abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

domingo, 30 de setembro de 2012

A Mala De Viagem


Conta-Se Sobre Um Homem Que Caminhava Vacilante Pela Estrada, Levando Uma Pedra Numa Mão E Um Tijolo Na Outra.
Nas Costas Carregava Um Saco De Terra
Sobre A Cabeça Equilibrava Uma Abóbora Pesada.
Pelo Caminho Encontrou Um Outro Viajante Que Lhe Perguntou :
- Cansado Viajante, Por Que Carrega Essa Pedra Tão Grande ?
- É Estranho, Respondeu O Viajante, Mas Eu Nunca Tinha Realmente Notado Que A Carregava.
Então, Ele Jogou A Pedra Fora E Se Sentiu Muito Melhor.
Em Seguida Veio Outro Caminhante Que Lhe Perguntou :
- Diga-Me, Cansado Viajante, Por Que Carrega Essa Abóbora Tão Pesada ?
- Estou Contente Que Me Tenha Feito Essa Pergunta, Disse O Viajante, Porque Eu Não Tinha Percebido O Que Estava Fazendo Comigo Mesmo.
Então Ele Jogou A Abóbora Fora E Continuou Seu Caminho Com Passos Muito Mais Leves.
Um Por Um Pelo Caminho Foi Avisando-O A Respeito De Suas Cargas Desnecessárias.
E Ele Foi Abandonando Uma A Uma. Por Fim, Tornou-Se Um Homem Livre E Caminhou Como Tal.
Qual Era Na Verdade O Problema Dele ? A Pedra E A Abóbora ?
Não.
Era A Falta De Consciência Da Existência Delas.
Uma Vez Que As Viu Como Cargas Desnecessárias, Livrou-Se Delas Bem Depressa E Já Não Se Sentia Mais Tão Cansado.
Esse É O Problema De Muita Gente. Carrega Cargas Sem Perceber.
Não É De Se Estranhar Que Estejam Tão Cansadas !
O Que São Algumas Dessas Cargas Que Pesam Na Mente De Uma Pessoa E Que Roubam As Suas Energias ?
A. Pensamentos Negativos.
B. Culpar E Acusar Outras Pessoas.
C. Pemitir Que Impressões Tenebrosas Descansem Na Mente.
D. Carregar Uma Falsa Carga De Culpa Por Coisas Que Não Poderiam Ter Evitado.
E. Auto-Piedade.
F. Acreditar Que Não Existe Saída.
Todo Mundo Tem O Seu Tipo De Carga Especial, Que Rouba Energia.
Quanto Mais Cedo Começarmos A Descarregá-La, Mais Cedo Nos Sentiremos Melhor E Caminharemos Mais Levemente.

Autor Desconhecido

sábado, 29 de setembro de 2012

Carta De Um Pai Ao Filho


Amado Filho,
O dia em que este velho já não for o mesmo, tenha paciência e me compreenda.
Quando eu derramar comida sobre minha camisa e esquecer como amarrar meus sapatos, tenha paciência comigo e se lembre das horas que passei te ensinando a fazer as mesmas coisas.
Se quando conversa comigo, repito e repito as mesmas palavras e sabes de sobra como termina, não me interrompas e me escute. Quando era pequeno, para que dormisse, tive que contar-lhe milhares de vezes a mesma estória até que fechasse os olhinhos.
Quando estivermos reunidos e, sem querer, fizer minhas necessidades, não fique com vergonha e compreenda que não tenho a culpo disto, pois já não as posso controlar. Pensa quantas vezes quando menino te ajudei e estive pacientemente a seu lado esperando que terminasse o que estava fazendo.
Não me reproves porque não queira tomar banho; não me chames a atenção por isto. Lembre-se dos momentos que te persegui e os mil pretextos que tive que inventar para tornar mais agradável o seu banho.
Quando me vejas inútil e ignorante na frente de todas as coisas tecnológicas que já não poderei entender, te suplico que me dê todo o tempo que seja necessário para não me machucar com o seu sorriso sarcástico.
Lembre-se que fui eu quem te ensinou tantas coisas.
Comer, se vestir e como enfrentar a vida tão bem com o faz, são produto de meu esforço e perseverança.
Quando em algum momento, enquanto conversamos, eu chegue a me esquecer do que estávamos falando, me dê todo o tempo que seja necessário até que eu me lembre, e se não posso fazê-lo não fique impaciente; talvez não fosse importante o que falava e a única coisa que queria era estar contigo e que me escutasse nesse momento.
Se alguma vez já não quero comer, não insistas. Sei quando posso e quando não devo.
Também compreenda que, com o tempo, já não tenho dentes para morder, nem gosto para sentir.
Quando minhas pernas falharem por estarem cansadas para andar, dá-me sua mão terna para me apoiar, como eu o fiz quando começou a caminhar com suas fracas perninhas.
Por último, quando algum dia me ouvir dizer que já não quero viver e só quero morrer, não te preucupes. Algum dia entenderás que isto não tem a ver com seu carinho ou o quanto te amei.
Trate de compreender que já não vivo, senão que sobrevivo, e isto não é viver.
Sempre quis o melhor para você e preparei os caminhos que deve percorrer.
Então pense que com este passo que me adianto a dar, estarei construindo para você outra rota em outro tempo, porém sempre contigo.
Não se sinta triste, enojado ou impotente por me ver assim. Dá-me seu coração, compreenda-me e me apóie como o fiz quando começaste a viver.
Da mesma maneira que te acompanhei em seu caminho, te peço que me acompanhe para terminar o meu.
Dê-me amor e paciência, que te devolverei gratidão e sorrisos com o imenso amor que tenho por você.
Atenciosamente, Teu Velho

Autor: Levi da Silva Barreto

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Seja


Seja Fonte...
Fonte de água pura e cristalina.
Seja Porto...
Porto de chegada de almas cansadas,seja porto para aqueles que andam perdidos pelo mundo.
Seja Ponte...
Ponte que liga a vida terrena à eternidade do céu.
Seja a passagem, e não o atalho, seja o caminho livre e não o pedágio.
Seja Estrada...
Estrada longa, gostosa de passear, estrada iluminada de dia pelo sol e de noite pelo luar.
Seja Estrela...
Seja a estrela que mais brilha no firmamento.
Para ser estrela, ilumine os que te cercam, distribua luz gratuitamente.
Seja Chuva...
Chuva que molha os corações secos, vazios de amor, de esperança, de paz.
Seja chuva que inunda os campos áridos, que molham os jardins.
Seja Árvore...
Árvore que dá frutos para quem tem fome, que dá sombra e refresca o árduo calor dos caminhantes que seguem pela vida.
Ser Fonte,
ser Porto,
ser Ponte ou Estrada,
ser Estrela,
ser Chuva ou ser Árvore...

É FAZER SEMPRE A VONTADE DE DEUS, QUE ELE ESTEJA NO CONTROLE

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Ajudando A Chorar


A Menina Chegou Em Casa Atrasada Para O Jantar.
Sua Mãe Tentava Acalmar O Nervoso Pai Enquanto Pedia Explicações Sobre O Que Havia Acontecido.
A Menina Respondeu Que Tinha Parado Para Ajudar Janie, Sua Amiga, Porque Ela Tinha Levado Um Tombo E Sua Bicicleta Tinha Se Quebrado.
- E Desde Quando Você Sabe Consertar Bicicletas?
- Perguntou A Mãe.
- Eu Não Sei Consertar Bicicletas!
- Disse A Menina, Eu Só Parei Para Ajudá-La A Chorar...
Não Muitos De Nós Sabemos Consertar Bicicletas. E Quando Nossos Amigos Caíram E Quebraram, Não As Suas Bicicletas Mas Suas Vidas, Poucas Vezes Tivemos Capacidade Para Consertá-La.
Não Podemos Simplesmente Consertar A Vida De Outra Pessoa, Embora Isso Seja O Que Nós Gostaríamos De Fazer.
Mas Como A Menina, Nós Podemos Parar Para Lhes Ajudar A Chorar. Se Isso É O Melhor Que Nós Podemos Fazer...
E Isso É Muito!

