abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PARA LER, PENSAR E AGIR

Meu cunhado abriu a última gaveta da cômoda e retirou um pacote embrulhado com papel de seda. Isto, ele disse , não é uma combinação, isto é um lingerie. Ele desembrulhou e me entregou a peça. Era linda, de seda, feita a mão e bordada de rendas. A etiqueta de preço com um desenho enorme ainda estava fixada na peça. “Mara, comprou-a na primeira vez que estivemos em Nova York, há uns 8 ou 9 anos atrás. Ela estava guardando para uma ocasião especial. Bem acho que agora é a ocasião”. Ele pegou as peças das minhas mãos e colocou na junto com as outras roupas que separamos para levar á funerária. Ele acariciou a peça por um momento, bateu a gaveta, virou-se para mim e disse: “Nunca guarde nada para uma ocasião especial. Todo dia é uma ocasião especial”. Fiquei relembrando aquelas palavras durante o funeral e os dias que o seguiram, quando os ajudei, ele e minha sobrinha a superar a tristeza que segue uma morte inesperada. Fiquei pensando neles durante o vôo de volta a Califórnia. Pensei no que minha irmã não pode ver, ouvir ou fazer, pensei nas coisas que ela fez sem perceber, como elas foram especiais. Ainda continuo pensando nas palavras dele, elas mudaram minha vida. Estou lendo mais, e espanando menos. Fico sentada na cadeira admirando a vista do jardim sem a “neura” de ficar arrancando as ervas daninhas. Estou gastando mais tempo junto com a minha família e amigos e menos em reuniões, em comitês, etc. Sempre que possível, a vida deveria ser uma experiência a ser saboreada, e não uma prova. Estou tentando reconhecer nossas porcelanas chinesas e os cristais para usar em todos os eventos, visto o meu blazer preferido para ir ao supermercado, gasto R$ 29,0 em um pequeno pote de guloseima, sem pestanejar. Não estou guardando o meu melhor perfume para festas especiais, pois os caixas de supermercado, nas lojas, em bancos tem narizes que funcionam tão bem quando dos meus amigos na festa. “Algum dia” e “um dia desses” estão perdendo a importância no meu vocabulário. Se é útil ver, ouvir e fazer, quero ver, ouvir e fazer agora. Não sei o que minha irmã teria feito se soubesse que não estaria aqui para o amanhã, a que todos nós permitidos. Acho que ela teria ligado para todos da família e alguns amigos íntimos. Poderia ter ligado para amigos antigos, para se desculpar e reparar brigas do passado sem importância. Penso que ela teria ido jantar em um restaurante chinês, sua comida favorita, estou supondo...nunca saberei...são pequenas coisas deixadas sem fazer que me deixaram brava, se soubesse que meu tempo seria limitado. Brava por ter algum dia cancelado encontros com amigos. Brava por não ter escrito cartas que pretendia ter escrito. Brava e arrependida por não ter dito mais freqüentemente um leve “dane-se” pra tanta picuinha da vida, ou por não ter dito ao meu marido e a minha filha o quanto eu realmente os amo. Estou tentando muito não adiar, impedir, ou aguardar alguma coisa que proporcione alegra e brilho as nossas vidas. E toda manhã quando abro meus olhos, digo a mim mesma que isto é especial. Todo dia, todo minuto, todo suspiro é realmente...um presente de DEUS!