abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A Rosa Azul



Era uma vez, uma menina chamada Camila…
Ela tinha 14 anos e esperava com ansiedade a chegada dos seus 15 anos…
… porque os seus pais iam oferecer-lhe uma viagem num cruzeiro…
Chegou o grande dia!
Muito emocionada, despediu-se de seus pais e entrou no navio.
Depois de instalada, foi dar um passeio pelo cruzeiro, quando se interceptou com o rapaz mais bonito que alguma vez havia visto…
-Ele perguntou: Como te chamas?
-Ela respondeu: Camila
-Ele disse: Muito prazer, Camila, chamo-me Raul.
Ao final do dia Camila foi para o camarote descansar.
Quando acordou, encontrou debaixo da porta uma rosa azul…
E um bilhete que dizia…
“Para a miúda mais linda que meus olhos alguma vez viram”
De Raul.
Com tanta emoção, saltou e pulou dentro do camarote!
Quando Camila se dirigiu ao salão principal, lá estava Raul! Passaram todo o dia juntos e no final da noite, Raul acompanhou Camila a seu camarote e despediu-se com um beijo…
Assim se passaram 6 dias e cada vez que Camila se levantava, encontrava uma rosa azul…
Chegou o ultimo dia do cruzeiro, Camila estava muito emocionada porque ia dançar a valsa com Raul, e nunca mais o iria voltar a ver…
Quando tudo terminou, Raul e Camila subiram ao quarto…
Camila segura de seu amor por Raul entregou-se de corpo e alma…
E entregou uma das preciosidades mas importantes de sua vida:
“SUA VIRGINIDADE”
No outro dia Camila acordou e não encontrou Raul, nem uma rosa azul, mas sim um cofre de prata…
…com umas flores azuis talhadas, e uma nota que dizia:
“Foi uma noite maravilhosa, por favor abre este cofre só quando estiveres em casa”
Raul.
Quando Camila chegou a casa, abraçou seus pais e imediatamente correu para seu quarto abrir o cofre de Raul…
Ao abrir o cofre, uma lágrima rolou seu rosto…
Era uma rosa negra e murcha….
Ao lado da flor havia uma nota que dizia:
“BEM VINDA AO MUNDO DA AIDS”
CUIDA-TE MUITO!!!
É especial para a sua família e para mim…
Surpreendidos!?!?!...
Tu decides se reenvias a todos os teus contactos, ou se guardas para ti…
Adeus!!
Cuida-te muito, é sério, não acontece só aos outros!!
Tem cuidado com quem te envolves!!

Autor desconhecido

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

As Cores Dos Amigos


Amigos são "cores", cada qual com seu matiz, e um jeito sempre muito marcante.
Há o Amigo "cor verde" : é aquele que em tudo ressalta a beleza da Vida e põe esperança nela.
Ele nos ergue !
Há o Amigo "cor azul" : ele sempre traz palavras de paz e de serenidade,
dando-nos a impressão, ao ouvi-lo, de que estamos em contato direto com o céu ou com o profundo azul do mar.
Ele nos eleva !
Há o Amigo "cor amarela" : ele nos aquece, assim como o sol;
faz-nos rir, sorrir e enxergar o amarelo brilho das estrelas bem ao alcance das nossas mãos.
Há o Amigo "cor vermelha" : é aquele que domina as regras de viver, é como nosso sangue.
Ele acusa perigos, mas nunca nos abala a coragem. É pródigo em palavras apaixonadas e repletas de caloroso amor.
Há o Amigo "cor laranja" : ele nos traz a sensação de vigor, saúde,
enriquece nosso espírito com energias que são verdadeiras vitaminas para o nosso crescimento.
Há o Amigo "cor cinza" : ele nos ensina o silêncio, a internalização e o autoconhecimento.
É um indutor a pensamentos e reflexões. Ajuda-nos a nos aprofundarmos em nós mesmos.
Suas palavras têm nobreza, autoridade e sabedoria.
Há o Amigo "cor roxa" : ele traz à tona nossa essência majestosa, como a dos reis e dos magos.
Há o Amigo "cor preta" : ele é mestre em mostrar nosso lado mais obscuro, com palavras geralmente duras,
atinge-nos sem "anestesia" e, com boas intenções, leva-nos a melhor considerar nossas atitudes perante a vida.
... E há o Amigo "cor branca" : esse nos revela verdades nascidas da vivência e da incorporação de conhecimentos.
Ele nos prova que, não só ele, mas também todos os outros, têm verdades aprendidas para partilhar conosco.
Eu desejo que sua vida, seja um grande arco-íris de Amigos!