Autor Desconhecido

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Como Explicar O Amor


Contam que, uma vez, se reuniram os sentimentos e qualidades dos homens em um lugar da terra.
Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhes propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE, sem poder conter-se, perguntou: Esconde-esconde? Como é isso?
- É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar ocupará meu lugar para continuar o jogo. O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA.
A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou convencendo a DÚVIDA e até mesmo a APATIA, que nunca se interessava por nada.
Mas nem todos quiseram participar.
A VERDADE preferiu não esconder-se, para quê? Se no final todos a encontravam?
A SOBERBA opinou que era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a ideia não tivesse sido dela) e a COVARDIA preferiu não arriscar-se.
- Um, dois, três, quatro... - começou a contar a LOUCURA.
A primeira a esconder-se foi a PRESSA, que como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.
A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço, tinha conseguido subir na copa da árvore mais alta.
A GENEROSIDADE quase não consegue esconder-se, pois cada local que encontrava lhe parecia maravilhoso para algum de seus amigos - se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA; se era a copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ; se era o voo de uma borboleta, o melhor para a VOLÚPIA; se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE. E assim, acabou escondendo-se em um raio de sol.
O EGOÍSMO, ao contrário, encontrou um local muito bom desde o início. Ventilado, cómodo, mas apenas para ele.
A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano (mentira, na realidade, escondeu-se atrás do arco-íris), e a PAIXÃO e o DESEJO, no centro dos vulcões.
O ESQUECIMENTO, não recordo-me onde escondeu-se, mas isso não é o mais importante.
Quando a LOUCURA estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado um local para esconder-se, pois todos já estavam ocupados, até que encontrou um roseiral e, carinhosamente, decidiu esconder-se entre suas flores.
- Um milhão - contou a LOUCURA, e começou a busca.
A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a três passos de uma pedra. Depois, escutou-se a FÉ discutindo com Deus no céu sobre zoologia.
Sentiu-se vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões.
Em um descuido encontrou a INVEJA, e claro, pode deduzir onde estava o TRIUNFO.
O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo. Ele sozinho saiu disparado de seu esconderijo, que na verdade era um ninho de vespas.
De tanto caminhar, a LOUCURA sentiu sede, e ao aproximar-se de um lago descobriu a BELEZA.
A DÚVIDA foi mais fácil ainda, pois a encontrou sentada sobre uma cerca sem decidir de que lado esconder-se.
E assim foi encontrando a todos.
O TALENTO entre a erva fresca; a ANGÚSTIA em uma cova escura;
a MENTIRA atrás do arco-íris (mentira, estava no fundo do oceano);
e até o ESQUECIMENTO, a quem já havia esquecido que estava brincando de esconde-esconde.
Apenas o AMOR não aparecia em nenhum local.
A LOUCURA procurou atrás de cada árvore, em baixo de cada rocha do planeta, e em cima das montanhas.
Quando estava a ponto de dar-se por vencida, encontrou um roseiral.
Pegou uma forquilha e começou a mover os ramos, quando no mesmo instante, escutou-se um doloroso grito.
Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos.
A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se chorou, rezou, implorou, pediu perdão e até prometeu ser seu guia.
Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de esconde-esconde na terra: O AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.

Autor: desconhecido

terça-feira, 25 de setembro de 2012

A Lição Do Jardineiro


Um Dia, O Executivo De Uma Grande Empresa Contratou, Pelo Telefone, Um Jardineiro Autônomo Para Fazer A Manutenção Do Seu Jardim.
Chegando Em Casa, O Executivo Viu Que Estava Contratando Um Garoto De Apenas 15 Ou 16 Anos De Idade.
Contudo, Como Já Estava Contratado, Ele Pediu Para Que O Garoto Executasse O Serviço.
Quando Terminou, O Garoto Solicitou Ao Dono Da Casa Permissão Para Utilizar O Telefone E O Executivo Não Pôde Deixar De Ouvir A Conversa.
O Garoto Ligou Para Uma Mulher E Perguntou:
- A Senhora Está Precisando De Um Jardineiro?
- Não. Eu Já Tenho Um", Foi A Resposta.
- Mas, Além De Aparar A Grama, Frisou O Garoto, Eu Também Tiro O Lixo.
Nada Demais, Retrucou A Senhora, Do Outro Lado Da Linha.
O Meu Jardineiro Também Faz Isso.
O Garoto Insistiu:
- Eu Limpo E Lubrifico Todas As Ferramentas No Final Do Serviço.
- O Meu Jardineiro Também, Tornou A Falar A Senhora.
- Eu Faço A Programação De Atendimento, O Mais Rápido Possível.
- Bom, O Meu Jardineiro Também Me Atende Prontamente. Nunca Me Deixa Esperando. Nunca Se Atrasa.
Numa Última Tentativa, O Menino Arriscou:
- O Meu Preço É Um Dos Melhores.
- Não, Disse Firme A Voz Ao Telefone.
Muito Obrigada! O Preço Do Meu Jardineiro Também É Muito Bom.
Desligado O Telefone, O Executivo Disse Ao Jardineiro:
- Meu Rapaz, Você Perdeu Um Cliente.
- Claro Que Não", Respondeu Rápido.
- Eu Sou O Jardineiro Dela. Fiz Isto Apenas Para Medir O Quanto Ela Estava Satisfeita Comigo...
Em Se Falando Do Jardim Das Afeições, Quantos De Nós Teríamos A Coragem De Fazer A Pesquisa Deste Jardineiro?
E, Se Fizéssemos, Qual Seria O Resultado?
Será Que Alcançaríamos O Grau De Satisfação Da Cliente Do Pequeno Jardineiro?
Será Que Temos, Sempre Em Tempo Oportuno E Preciso, Aparado As Arestas Dos Azedumes
E Dos Pequenos Mal-Entendidos?
Estamos Permitindo Que Se Acumule O Lixo Das Mágoas E Da Indiferença Nos Canteiros Onde Deveriam Se Concentrar As Flores Da Afeição Mais Pura?
Temos Lubrificado, Diariamente, As Ferramentas Da Gentileza, Da Simpatia Entre Os Nossos Amores, Atendendo As Suas Necessidades E Carências, Com Presteza?
E, Por Fim, Qual Tem Sido O Nosso Preço? Temos Usado Chantagem Ou, Como O Jardineiro Sábio,
Cuidamos Das Mudinhas Das Afeições Com Carinho E As Deixamos Florescer, Sem Sufocá-Las?
O Amor Floresce Nos Pequenos Detalhes. Como Gotas De Chuva Que Umedecem O Solo Ou Como O Sol Abundante Que Se Faz Generoso, Distribuindo Seu Calor.
A Gentileza, A Simpatia, O Respeito São Detalhes De Suma Importância Para Que A Florescência Do Amor Seja Plena E Frutifique Em Felicidade.

