abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Apenas O Salário


Certa Manhã, Quando Atravessava Um Campo, Notou Que Uma Porção De Abelhas Voava Ao Redor De Um Grande Tronco.
Seguiu Naquela Direção E Notou Que Era Uma Colméia.
Nisto, Aproximou-Se Um Homem Que Começou A Recolher O Mel.
Era Tão Grande A Sua Habilidade Que O Apicultor Não Hesitou Em Contratá-Lo Para Dirigir A Sua Indústria.
O Novo Operário Não Poupou Esforços E A Produção Aumentou Sensivelmente.
Quando Teve De Empreender Sua Viagem, O Apicultor Chamou-O Para Orientá-Lo: O Produto Deveria Ser Vendido Semanalmente E O Resultado Teria De Ser Depositado No Banco Até A Sua Volta, Que Deveria Acontecer No Espaço De Dois Ou Três Meses Aproximadamente.
Apesar Da Ausência Do Patrão, A Indústria Crescia A Olhos Vistos E A Sua Conta Bancária Também.
Em Face De Tão Imediato Crescimento, O Operário Administrador Começou A Sentir-Se Insatisfeito, Achando Que Recebia Muito Pouco Para Estar Transformando O Patrão Num Homem Afortunado...
Tanto Moeu E Tanto Ruminou Essa Idéia, Até Que Um Dia Tomou A Infeliz Decisão: Guardaria Parte Do Mel Em Latões, Num Dos Depósitos Vazios, E Quando Aparecesse Algum Comprador Ambulante Ele O Venderia, Embolsando O Resultado.
Da Idéia Concebida À Sua Consumação Foi Um Curto Passo.
Em Pouco Tempo, Eram Muitos Os Litros De Mel Colocados À Parte, Nos Latões Disponíveis.
Entretanto, Antes Que Conseguisse Negociá-Los, Como Pretendia, O Inesperado Aconteceu: A Chegada Do Patrão, Antes Do Tempo Previsto.
Sentado Numa Pedra Ao Lado Das Inúmeras Colméias, O Operário O Avistou. O Susto Juntamente Com O Seu Comprometimento Fez Com Que Ele Saísse Em Disparada, Rumo Ao Depósito Onde Escondia O Mel, Na Intenção De Ocultá-Lo.
O Patrão Já O Havia Procurado Por Todo O Terreno E Se Dispunha A Retornar, Quando Ouviu Gritos E Gemidos Que Partiam Do Depósito Que Deixou Vazio Quando Partiu.
Aproximou-Se E, Entrando, Encontrou O Seu Administrador Contorcendo-Se De Dor, Caído No Chão, Ao Lado De Uma Poça De Mel Que Caía De Um Latão Tombado.
É Que, Na Pressa De Esconder Os Latões, O Homem Tropeçou Num Deles, Caiu De Mau Jeito E Provocou Uma Séria Torção No Pé.
Desapontado Diante Da Cena Que Presenciava, O Apicultor Não Teve Outra Alternativa Senão A De Chamar O Operário-Administrador E Lhe Pedir Explicações.
Não Tendo Como Negar, Embora Procurasse Fazê-Lo, O Empregado Confessou O Roubo, Justificando As Suas Razões Mesquinhas.
O Patrão, Que Havia Determinado Premiá-Lo Com Certa Porcentagem Dos Lucros, O Despediu, Entregando-Lhe Apenas O Salário A Que Tinha Direito.
A Deslealdade Gera Insatisfação E Desconfiança Que Resultam Em Prejuízos Para Todas As Partes...

Autor desconhecido