Autor desconhecido

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Use Sua Taça De Cristal


Hoje existem edifícios mais altos e estradas mais largas,
Porém temperamentos pequenos e pontos de vista mais estreitos.
Gastamos mais, Porém desfrutamos menos.
Temos casas maiores, Porém famílias menores.
Temos mais compromissos, Porém menos tempo.
Temos mais conhecimentos, Porém menos discernimentoTemos mais remédios, Porém menos saúde.
Multiplicamos nossos bens, Porém reduzimos nossos valores humanos.
Falamos muito, amamos pouco e odiamos demais.
Chegamos à Lua, Porém temos problemas para atravessar a rua e conhecer nosso vizinho
Conquistamos o espaço exterior, Porém não o interior.
Temos dinheiro, porém menos moral . . .
É tempo de mais liberdade, Porém de menos alegrias . . .
Tempo de mais comida, Porém menos vitaminas...
Dias em que chegam dois salários em casa, Porém aumentam os divórcios.
Dias de casas mais lindas, Porém de lares desfeitos.
Por tudo isso, Proponho que de hoje e para sempre . . .
Você não deixe nada para uma ocasião especial , porque cada dia que você viver será uma ocasião especial.
Procure Deus... Conheça-o.
Leia mais, sente na varanda e admire a paisagem sem se importar com as tempestades.
Passe mais tempo com sua família e com seus amigos, coma sua comida preferida, visite os lugares que ama.
A vida é uma sucessão de momentos para serem desfrutados, não apenas para sobreviver.
Use suas taças de cristal, não guarde seu melhor perfume, é bom usá-lo cada vez que sentir vontade.
As frases:
Um desses dias , Algum dia , Elimine-as de seu vocabulário. Escreva aquela carta que pensava escrever Um desses dias .Diga a seus familiares e amigos o quanto os ama. Por isso não protele nada daquilo que somaria à sua vida sorrisos e alegria. Cada dia, hora e minuto são especiais . . . E você não sabe se será o último . . .

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Deus


Alguma vez sentiste o desejo de fazer uma coisa agradável por alguém a quem tens carinho?
É DEUS que te fala através do Espírito Santo.
Alguma vez sentiste tristeza e solidão, embora parecendo que alguém está ao teu lado?
É DEUS que te acolhe através de Jesus Cristo.
Alguma vez ao pensares em alguém que te é querido e não vês há muito tempo, acontece que de repente encontras essa pessoa?
É DEUS, porque o acaso não existe!
Alguma vez recebeste algo maravilhoso que nem tinhas pedido?
É DEUS que conhece bem os segredos do teu coração.
Alguma vez estiveste numa situação muito problemática sem teres a menor idéia de como resolver e de repente a solução aparece?
É DEUS que toma os nossos problemas nas Suas Mãos.
Alguma vez sentiste uma imensa tristeza na alma e de repente é como se um bálsamo fosse derramado e uma paz inexplicável invade teu ser?
É DEUS que te consola com um abraço e te dá esperança.
Alguma vez te sentiste tão cansado da vida, a ponto de querer morrer... e de repente um dia, sentes que tens força suficiente para continuar?
É DEUS que te carrega nos Braços e te dá descanso.
Tudo é melhor quando...
É DEUS QUEM ESTÁ À FRENTE DE TUDO!!!
Pensas que esta mensagem surgio por acaso?
Foi DEUS que tocou meu coração e me fez lembrar de ti. Não por ser uma pessoa amiga, ou mesmo colega, até um parente, mas porque és importante para DEUS e para mim e eu gosto muito de você!
Deixa DEUS tocar teu coração e te fazer enviar esta mensagem a todos os teus amigos, colegas, parentes e, até mesmo, para as pessoas que não são tão amigas assim, para umas que nem se pode chamar de colega, e para aquelas que tu nem chamarias de irmão.
Autor desconhecido