Autor desconhecido

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A Ratoeira


Um Rato, Olhando Pelo Buraco Na Parede, Vê O Fazendeiro E Sua Esposa Abrindo Um Pacote.
Pensou Logo No Tipo De Comida Que Poderia Haver Ali. Ao Descobrir Que Era Uma Ratoeira Ficou Aterrorizado.
Correu Ao Pátio Da Fazenda Advertindo A Todos:
"- Há Uma Ratoeira Na Casa, Uma Ratoeira Na Casa!"
A Galinha, Disse:
"- Desculpe-Me Sr. Rato, Eu Entendo Que Isso Seja Um Grande Problema Para O Senhor, Mas Não Me Prejudica Em Nada, Não Me Incomoda".
O Rato Foi Até O Porco E Lhe Disse:
"- Há Uma Ratoeira Na Casa, Uma Ratoeira!"
"- Desculpe-Me Sr. Rato, Disse O Porco, Mas Não Há Nada Que Eu Possa Fazer, A Não Ser Rezar. Fique Tranqüilo Que O Senhor Será Lembrado Nas Minhas Preces".
O Rato Dirigiu-Se Então À Vaca.
Ela Lhe Disse:
"- O Que Sr. Rato? Uma Ratoeira? Por Acaso Estou Em Perigo? Acho Que Não!".
Então O Rato Voltou Para A Casa, Cabisbaixo E Abatido, Para Encarar A Ratoeira Do Fazendeiro.
Naquela Noite Ouviu-Se Um Barulho, Como O De Uma Ratoeira Pegando Sua Vítima.
A Mulher Do Fazendeiro Correu Para Ver O Que Havia Pego. No Escuro, Ela Não Viu Que A Ratoeira Havia Pego A Cauda De Uma Cobra Venenosa.
E A Cobra Picou A Mulher... O Fazendeiro A Levou Imediatamente Ao Hospital.
Ela Voltou Com Febre.
Todo Mundo Sabe Que Para Alimentar Alguém Com Febre, Nada Melhor Que Uma Canja De Galinha.
O Fazendeiro Pegou Seu Cutelo E Foi Providenciar O Ingrediente Principal.
Como A Doença Da Mulher Continuava, Os Amigos E Vizinhos Vieram Visitá-La. Para Alimentá-Los O Fazendeiro Matou O Porco.
A Mulher Não Melhorou E Acabou Morrendo. Muita Gente Veio Para O Funeral. O Fazendeiro Então Sacrificou A Vaca, Para Alimentar Todo Aquele Povo...
Entenda: Na Próxima Vez Que Você Ouvir Dizer Que Alguém Está Diante De Um Problema E Acreditar Que O Problema Não Lhe Diz Respeito, Lembre-Se Que, Quando Há Uma Ratoeira Na Casa, Toda A Fazenda Corre Risco.
O Problema De Um É Problema De Todos."

Autor desconhecido

domingo, 23 de setembro de 2012

O Menino Catador De Papel


Certa Vez, Um Menino Catador De Papel, Realizando Seu Trabalho Diário Pelas Ruas Da Cidade, Chegou A Um Estabelecimento Muito Bonito E Grande, Repleto De Pessoas Bem Vestidas E Pensou Consigo:
- Aqui Deve Haver Muitas Caixas Vazias. Após O Expediente Voltarei Para Falar Com O Dono Para Pedi-Las A Fim De Que Possa Vendê-Las.
Quando O Comércio Fechou, O Menino Voltou À Loja E Viu Um Senhor Muito Alinhado Na Porta Despedindo-Se Dos Visitantes. Aproximando-Se, Disse:
- Senhor, Posso Falar Com O Dono Da Loja?
- Sou Eu Mesmo. O Que Você Quer? - Respondeu Desconfiado O Empresário.
- Gostaria De Saber Se O Senhor Poderia Dar-Me Aquelas Caixas Para Eu Vendê-Las.
O Empresário, Raivoso, Enxotou O Menino Aos Gritos, Ameaçando Chamar Pela Polícia, Pois Não Tolerava Pedintes Em Sua Loja.
O Garoto Apanhou Seu Carrinho De Papel E Saiu, Resignado E Muito Triste.
Porém, Alguns Metros Adiante Ouviu Gemidos Muito Fortes Vindos Da Loja. Correu Até Lá E Encontrou O Empresário Caído No Chão, Acometido Por Um Enfarto. O Menino Clamou Por Ajuda Mas Ninguém O Escutou. Então, Desocupou Seu Carrinho De Papel E Com Muita Dificuldade Colocou O Moribundo Dentro. Correu Até O Hospital Mais Próximo E A Vida Do Empresário Foi Salva.
Dias Depois, O Menino Passava Em Frente À Loja E O Empresário Foi Ao Seu Encontro:
- Meu Jovem, Venha Cá. Hoje Quero Que Você Vá Até Minha Casa Para Eu Lhe Agradecer Pelo Que Fez Por Mim.
O Menino Foi Recebido Com Um Grande Banquete Como Gesto De Agradecimento. Após A Sobremesa, O Empresário Chamou-O Até Um Galpão Onde Encontravam-Se Iates, Carros Importados E Outras Riquezas, Todas Embaladas Em Grandes Caixas. Disse Ao Garoto:
- Escolha O Que Você Quiser Deste Galpão.
- Qualquer Coisa Mesmo? - Perguntou-Lhe O Menino.
- Sim.
O Menino Pensou, Pensou E Disse...
- Eu Quero As Caixas Que Estão Envolvendo Tudo O Que Está No Barracão.
O Empresário, Não Compreendendo, Satisfez Seu Pedido.
Passados Dez Anos, O Empresário Encontrou O Menino, Agora Um Jovem Bem Arrumado E Aparentando Estar Muito Bem De Vida.
O Empresário, Que Ficara Intrigado Com O Desejo Do Garoto Na Época, Perguntou-Lhe Nesta Oportunidade:
- Por Que Você Não Escolheu Um Iate Ou Carro Ou Outro Objeto Valioso?
O Menino Respondeu-Lhe:
- Porque Para A Meta Que Eu Havia Traçado Para A Minha Vida, As Caixas Garantiriam O Meu Futuro. Com Elas Paguei Por Meus Estudos, Tornei-Me Diretor Da Empresa De Reciclagem Na Qual Trabalhava E Com O Curso De Engenharia Que Concluí, Desenvolvi Um Projeto Inovador Na Área Que Me Proporcionou O Sucesso...
A Maior Recompensa Que Podemos Receber É O Necessário Para Conquistarmos O Sucesso Na Vida.

Autor Maurício Wosniacki

sábado, 22 de setembro de 2012

Goiabeira E Mamoeiro


Outro Dia, Num Desses Finais De Tardes De Verão, O Tempo Se Fechou, Tudo Se Escureceu E O Vento Inundou O Quintal, Bem Como A Sala De Onde Eu Apreciava Aquela Cena Pela Janela.
No Quintal Havia Duas Árvores: Um Mamoeiro E Uma Goiabeira. Eu Observava Com Atenção O Quanto O Vento Balançava De Forma Diferente Estas Árvores, Especialmente Porque Numa Das Pontas Dos Galhos Da Goiabeira, Uma Rolinha Tinha Feito O Seu Ninho, E Agora Estava Ela Ali, Apesar De Toda Aquela Ventania, Onde Os Galhos Se Dobravam Em Todas As Direções Com Incrível Força, Ela "Descansava", Firme Naquilo Que Havia Construído.
No Mamoeiro, Apenas As Suas Folhas, Balançavam, Pois O Seu Caule Grosso, Permanecia Ereto, Rijo, Talvez Orgulhoso Por Não Se Dobrar Diante Da Força Do Vento.
Quando Acordei No Dia Seguinte, Manhã De Sol Bonita Que Deus Havia Me Dado, O Mamoeiro Estava No Chão, O Seu Caule Apesar De Grosso, Se Rompeu E Quebrou-Se. A Goiabeira Estava Lá, Intacta, Abrigando A Rolinha Que Sabiamente Havia Construído O Seu Ninho Em Sua Ramagem. Irmãos ...
Pude Tirar Algumas Lições Deste Quadro, Que Com Certeza, São As Maravilhas Da Natureza, Mostrando A Glória, A Sabedoria E A Vontade De Deus Em Nossas Vidas.
Nunca Vi Quaisquer Aves Fazer Ninho Em Pé De Mamão... Deus Fez As Aves, Que Sem Entendimento, Edificam Sempre Em Lugares Seguros.
Onde Está Sendo Construída A Sua Casa? Na Rocha Ou Na Areia?
" Deus Atenta Para O Humilde, Mas O Soberbo Ele O Conhece De Longe".
Quantas Vezes Temos Sido Mamoeiros ... Como??? Irredutíveis Em Nossas Posições. Não Reconhecendo Os Nossos Erros. Não Sabendo Pedir Desculpas E Perdão. Permanecendo No Pecado Que Nos Agrada, Mesmo Tendo Convicção Dele.
Em Outras Palavras ... Não Temos Nos Dobrado Quando Não Reconhecemos Nossos Erros Para Com O Próximo, Sendo Então Altivos E Orgulhosos, Ou Mesmo Estando Certos, Não Procuramos O Nosso Próximo Para Pedir Perdão E Reconciliarmos.
Não Temos Nos Dobrado, Quando Não Reconhecemos, Quando Não Aceitamos E Quando Não Buscamos A Soberana, Como Princípio Básico Para O Nosso Viver ...

