ,chegando ao fim dessa etapa de nossa caminhada, queremos te agradecer, pois sabemos que não estaríamos aqui se não tivesses caminhado conosco.
Obrigada Senhor

Oração de agradecimento

Agradecimento
Senhor, por muitos nomes te chamamos Pai, irmão, amigo... De muitas maneira estás conosco em nossas vidas...Cada dia de nossas vidas foi prefixado desde antes que um só deles existisse.Cada uma de nossas ações teus olhos viram, e todas elas foram escritas em teu livro.Foste orientação, inspiração, força e estímulos na descoberta de nossa vocação.Foste o incentivador em nossas dificuldades de estudo e aprendizado.Andaste sempre conosco e, muitas vezes, nos levaste nos braços. Por isso, Senhor, suplicamos:Santifica nossos corações, purifica nossa mãos, para que tudo o que venhamos a executar seja consolidado segundo a tua vontade.Hoje ,chegando ao fim dessa etapa de nossa caminhada, queremos te agradecer, pois sabemos que não estaríamos aqui se não tivesses caminhado conosco.
Obrigada Senhor

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

As 7 verdades do bambu

Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:
Vovô corre aqui! Me explica como essa figueira, árvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para balançar seu tronco se quebrou, caiu com o vento e com a chuva... este bambu é tão fraco e continua de pé?
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.
A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.
Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.
A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.
A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldade

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A loja do Senhor

Um dia entrei numa loja e vi um anjo atrás do balcão.

Maravilhado com aquela visão divina perguntei-lhe:
- Anjo do Senhor! O que vendes?

E ele respondeu-me:
- Todos os dons de Deus!

Custam caro? - perguntei-lhe
- Não! É tudo de graça, é só escolher. - respondeu o
anjo.

Então contemplei a loja e vi pacotes de esperança,
vidros de fé, caixinhas de salvação, potes de sabedoria,
e tantas outras coisas.

Tomei coragem e pedi:
- Por favor ! Embrulhe um vidro de fé, muito amor de Deus,
todo perdão Dele, bastante felicidade, e salvação eterna para mim e toda
a minha família.

O anjo do Senhor anotou o pedido, separou os itens, e
condicionou tudo num pequeno embrulho que cabia na palma da mão.

Surpreso perguntei-lhe:
- Como é possível caber tudo que lhe pedi, aqui nesse
pequeno pacotinho?

O anjo respondeu-me sorrindo:
- Querido amigo, na loja de Deus não vendemos frutos,
apenas sementes.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Amizade

Amigos verdadeiros, são para sempre porque...
não importa a distância,
no coração estarão sempre perto.
não importam as diferenças,
no coração sempre terão um ponto de acordo.
não importam as brigas,
no coração sempre haverá lugar para o perdão.
não importam circunstâncias,
sempre haverá um ombro para recostar,
mãos para ajudar,
olhos para enxergar e chorar de alegria e dor,
bocas para expressar as verdades e sorrir.
Amigos, verdadeiros são para sempre, porque
quando dois corações se unem, formando um só,
DEUS se manifesta ali, através do amor
e o amor é mais forte que a morte,
é benigno, paciente, tudo sofre, crê, supera.
não se ufana, nem se ensoberbece, apenas ...ama.
certamente, permanece.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

O sábio e o pescador

O Sábio precisava de um pescador que o leva-se a outra cidade, e nisso conversando com pescador, como vai a sua vida seu hulmide pescador - vai bem respondeu - sábio começa a perguntar sabes alguma coisa sobre matemática pescador, - não sei nada meu bom senhor,-então você perdeu metade da sua vida,sabes alguma coisa de história,artes visuais e cênicas,- não meu bom senhor,-então vc perdeu metade da sua vida,sabes alguma coisa de filosofia,quimica ou biologia...- não meu bom senhor,-então vc perdeu metade da sua vida. Derepente o pescador olha para o ceu e ver formado-se umas nuvens no cêu e venhe uma onda imensa em cima do barco e que acabou ocasionando a virada do barco... e humildemente o pescador pergunta ao sábio sabes nadar meu bom senhor e o sábio responde não então vc acaba de perder toda a sua vida..moral da história ninguém sabe tudo senhores e senhoras não é preciso sabe tudo e sim ter o conhecimento que é preciso na hora certa.