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Viver Não Dói


Viver Não Dói
Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.
Sofremos por quê?
Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Como aliviar a dor do que não foi vivido?
A resposta é simples como um verso:
"Se iludindo menos e vivendo mais"!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional.

Autor desconhecido

domingo, 25 de novembro de 2012

O Tempo Do Relógio


Vivemos atualmente tempos alucinantes, em que tudo se sucede de forma rápida e vertiginosa, sem termos tempo de assimilar e compreender verdadeiramente aquilo que se passa à nossa volta. Todos nos queixamos (uns mais do que outros) de que os dias não chegam para fazer tudo, de que nos falta sempre tempo para estarmos com quem mais gostamos, etc. etc. etc.
De fato, tudo e todos parecem-nos exigir não calma e ponderação, mas antes eficácia, rapidez e desembaraço. Se não vejamos: todos os dias temos de chegar a horas ao emprego ou à escola, temos de almoçar a determinadas horas, temos de chegar a casa a determinadas horas, temos de fazer o jantar para determinadas horas, temos de chegar ao cinema a determinadas horas, temos de ir às compras a determinadas horas, só nos poderemos divertir a determinadas horas, enfim os exemplos são inúmeros.
Por isso, hoje somos todos um pouco escravos do relógio, pois é um objeto sem o qual não passamos, que está presente em tudo quanto é sítio, que nos indica se estamos ou não atrasados para um determinado compromisso profissional, que nos indica se teremos ou não tempo para estarmos com aquela pessoa que já não víamos há muito tempo ou se ainda poderemos "dar um salto" no ginásio.
Se um extraterrestre nos viesse visitar talvez nos descrevesse como sendo criaturas irracionais e autênticas "baratas tontas", que passamos a vida a correr sem sabermos no fundo o que somos, o que queremos, para onde vamos.
Muitas vezes julgamos tudo saber, tudo controlar mas isso não é bem assim. A sociedade está organizada para que não tenhamos tempo para pensar, para refletir, para desenvolver uma postura crítica face às situações e circunstâncias da nossa vida quotidiana. Talvez isto interesse aos poderosos, aos governantes que assim vão tendo tempo para nos controlar com os seus esquemas e com os seus jogos do faz de conta ou do "olha para o que eu digo não olhes para o que eu faço".
Em jeito de conclusão e parafraseando o sábio Pitágoras podemos dizer que o homem só será "a medida de todas as coisas", quando deixar de ser escravo do relógio.
Aqui ficam allgumas frases célebres que podem complementar a nossa reflexão:
- As horas de loucura são medidas pelo relógio; mas nenhum relógio mede as de sabedoria (William Blake)
- A vida mede-se pela intensidade não pelo movimento do relógio (G.MacDonald)
- O coração é o relógio da vida. Quem não o consulta anda, naturalmente, fora do tempo (Machado de Assis)
- Os dias talvez sejam iguais para um relógio, mas não para um homem (Marcel Proust)
- A liberdade consiste em não usar relógio (Sofocleto)