Autor desconhecido

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Não Se Envenene


Se alguém colocasse veneno na sua água e você descobrisse isso, você a beberia mesmo assim?
Certamente não.
Certos elementos químicos que você consegue ver, provar, tocar e sentir o odor podem ser fatais. Felizmente somos dotados de instintos de autopreservação que nos proíbem de ingerir ingênua e deliberadamente tais substâncias.
Mas o que dizer da sua mente? Repetidamente as pessoas estão envenenando seus pensamentos com o negativismo.
E ainda que não possam vê-lo, prová-lo ou tocá-lo, ele pode ser igualmente fatal.
Mas o que é esse veneno? Negativismo é o veneno que mata os mais preciosos sonhos de uma pessoa.
Ele começa com pensamentos negativos, que devem ser contidos a todo custo, posto que contaminam e se alastram.
Para fazer frente a isso, é necessário que você monitore os pensamentos que permitem a entrada desse veneno em sua mente.
Cada um de seus pensamentos! Se você se descobre pensando negativamente, repense.
Parte do processo de mudar seu pensamento do negativo para o positivo consiste em ser grato pelas preciosas dádivas que a vida pode nos oferecer.
A simples gratidão pela vida que nos foi dada atrai algumas das melhores coisas com as quais sonhamos nesse mundo.

Autor desconhecido

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A Cidade Dos Resmungos


Era Uma Vez Um Lugar Chamado Cidade Dos Resmungos, Onde Todos Resmungavam, Resmungavam, Resmungavam.
No Verão, Resmungavam Que Estava Muito Quente. No Inverno, Que Estava Muito Frio. Quando Chovia, As Crianças Choramingavam Porque Não Podiam Sair.
Quando Fazia Sol, Reclamavam Que Não Tinham O Que Fazer. Os Vizinhos Queixavam-Se Uns Dos Outros, Os Pais Queixavam-Se Dos Filhos, Os Irmãos Das Irmãs.
Todos Tinham Um Problema, E Todos Reclamavam Que Alguém Deveria Fazer Alguma Coisa.
Um Dia Chegou À Cidade Um Mascate Carregando Um Enorme Cesto Às Costas. Ao Perceber Toda Aquela Inquietação E Choradeira, Pôs O Cesto No Chão E Gritou:
-Ó Cidadãos Deste Belo Lugar! Os Campos Estão Abarrotados De Trigo, Os Pomares Carregados De Frutas.
As Cordilheiras São Cobertas De Florestas Espessas, E Os Vales Banhados Por Rios Profundos. Jamais Vi Um Lugar Abençoado Por Tantas Conveniências E Tamanha Abundância.
Por Que Tanta Insatisfação? Aproximem-Se, E Eu Lhes Mostrarei O Caminho Da Felicidade.
Ora, A Camisa Do Mascate Estava Rasgada E Puída. Havia Remendos Nas Calças E Buracos Nos Sapatos. As Pessoas Riram Ao Pensar Que Alguém Como Ele Pudesse Mostrar-Lhes Como Ser Feliz.
Mas Enquanto Riam, Ele Puxou Uma Corda Comprida Do Cesto E A Esticou Entre Dois Postes Na Praça Da Cidade.
Então, Segurando O Cesto Diante De Si, Gritou:
- Povo Desta Cidade! Aqueles Que Estiverem Insatisfeitos Escrevam Seus Problemas Num Pedaço De Papel E Ponham Dentro Deste Cesto. Trocarei Seus Problemas Por Felicidade!
A Multidão Se Aglomerou Ao Seu Redor. Ninguém Hesitou Diante Da Chance De Se Livrar Dos Problemas. Todo Homem, Mulher E Criança Da Vila Rabiscou Sua Queixa Num Pedaço De Papel E Jogou No Cesto.
Eles Observaram O Mascate Pegar Cada Problema E Pendurá- Lo Na Corda. Quando Ele Terminou, Havia Problemas Tremulando Em Cada Polegada Da Corda, De Um Extremo A Outro.
Então Ele Disse:
- Agora Cada Um De Vocês Deve Retirar Desta Linha Mágica O Menor Problema Que Puder Encontrar.
Todos Correram Para Examinar Os Problemas. Procuraram, Manusearam Os Pedaços De Papel E Ponderaram, Cada Qual Tentando Escolher O Menor Problema. Depois De Algum Tempo A Corda Estava Vazia.
Eis Que Cada Um Segurava O Mesmíssimo Problema Que Havia Colocado No Cesto. Cada Pessoa Havia Escolhido O Seu Próprio Problema, Julgando Ser Ele O Menor Na Corda.
Daí Por Diante, O Povo Daquela Cidade Deixou De Resmungar O Tempo Todo.
E Sempre Que Alguém Sentia O Desejo De Resmungar Ou Reclamar, Pensava No Mascate E Na Sua Corda.

Autor desconhecido

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Apenas O Salário


Certa Manhã, Quando Atravessava Um Campo, Notou Que Uma Porção De Abelhas Voava Ao Redor De Um Grande Tronco.
Seguiu Naquela Direção E Notou Que Era Uma Colméia.
Nisto, Aproximou-Se Um Homem Que Começou A Recolher O Mel.
Era Tão Grande A Sua Habilidade Que O Apicultor Não Hesitou Em Contratá-Lo Para Dirigir A Sua Indústria.
O Novo Operário Não Poupou Esforços E A Produção Aumentou Sensivelmente.
Quando Teve De Empreender Sua Viagem, O Apicultor Chamou-O Para Orientá-Lo: O Produto Deveria Ser Vendido Semanalmente E O Resultado Teria De Ser Depositado No Banco Até A Sua Volta, Que Deveria Acontecer No Espaço De Dois Ou Três Meses Aproximadamente.
Apesar Da Ausência Do Patrão, A Indústria Crescia A Olhos Vistos E A Sua Conta Bancária Também.
Em Face De Tão Imediato Crescimento, O Operário Administrador Começou A Sentir-Se Insatisfeito, Achando Que Recebia Muito Pouco Para Estar Transformando O Patrão Num Homem Afortunado...
Tanto Moeu E Tanto Ruminou Essa Idéia, Até Que Um Dia Tomou A Infeliz Decisão: Guardaria Parte Do Mel Em Latões, Num Dos Depósitos Vazios, E Quando Aparecesse Algum Comprador Ambulante Ele O Venderia, Embolsando O Resultado.
Da Idéia Concebida À Sua Consumação Foi Um Curto Passo.
Em Pouco Tempo, Eram Muitos Os Litros De Mel Colocados À Parte, Nos Latões Disponíveis.
Entretanto, Antes Que Conseguisse Negociá-Los, Como Pretendia, O Inesperado Aconteceu: A Chegada Do Patrão, Antes Do Tempo Previsto.
Sentado Numa Pedra Ao Lado Das Inúmeras Colméias, O Operário O Avistou. O Susto Juntamente Com O Seu Comprometimento Fez Com Que Ele Saísse Em Disparada, Rumo Ao Depósito Onde Escondia O Mel, Na Intenção De Ocultá-Lo.
O Patrão Já O Havia Procurado Por Todo O Terreno E Se Dispunha A Retornar, Quando Ouviu Gritos E Gemidos Que Partiam Do Depósito Que Deixou Vazio Quando Partiu.
Aproximou-Se E, Entrando, Encontrou O Seu Administrador Contorcendo-Se De Dor, Caído No Chão, Ao Lado De Uma Poça De Mel Que Caía De Um Latão Tombado.
É Que, Na Pressa De Esconder Os Latões, O Homem Tropeçou Num Deles, Caiu De Mau Jeito E Provocou Uma Séria Torção No Pé.
Desapontado Diante Da Cena Que Presenciava, O Apicultor Não Teve Outra Alternativa Senão A De Chamar O Operário-Administrador E Lhe Pedir Explicações.
Não Tendo Como Negar, Embora Procurasse Fazê-Lo, O Empregado Confessou O Roubo, Justificando As Suas Razões Mesquinhas.
O Patrão, Que Havia Determinado Premiá-Lo Com Certa Porcentagem Dos Lucros, O Despediu, Entregando-Lhe Apenas O Salário A Que Tinha Direito.
A Deslealdade Gera Insatisfação E Desconfiança Que Resultam Em Prejuízos Para Todas As Partes...

