abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

NUNCA ESTAMOS SOZINHOS

Uma menina de oito anos, filha de uma casal ateu, teve uma educação diferente. Nunca foi a uma missa ou qualquer culto, não conheceu nenhuma religião ou fé. Mal sabia a diferença de uma doutrina e outra. Seus pais tinham um relacionamento complicado e conturbado, cheio de conflitos e discussões. Um dia, em uma das inúmeras brigas do casal, o pai deu um tiro na mãe da menina e, atordoado por ter tomado uma atitude que matou a mulher, o homem pegou o mesmo revólver e se matou. Perante toda essa cena triste e traumática, estava a menina de oito anos parada na sala olhando os pais mortos no chão. A menina acabou indo para uma casa de adoção de crianças órfãs. Depois de algum tempo, ela foi adotada e passou a ter uma família mais equilibrada e bem colocada socialmente. Sua mãe adotiva, preocupada com os conhecimentos religiosos, levou a menina a catequese. No primeiro dia de aula, a mãe acompanhou a menina, chamou a professora na porta da sala e falou baixinho para que a menina não ouvisse: “Professora, por favor, eu gostaria de lhe pedir para que tivesse bastante paciência com a minha filha, ela nunca ouviu falar de DEUS e mal conheceu JESUS CRISTO, ela foi criada por ateus e desconhece qualquer religião”. Mais que depressa, a professora se dispôs a ajudar a mãe, e a deixou tranqüila. Depois de apresentar a nova aluna a classe, a professora começou sua aula. Pegou um quadro de JESUS CRISTO, mostrou para toda a turma e perguntou: :-Alguém sabe me dizer quem é esse que está na foto? A menina até então estava meio acanhada perante a classe, nesse momento se exaltou, levantou-se e repetiu animadamente: :-Eu sei! Eu sei! Eu sei! A professora sem entender ao certo o que se passava, olhou para a menina e lembrou da orientação que sua mãe lha tinha dado. Mesmo assim deixou que ela respondesse. :-Você sabe? Pois então fale: Quem é este que está na foto? :-Esse é o homem que segurava a minha mão na hora em que meus mais morreram!