O sábio e o pescador

O Sábio precisava de um pescador que o leva-se a outra cidade, e nisso conversando com pescador, como vai a sua vida seu hulmide pescador - vai bem respondeu - sábio começa a perguntar sabes alguma coisa sobre matemática pescador, - não sei nada meu bom senhor,-então você perdeu metade da sua vida,sabes alguma coisa de história,artes visuais e cênicas,- não meu bom senhor,-então vc perdeu metade da sua vida,sabes alguma coisa de filosofia,quimica ou biologia...- não meu bom senhor,-então vc perdeu metade da sua vida. Derepente o pescador olha para o ceu e ver formado-se umas nuvens no cêu e venhe uma onda imensa em cima do barco e que acabou ocasionando a virada do barco... e humildemente o pescador pergunta ao sábio sabes nadar meu bom senhor e o sábio responde não então vc acaba de perder toda a sua vida..moral da história ninguém sabe tudo senhores e senhoras não é preciso sabe tudo e sim ter o conhecimento que é preciso na hora certa.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Então é natal

"Então é natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Então é natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Então é natal, e o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E entao é natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.
Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez."

sábado, 18 de dezembro de 2010

Exemplo de superação

Carol sofreu um acidente de carro na Fernão Dias e nele, perdeu o pai e a capacidade de andar. Mas a limitação não a impediu de realizar seus sonhos. Conheça também a história do homem que teve o rosto completamente queimado na infância por uma mistura de gasolina e cera, mas venceu o medo e a insegurança e hoje é um dos palestrantes mais requisitados do país. E a vitória de um atleta que surpreendeu os médicos voltando a competir, após uma grande cirurgia no coração.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Executivo que ficou paraplégico conta sua história de superação para Gabi

    No De Frente Com Gabi do dia 31 de outubro, Marília Gabriela recebeu o empresário Thomaz Magalhães, um homem que se reiventou depois de se tornar paraplégico.
    O convidado tinha 37 anos e era um bem sucedido executivo, apaixonado por hipismo. Treinando para uma competição, levou um tombo e nunca mais conseguiu andar. Hoje ele é campeão de esqui aquático para deficientes, mudou totalmente sua vida profissional e se declara um homem feliz e realizado.
     Casado, pai de dois filhos, Thomaz foi ao programa contar sua história e também para apoiar a campanha do Teleton 2010. A maratona de solidariedade arrecada fundos para a AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente).

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

"Nem sempre será fácil" - História de vida de uma Francesa

   Com o título original  francês "Ce será pás touyours facile" do diretor Jean-Thomas Bédard. O filme é de 1996, tem duração de aproximadamente 27 minutos e conta a história de uma jovem garota chamada França, de dezoito anos de idade. Vítima de sua própria temeridade, França, tornou-se tetraplégica depois de mergulhar em um lago raso. Este filme narra a tragédia chocante desta menina corajosa, jovem, espontânea e divertida, que apesar de sua deficiência, está determinada a superar os obstáculos e se adaptar à sua nova vida. Através das rotinas diárias de fisioterapias, psicoterapias e estudos, França mostrou a sua árdua luta para encontrar a paz e autonomia e revela seus sonhos e projetos. Um modelo de coragem, perseverança e esperança! Este filme foi feito a partir de trechos do filme "A Travessia da noite. 
    No You Tube ele foi dividido em três partes, postei todas elas aqui. Este filme é uma lição de vida pra todos.






quarta-feira, 15 de dezembro de 2010