Autor desconhecido

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Atire A Primeira Flor


Quando tudo parecer caminhar errado, seja você a tentar o primeiro passo certo;
Se tudo parecer escuro, se nada puder ser visto, acenda você a primeira luz, traga para a treva, você primeiro, a pequena lâmpada;
Quando todos estiverem chorando, tente você o primeiro sorriso; talvez não na forma de lábios sorridentes, mas na de um coração que compreenda, de braços que confortem;
Se a vida inteira for um imenso não, não pare você na busca do primeiro sim, ao qual tudo de positivo deverá seguir-se;
Quando ninguém souber coisa alguma, e você souber um pouquinho, seja o primeiro a ensinar, começando por aprender você mesmo, corrigindo-se a si mesmo;
Quando alguém estiver angustiado à procura, consulte bem o que se passa, talvez seja em busca de você mesmo que este seu irmão esteja;
Daí, portanto, o seu deve ser o primeiro a aparecer, o primeiro a mostrar-se, primeiro que pode ser o único e, mais sério ainda, talvez o último;
Quando a terra estiver seca, que sua mão seja a primeira a regá-la;
Quando a flor se sufocar entre as ervas daninha e espinhos, que sua mão seja a primeira a separar o joio, a arrancar a praga, a afagar a pétala, a acariciar a flor;
Se a porta estiver fechada, de você venha a primeira chave;
Se o vento sopra frio, que o calor de sua lareira seja a primeira proteção e o primeiro abrigo.
Se o pão for apenas massa e não estiver cozido, seja você o primeiro forno para transformá-lo em alimento.
Não atire a primeira pedra em quem erra.
De acusadores o mundo está cheio; nem, por outro lado, aplauda o erro; dentro em pouco, a ovação será ensurdecedora;
Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu; sua atenção primeiro para aquele que foi esquecido;
Seja você o primeiro para aquele que não tem ninguém;
Quando tudo for espinho, atire a primeira flor; seja o primeiro a mostrar que há caminho de volta,
compreendendo que o perdão regenera, que a compreensão edifica, que o auxílio possibilita, que o entendimento reconstrói.
Atire você, quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor.

Autor(a) Glácia Daibert

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O Nó Do Afeto


Era um reunião numa escola. A diretora incentivava os pais a apoiarem as crianças, falando da necessidade da presença deles junto aos filhos. Mesmo sabendo que a maioria dos pais e mães trabalhava fora, ela tinha convicção da necessidade de acharem tempo para seus filhos.
Foi então que um pai, com seu jeito simples, explicou que saía tão cedo de casa, que seu filho ainda dormia e que, quando voltava, o pequeno, cansado, já adormecera. Explicou que não podia deixar de trabalhar tanto assim, pois estava cada vez mais difícil sustentar a família. E contou como isso o deixava angustiado, por praticamente só conviver com o filho nos fins de semana.
O pai, então, falou como tentava redimir-se, indo beijar a criança todas as noites, quando chegava em casa. Contou que a cada beijo, ele dava um pequeno nó no lençol, para que seu filho soubesse que ele estivera ali. Quando acordava, o menino sabia que seu pai o amava e lá estivera. E era o nó o meio de se ligarem um ao outro.
Aquela história emocionou a diretora da escola que, surpresa, verificou ser aquele menino um dos melhores e mais ajustados alunos da classe. E a fez refletir sobre as infinitas maneiras que pais e filhos têm de se comunicarem, de se fazerem presentes nas vidas uns dos outros. O pai encontrou sua forma simples, mas eficiente, de se fazer presente e, o mais importante, de que seu filho acreditasse na sua presença.
Para que a comunicação se instale, é preciso que os filhos 'ouçam' o coração dos pais ou responsáveis, pois os sentimentos falam mais alto do que as palavras. É por essa razão que um beijo, um abraço, um carinho, revestidos de puro afeto, curam até dor de cabeça, arranhão, ciúme do irmão, medo do escuro, etc.
Uma criança pode não entender certas palavras, mas sabe registrar e gravar um gesto de amor, mesmo que este seja um simples nó...

E você? Tem dado um nó no lençol do seu filho?
Eloi Zanetti Palestrante e Escritor

domingo, 16 de setembro de 2012

A Honra Também Se Ensina


É comum, em nossos dias, ouvirmos reclamações por parte de pessoas que se sentiram desrespeitadas em seus direitos.
É o médico que marca uma hora com o paciente e o deixa esperando por longo tempo, sem dar satisfação.
É o advogado que assume uma causa e depois não lhe dá o encaminhamento necessário, deixando o cliente em situação difícil.
É o contador que se compromete perante a empresa a providenciar todos os documentos exigidos por lei e, passados alguns meses, a empresa é autuada por irregularidades que esse diz desconhecer.
É o engenheiro que toma a responsabilidade de uma obra, que mais tarde começa a ruir, sem que ele assuma a parte que lhe diz respeito.
É o político que faz muitas promessas e, depois de eleito, ignora a palavra empenhada junto aos seus eleitores.
Esses e outros tantos casos acontecem com frequência nos dias atuais.
É natural que as pessoas envolvidas em tais situações, exponham a sua indignação junto à sociedade, e reclamem os seus direitos perante a justiça.
Todavia, vale a pena refletir um pouco sobre a origem dessa falta de honradez por parte de alguns cidadãos.
Temos de convir que todos eles passaram pela infância e, em tese, podemos dizer que não receberam as primeiras lições de honra como deveriam.
Quando os filhos são pequenos não damos a devida importância às suas más inclinações ou, o que é pior, as incentivamos com o próprio exemplo.
Se nosso filho desrespeita os horários estabelecidos, não costumamos cobrar dele a devida atenção.
Se prometem alguma coisa e não cumprem, não lhes falamos sobre o valor de uma palavra empenhada.
Ademais, há pais que são os próprios exemplos de desonra. Prometem e não cumprem. Dizem que vão fazer e não fazem. Falam, mas a sua palavra não vale nada.
É importante que pensemos a respeito das causas, antes de reclamar dos efeitos.
É imprescindível que passemos aos filhos lições de honradez.
Ensinar aos meninos que as filhas dos outros devem ser respeitadas tanto quanto suas próprias irmãs.
Ensinar que a palavra sempre deve ser honrada por aquele que a empenha.
Ensinar o respeito aos semelhantes, não os fazendo esperar horas e horas para, só depois, atender, como se estivéssemos fazendo um grande favor.
Enfim, ensinar-lhes a fazer aos outros o que gostariam que os outros lhes fizessem, conforme orientou Jesus.

