abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A Cidade Dos Resmungos


Era Uma Vez Um Lugar Chamado Cidade Dos Resmungos, Onde Todos Resmungavam, Resmungavam, Resmungavam.
No Verão, Resmungavam Que Estava Muito Quente. No Inverno, Que Estava Muito Frio. Quando Chovia, As Crianças Choramingavam Porque Não Podiam Sair.
Quando Fazia Sol, Reclamavam Que Não Tinham O Que Fazer. Os Vizinhos Queixavam-Se Uns Dos Outros, Os Pais Queixavam-Se Dos Filhos, Os Irmãos Das Irmãs.
Todos Tinham Um Problema, E Todos Reclamavam Que Alguém Deveria Fazer Alguma Coisa.
Um Dia Chegou À Cidade Um Mascate Carregando Um Enorme Cesto Às Costas. Ao Perceber Toda Aquela Inquietação E Choradeira, Pôs O Cesto No Chão E Gritou:
-Ó Cidadãos Deste Belo Lugar! Os Campos Estão Abarrotados De Trigo, Os Pomares Carregados De Frutas.
As Cordilheiras São Cobertas De Florestas Espessas, E Os Vales Banhados Por Rios Profundos. Jamais Vi Um Lugar Abençoado Por Tantas Conveniências E Tamanha Abundância.
Por Que Tanta Insatisfação? Aproximem-Se, E Eu Lhes Mostrarei O Caminho Da Felicidade.
Ora, A Camisa Do Mascate Estava Rasgada E Puída. Havia Remendos Nas Calças E Buracos Nos Sapatos. As Pessoas Riram Ao Pensar Que Alguém Como Ele Pudesse Mostrar-Lhes Como Ser Feliz.
Mas Enquanto Riam, Ele Puxou Uma Corda Comprida Do Cesto E A Esticou Entre Dois Postes Na Praça Da Cidade.
Então, Segurando O Cesto Diante De Si, Gritou:
- Povo Desta Cidade! Aqueles Que Estiverem Insatisfeitos Escrevam Seus Problemas Num Pedaço De Papel E Ponham Dentro Deste Cesto. Trocarei Seus Problemas Por Felicidade!
A Multidão Se Aglomerou Ao Seu Redor. Ninguém Hesitou Diante Da Chance De Se Livrar Dos Problemas. Todo Homem, Mulher E Criança Da Vila Rabiscou Sua Queixa Num Pedaço De Papel E Jogou No Cesto.
Eles Observaram O Mascate Pegar Cada Problema E Pendurá- Lo Na Corda. Quando Ele Terminou, Havia Problemas Tremulando Em Cada Polegada Da Corda, De Um Extremo A Outro.
Então Ele Disse:
- Agora Cada Um De Vocês Deve Retirar Desta Linha Mágica O Menor Problema Que Puder Encontrar.
Todos Correram Para Examinar Os Problemas. Procuraram, Manusearam Os Pedaços De Papel E Ponderaram, Cada Qual Tentando Escolher O Menor Problema. Depois De Algum Tempo A Corda Estava Vazia.
Eis Que Cada Um Segurava O Mesmíssimo Problema Que Havia Colocado No Cesto. Cada Pessoa Havia Escolhido O Seu Próprio Problema, Julgando Ser Ele O Menor Na Corda.
Daí Por Diante, O Povo Daquela Cidade Deixou De Resmungar O Tempo Todo.
E Sempre Que Alguém Sentia O Desejo De Resmungar Ou Reclamar, Pensava No Mascate E Na Sua Corda.

Autor desconhecido