* * *
Não há efeito sem causa. Todo efeito negativo, tem uma causa igualmente negativa.
Por essa razão, antes de reclamar dos efeitos, devemos pensar se não estamos contribuindo com as causas, direta ou indiretamente.
Pensemos nisso!

Autor:
Redação do Momento Espírita Disponível no CD Momento Espírita, v. 5, ed. Fep.

sábado, 15 de setembro de 2012

Aproveite Cada Momento


Um amigo meu abriu a gaveta da cômoda de sua esposa e pegou um pequeno
pacote embrulhado com papel de seda:
"Isto - disse - não é um simples pacote."
Tirou o papel que o envolvia e observou a bonita seda e a caixa.
"Ela comprou isto na primeira vez que fomos a Nova York, há uns 8 ou 9 anos. Nunca o usou. Estava guardando-o para uma ocasião especial. Bem, creio que esta é a ocasião."
Aproximou-se da cama e colocou a prenda junto com as outras roupas que ia levar para a funerária.
Sua esposa tinha acabado de morrer. Virando-se para mim, disse:
"Não guarde nada para uma ocasião especial. Cada dia que se vive é uma
ocasião especial"...
Ainda estou pensando nestas palavras... já mudaram minha vida. Agora estou lendo mais e limpando menos. Sento-me no terraço e admiro a vista sem preocupar-me com as pragas.
Vivo mais tempo com minha família e menos tempo no trabalho.
Compreendi que a vida deve ser uma fonte de experiências a desfrutar, não para sobreviver. Já não guardo nada.
Uso meus copos de cristal todos os dias. Coloco uma roupa nova para ir ao supermercado, se me dá vontade.
Já não guardo meu melhor perfume para ocasiões especiais, uso-o quando tenho vontade.
As frases "algum dia..." e "qualquer dia..." estão desaparecendo de meu vocabulário.
Se vale a pena ver, escutar ou fazer, quero ver, escutar ou fazer agora.
Não estou certo do que teria feito a esposa de meu amigo se soubesse que não estaria aqui para a próxima manhã que todos nós ignoramos.
Creio que teria chamado seus familiares e amigos mais próximos. Talvez chamasse alguns amigos antigos para desculpar-se e fazer as pazes por possíveis desgostos do passado.
Gosto de pensar que teria ido comer comida chinesa, sua favorita.
São estas pequenas coisas deixadas por fazer que me fariam desgostoso se eu
soubesse que minhas horas estão limitadas.
Desgostoso, porque deixaria de ver amigos com quem iria encontrar, cartas que pensava escrever "qualquer dia destes".
Desgostoso e triste, porque não disse a meus irmãos e meus filhos, com suficiente freqüência, que os amo. Agora, trato de não atrasar, adiar ou guardar nada que traria risos e alegria para nossas vidas.
E, a cada manhã, digo a mim mesmo que este será um dia especial.
Cada dia, cada hora, cada minuto, é especial.

Autor desconhecido

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Amigos, Ainda.


Um dia a maioria de nós irá separar-se.
Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos, dos sonhos
que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhamos.
Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das vésperas dos finais de semana, dos finais de ano, enfim… do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.
Hoje não tenho mais tanta certeza disso.
Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a sua vida.
Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe…nas cartas que trocaremos.
Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices…
Aí, os dias vão passar, meses…anos… até este contacto se tornar cada vez mais raro.
Vamos nos perder no tempo….
Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias e perguntarão:
“Quem são aquelas pessoas?”
Diremos…que eram nossos amigos e……isso vai doer tanto!
“Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da minha vida!”
A saudade vai apertar bem dentro do peito.
Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente……
Quando o nosso grupo estiver incompleto…
reunir-nos para um último adeus de um amigo.
E, entre lágrima abraçar-nos.
Então faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante.
Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vida, isolada do passado.
E perder-nos no tempo…..
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades….
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Fernando Pessoa

Certas palavras podem dizer muitas coisas;
Certos olhares podem valer mais do que mil palavras;
Certos momentos nos fazem esquecer que existe um mundo lá fora;
Certos gestos,parecem sinais guiando-nos pelo caminho;
Certos toques parecem estremecer todo nosso coração;
Certos detalhes nos dão certeza de que existem pessoas especiais,
Assim como você que deixarão belas lembranças para todo o sempre:

Vinicius de Moraes

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Sonho De Um Caminhoneiro


Eram dois amigos inseparáveis lutando pela vida e o pão
Levando um sonho de cidade em cidade
De serem donos de seu caminhão
Com muita luta e sacrifício para pagar em dia a prestação
Se realizava o sonho finalmente, o empregado passa a ser patrão.

Suas viagens eram intermináveis de cansaço, de poeira e chão
E um dos amigos, um recém casado ia ser pai do primeiro varão
Com alegria vinham pela estrada não vendo a hora de chegar
E o caminhoneiro disse ao amigo: “vou lhe dar meu filho para batizar”.

Mas o destino cruel e traiçoeiro marcou a hora e o lugar
A chuva fina e a pista molhada com uma carreta foram se chocar
Mas como todos tem a sua sina, um a morte não levou e agonizante no braços do amigo disse:
“vá conhecer meu filho porque eu não vou”.

Naquela curva a beira da estrada, uma cruz ao lado do pinheiro
Marca pra sempre onde foi ceifada a vida e o sonho de um caminhoneiro
Com a morte do companheiro a saudade vai chegar
Aqueles bons e velhos tempos nunca mais irão voltar.

Milionário e José Rico

Algumas vezes na vida, você encontra um(a) amigo(a) especial.
Alguém que muda sua vida simplesmente por estar nela.
Alguém que te faz rir até você não poder mais parar.
Alguém que faz você acreditar que realmente tem algo bom no mundo.
Alguém que te convence que lá tem uma porta destrancada só esperando você abri-la.
Isso é uma amizade pra sempre.
Quando você está pra baixo e o mundo parece escuro e vazio, seu(a) amigo(a) pra sempre te põe pra cima e faz com que o mundo escuro e vazio fique bem claro.
Seu(a) amigo(a) pra sempre te ajuda nas horas difíceis, tristes e confusas.
Se você se virar e começar a caminhar, seu(a) amigo(a) pra sempre te segue.
Se você perder seu caminho, ele(a) te guia e te põe no caminho certo.
Seu(a) amigo(a) pra sempre segura sua mão e diz que vai ficar tudo bem.
Seu(a) amigo(a) é pra sempre, e pra sempre não tem fim...

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Calor


Durante uma era glacial, muito remota, quando parte do globo terrestre esteve coberto por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram indefesos, por não se adaptarem às condições do clima hostil.
Foi então que um grande número de porcos-espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começou a se unir, a juntar-se mais e mais. Assim, cada um podia sentir o calor do corpo do outro.
E todos juntos, bem unidos, agasalhavam-se mutuamente, aqueciam-se, enfrentando por mais tempo aquele inverno tenebroso.
Porém, vida ingrata, os espinhos de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhes forneciam mais calor, aquele calor vital, questão de vida ou morte.
E afastaram-se, feridos, magoados, sofridos.
Dispersaram-se, por não suportarem mais tempo os espinhos dos seus semelhantes. Doíam muito...
Mas, essa não foi a melhor solução: afastados, separados, logo começaram a morrer congelados.
Os que não morreram voltaram a se aproximar pouco a pouco, com jeito, com precauções, de tal forma que, unidos, cada qual conservava uma certa distância do outro, mínima, mas o suficiente para conviver sem ferir, para sobreviver sem magoar, sem causar danos aos outros.
Assim suportaram-se, resistindo à longa era glacial.
Sobreviveram...

Autor desconhecido

Amigos, o livro mais sábio que existe é o livro da vida. E uma das lições mais profundas e sérias que há neste livro é aquela que nos desperta para a essencialidade da vida coletiva.
O sucesso ou insucesso de cada um de nós é responsabilidade de todos.
A vaidade de acharmos que não necessitamos dos outros é sinal grave de enfermidade moral. Por mais competente que alguém seja, ele só persiste porque há outros que lhe dão espaço e atenção para mostrar seu valor.
Não esqueçamos que sem alunos não existe professor, que sem doentes não existe médico, sem os representados não existe advogado, sem o povo não existiriam juízes, promotores, políticos, governantes, etc...
Precisamos uns dos outros. Aliás, a sociedade humana somente avançou e acelerou seu progresso quando começamos a viver em comunidade, suprindo uns as deficiências e fragilidades dos outros. Deixemos de lado o orgulho, a vaidade, o narcisismo e o personalismo.
Mesmo que determinado alguém tenha dinheiro sobrando, saúde prá dar e vender, beleza de “fechar o trânsito”, poder para passar por cima de qualquer um e sucesso que o faça “superstar”, nada será esse alguém se não houver, do outro lado da linha da comunicação, o próximo que justifique a existência de quaiquer valores morais ou materiais.
Se algo somos, é porque os outros existem e nos auxiliam a seguir adiante. E somente alcançaremos paz, felicidade e bem-estar quando passarmos a viver esse básico fundamento da vida.
Aprender a lidar com os espinhos e buscar neles a importância e a força par vencermos todos os obstáculos.
Pensemos muito bem nisso ...

Joamar Zanolini Nazareth

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Entrevistando Deus


Sonhei que eu tinha uma entrevista com Deus.
”Então você gostaria de me entrevistar?" Deus perguntou.
”Se VOCÊ tiver tempo," eu disse.
Deus sorriu.
”Meu tempo é a eternidade; que perguntas você tem em mente para me fazer?”
“O que na humanidade mais surpreende VOCÊ?..."
Deus respondeu...
”Que eles ficam entediados com a infância - se apressam em crescer e depois desejam ser crianças novamente.
Que eles perdem sua saúde para ganhar dinheiro e em seguida perdem o dinheiro para recuperar sua saúde.
Que eles pensam ansiosamente sobre o futuro e se esquecem de viver o presente, de tal forma que não vivem nem o presente nem o futuro.
Que eles vivem suas vidas como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido..."
As mãos de Deus tocaram as minhas, ficamos em silêncio por um momento e então eu perguntei...
”Sendo um pai, quais lições de vida você quer que seus filhos aprendam?"
Deus respondeu com um sorriso:
"Aprendam que eles não podem fazer ninguém os amar.
O que eles podem fazer é se deixarem ser amados.
Aprendam que o que é mais valioso não é o que eles têm em suas vidas, mas QUEM eles têm em suas vidas.
Aprendam que não é bom compararem-se uns aos outros.
Aprendam que uma pessoa rica não é aquela que tem o máximo, mas sim aquela que precisa do mínimo.
Aprendam que leva apenas uns poucos segundos para abrir feridas profundas na pessoa que se ama, e que pode levar muitos anos para curá-las
Aprendam a perdoar praticando o perdão.
Aprendam que existem muitas pessoas que as amam muito, mas simplesmente não sabem como expressar ou mostrar seus sentimentos.
Aprendam que dinheiro pode comprar tudo, exceto felicidade!
Aprendam que duas pessoas podem olhar para a mesma coisa e vê-la de maneira diferente.
Aprendam que um amigo verdadeiro é alguém que sabe tudo sobre eles e gosta deles mesmo assim.
Aprendam que não é suficiente que eles sejam perdoados, mas que perdoem a si mesmos e que aprendam a perdoar.
E aprendam que Eu estou aqui....
SEMPRE!"

Autor Desconhecido

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O Dia...


O dia mais belo: hoje
A coisa mais fácil: errar
O maior obstáculo: o medo
O maior erro: o abandono
A raiz de todos os males: o egoísmo
A distração mais bela: o trabalho
A pior derrota: o desânimo
Os melhores professores: as crianças
A primeira necessidade: comunicar-se
O que traz felicidade: ser útil aos demais
O pior defeito: o mau humor
A pessoa mais perigosa: a mentirosa
O pior sentimento: o rancor
O presente mais belo: o perdão
o mais imprescindível: o lar
A rota mais rápida: o caminho certo
A sensação mais agradável: a paz interior
A maior proteção efetiva: o sorriso
O maior remédio: o otimismo
A maior satisfação: o dever cumprido
A força mais potente do mundo: a fé
As pessoas mais necessárias: os pais
A mais bela de todas as coisas: O AMOR!!!

Madre Tereza de Calcutá

domingo, 9 de setembro de 2012

Uma Lição De amor


Corri ao mercado para comprar uns presentinhos, que eu não havia conseguido comprar antes.
Quando eu vi todas aquelas pessoas no mercado, comecei a reclamar comigo mesma: Isto vai demorar a vida toda, e eu ainda tenho tantas coisas para fazer, outros lugares para ir.
Como eu gostaria de poder apenas me deitar, dormir e só acordar após tudo isso.
Sem notar, eu fui andando até a seção de brinquedos, e lá eu comecei a bisbilhotar os preços, imaginando se as crianças realmente brincam com esses brinquedos tão caros.
Enquanto eu olhava a seção de brinquedos, eu notei um garoto de mais ou menos 5 anos que pressionava uma boneca contra o peito. Ele acarinhava o cabelo da boneca e olhava tão triste, e fiquei tentando imaginar para quem seria aquela boneca que ele tanto apertava.
O menino virou-se para uma senhora próximo à ele e disse:
Vovó, você tem certeza que eu não tenho dinheiro suficiente para comprar esta boneca?
A senhora respondeu:
Você sabe que o seu dinheiro não é suficiente, meu querido! E ela perguntou ao menino, se ele poderia ficar ali olhando os brinquedos por 5 minutos, enquanto ela iria olhar outra coisa.
O pequeno menino estava segurando a boneca em suas mãos.
Finalmente eu comecei a andar em direção ao garoto e perguntei para quem ele queria dar aquela boneca.
E ele respondeu: "Esta é a boneca que a minha irmã mais adorava, e queria muito ganhar.
Ela estava tão certa que o Papai daria esta boneca para ela este ano.
"Eu disse: "Não fique tão preocupado, eu acho que ele irá dar a boneca para sua irmã."
Mas ele triste me disse: "Não, o Papai não poderá levar a boneca onde ela está agora.
Eu tenho que dar esta boneca pra minha mãe, assim ela poderá dar a boneca à minha irmã, quando ela for lá.
" Seus olhos se encheram de lágrimas enquanto ele falava: "Minha irmã teve que ir embora para sempre.
O papai me disse que a mamãe também irá embora para perto dela em breve.
Naquele momento meu coração parou de bater.
Aquele garotinho olhou para mim e me disse: "Eu disse ao papai para dizer a mamãe não ir ainda.
Eu pedi à ele que esperasse até eu voltar do mercado."
Depois ele me mostrou uma foto muito bonita dele rindo, e me disse: "Eu também quero que a mamãe leve esta foto, assim ela também não se esquecerá de mim.
O garotinho ficou olhando para a boneca com os olhos tristes e muito quietinho. Eu rapidamente procurei minha carteira e peguei algumas notas e disse para o garoto: "E se nós contássemos novamente o seu dinheiro, só para termos certeza de que você tem o dinheiro para comprar a boneca?"
Coloquei as minhas notas junto ao dinheiro dele, sem que ele percebesse, e começamos a contar o dinheiro.
Depois que contamos, o dinheiro iria dar para comprar a boneca e ainda sobraria um pouco.
E o garotinho disse: "Ontem antes de dormir eu pedi à Deus que fizesse com que eu tivesse dinheiro suficiente para comprar a boneca.
Ele me ouviu ...e eu também queria um pouco mais de dinheiro para comprar uma rosa branca para minha mãe, e Ele me deu dinheiro suficiente para comprar a boneca e a rosa branca. Você sabe, a minha mãe adora rosas brancas."
Uns minutos depois, a senhora voltou e eu fui embora sem ser notada.
Terminei minhas compras num estado totalmente diferente do que havia começado.
Entretanto não conseguia tirar aquele garotinho do meu pensamento.
Então lembrei-me de uma notícia no jornal local de dois dias atrás, quando foi mencionado que um homem bêbado numa caminhonete, bateu em outro carro, e que no carro estavam uma jovem senhora e uma menininha.
A criança havia falecido na mesma hora e a mãe estava em estado grave na UTI, e que a família havia decidido desligar as máquinas, uma vez que a jovem não sairia do estado de coma. E pensei, será que seria a família daquele garotinho?
Dois dias após meu encontro com o garotinho, eu li no jornal que a jovem senhora havia falecido.
Eu não pude me conter e sai para comprar rosas brancas fui ao velório daquela jovem .... Ela estava segurando uma linda rosa branca em suas mãos, junto com a foto do garotinho e com a boneca em seu peito. Eu deixei o local chorando, sentindo que a minha vida havia mudado para sempre...
O amor daquele garotinho por sua mãe e irmã continua gravado em minha memória até hoje.
É difícil de acreditar e imaginar que numa fração de segundos, um bêbado tenha tirado tudo daquele pequeno garotinho.
Preocupe-se um pouco com as outras pessoas, antes de sair dirigindo bêbado pelas ruas, e pegue as chaves daqueles que julgar necessário. Você estará salvando outras vidas e a sua vida também!

Autor desconhecido

sábado, 8 de setembro de 2012

A Herança


Um Cidadão Dos Anos 20 Recebeu Uma Convocação De Um Juiz De Uma Cidade Vizinha, Que Ficava A Cerca De 50km Do Lugar Onde Ele Residia.
O Cidadão Ficou Surpreso, E Ao Abrir A Convocação Ficou Ainda Mais Admirado.
Dizia Que Deveria Comparecer O Mais Urgente Ao Fórum Daquela Comarca, Pois Havia Ali Um Assunto De Grande Interesse Para Ser Tratado Com Ele.
Na Manhã Seguinte O Cidadão Selou O Seu Cavalo E Seguiu Viagem Para A Cidade Vizinha.
Lá Chegando, Foi Direto Ao Fórum. Teve De Esperar Um Pouco, Pois O Juiz Estava Ocupado.
Depois De Cerca De 1 Hora, Foi Convidado A Entrar Na Sala Do Juiz.
O Juiz Então Lhe Informou Que Recentemente Falecera Uma Pessoa Que Não Tinha Ali Nenhum Parente E Que No Testamento Mencionava Um Sobrinho, Ao Qual Deveria Pertencer Todos Os Seus Bens.
O Juiz Manda Chamar O Seu Assistente Para Que Abra O Cofre. Retira De Lá Uma Sacola Com Um Grande Volume Dentro Dela.
O Juiz Abre A Sacola E Revela Seu Conteúdo: Muitas Jóias, Colares, Anéis, Pérolas E Ouro. Era Um Verdadeiro Tesouro.
Tudo Isso Deveria Pertencer Agora Ao Cidadão. O Beneficiário Ficou Sem Palavras. Todo Aquele Tesouro Era Seu? Inacreditável.
Assinou Os Papéis Atestando Ter Recebido A Herança E Despediu-Se Agradecido Do Juiz.
O Juiz, No Entanto, Lhe Disse Que Havia Mais Uma Coisa A Ser Entregue.
O Que? Pensou O Herdeiro. Mais Ainda? Foi Quando O Assistente Do Juiz Entrou Na Sala Com Um Pequeno Cachorrinho.
Também O Cachorrinho Era Parte Da Herança. O Herdeiro Não Gostou Nada Do Cachorrinho, Aliás, Nunca Gostara De Cachorrinhos.
Por Isso, Disse Ao Juiz Que Agradecia Muito, Mas Não Queria Levar O Cachorrinho. Que O Cachorrinho Poderia Ser Dado A Qualquer Outra Pessoa..
O Juiz Lhe Advertiu Que A Vontade Do Falecido Era De Que Sem Levar O Cachorrinho Teria Que Devolver Também As Jóias.
Bem, Nesse Caso, Não Havia Outro Jeito. A Contragosto Puxou O Pequeno Animal Pela Cordinha Presa A Coleira. Chegando No Pátio, Amarrou A Sacola Cheia De Jóias Na Sela E Montou No Cavalo. O Cachorrinho Vinha Caminhando, Preso Pela Cordinha.
Cada Vez Que O Homem Olhava Para O Cachorrinho Via Algum Defeito Nele. Deveria Ser Pulguento, Quem Sabe Tem Sarna, Vermes, Vai Deixar Pelos Por Toda A Casa, E A Raiva, Será Que Não Está Raivoso? Foi Quando O Cachorrinho Parou E Começou A Latir Desesperadamente.
O Cidadão Puxava-O Pela Cordinha, Arrastando As Patinhas Do Animalzinho. E O Cachorrinho Continuava Latindo. Isso Irritou Muito Aquele Homem Que Soltou A Cordinha, Desceu Do Cavalo Ajuntou Umas Pedras E As Lançou No Cachorrinho.
Uma Delas Acertou O Animalzinho Que Machucado Fugiu Mata Adentro. Bem, Disse O Cidadão, Pelo Menos Me Livrei Desse Animal. Se Alguém Perguntar, Vou Dizer Que Fugiu.
Assim, Foi A Galope Para Sua Casa. Chegando Em Casa A Família Já O Avistou De Longe.
A Mulher E As Crianças Correram Ao Seu Encontro Para Saber As Novidades.
O Homem Então Contou Da Herança, Da Sacola Cheia De Jóias E Do Cachorrinho.
Contou Também Que A Certa Altura Do Caminho O Cachorrinho Começou A Latir Desesperadamente E Que Ele Irritado Jogou Pedras No Animal De Forma Que Ele Fugiu Pelo Meio Do Mato.
A Mulher Então Lhe Perguntou Pelo Saco De Jóias.
O Homem Disse, Que Estava Amarado Na Sela. Onde? Perguntou A Mulher. Aqui, Disse O Homem E Se Virou Na Sela, Mas Não Viu A Sacola.
Ele A Tinha Perdido Na Estrada. Foi Aí Que A Filhinha Lhe Disse:
- Pai, Vai Ver Que Foi Por Isso Que O Cachorrinho Latia Desesperado No Caminho.
Ele Queria Lhe Avisar Que A Sacola Havia Caído, Mas O Senhor Irritado Não Entendeu...
Assim Acontecesse Com Todos Que Subestimam Certos Valores Que Diante De Outros, Podem Não Ter Aquele Esperado Brilho.
Verdade não é ? na vida as vezes damos tanta importância aos bens, ao status, que esquecemes de nossa origem e até mesmo daqueles que contribuiram para nosso crescimento e sabedoria. Somos surdos diante da nossa arrogância...

Autor desconhecido