Autor desconhecido

sábado, 24 de novembro de 2012

Lenço Amarelo


Era uma vez um jovem que se encontrava em um trem e mostrava-se muito ansioso, nervoso e caminhava de um lado para o outro.
Então um senhor que já a algum tempo o observava disse-lhe:
-- Rapaz, por que estás tão inquieto?
O rapaz respondeu:
-- Não adianta contar-lhe pois não podes me ajudar. E continuou ansioso, andando de um lado para o outro.
O senhor, mais uma vez tentou conversar com ele dizendo:
Meu rapaz, conte-me o que está te angustiando tanto. Talvez eu possa te ajudar.
Então o jovem falou:
-- Há muito tempo atrás deixei meu pai, minha casa e fui morar longe. Tentar uma vida independente, mas, agora resolvi voltar e então escrevi, pedindo para meu pai receber-me de volta e avisei-lhe que estaria nesse trem.
Se ele concordasse com minha volta, pedi que amarrasse um lenço amarelo em um galho bem alto da árvore que fica na frente da casa. Agora, o que está me angustiando é que estou chegando e tenho receio de que não tenha nenhum lenço, então saberei que ele não me perdoou e assim, seguirei em viagem.
O senhor, então lhe falou:
-- Fique tranqüilo que eu ficarei na janela e olharei prá você.
Quando se aproximou do lugar onde o rapaz morava, o senhor colocou-se na janela.
Passando o trem, o rapaz perguntou:
-- E então? Vês um lenço amarelo na árvore?
O homem respondeu:
-- Não. Eu não vejo um lenço amarelo... Mas, muitos lenços amarelos... Um em cada galho da árvore!!!

Moacir Simões

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Só Observando.


..

O padre de uma igreja decidiu observar as pessoas que entravam para orar.
A porta se abriu e um homem de camisa esfarrapada adentrou pelo corredor central.
O homem se ajoelhou, inclinou a cabeça, levantou-se e foi embora.
Nos dias seguintes, sempre ao meio-dia, a mesma cena se repetia.
Cada vez que se ajoelhava por alguns instantes, deixava de lado uma marmita.
A curiosidade do padre crescia e também o receio de que fosse um assaltante, então decidiu aproximar-se e perguntar o que fazia ali.
O velho homem disse que trabalhava numa fábrica, num outro bairro da cidade e que se chamava Jim.
Disse que o almoço havia sido há meia hora atrás e que reservava o tempo restante para orar, que
ficava apenas alguns momentos porque a fábrica era longe dali.
E disse a oração que fazia:
'Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar, mas eu penso em você todos os dias.
Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando.'
O padre, um tanto surpreso, disse que ele seria sempre bem-vindo e que viesse à igreja sempre que desejasse. 'É hora de ir' - disse Jim sorrindo.
Agradeceu e dirigiu-se apressadamente para a porta.
O padre ajoelhou-se diante do altar, de um modo como nunca havia feito antes.
Teve então, um lindo encontro com Jesus.
Enquanto lágrimas escorriam por seu rosto, ele repetiu a oração do velho homem...
'Vim aqui novamente, Senhor, só pra lhe dizer quão feliz eu tenho sido desde que nos tornamos amigos e que o Senhor me livrou dos meus pecados. Não sei bem como devo orar mas penso em você todos os dias...
Assim, Jesus, hoje estou aqui, só observando.'
Certo dia, o padre notou que Jim não havia aparecido.
Percebendo que sua ausência se estendeu pelos dias seguintes, começou a ficar preocupado. Foi à fábrica perguntar por ele e descobriu que estava enfermo.
Durante a semana em que Jim esteve no hospital, a rotina da enfermaria mudou. Sua alegria era contagiante.
A chefe das enfermeiras, contudo, não pôde entender porque um homem tão simpático como Jim não recebia flores, telefonemas, cartões de amigos, parentes... Nada!
Ao encontrá-lo, o padre colocou-se ao lado de sua cama. Foi quando Jim ouviu o comentário da enfermeira:
- Nenhum amigo veio pra mostrar que se importa com ele. Ele não deve ter ninguém com quem contar!!
Parecendo surpreso, o velho virou-se para o padre e disse com um largo sorriso:
- A enfermeira está enganada, ela não sabe, mas desde que estou aqui, sempre ao meio-dia ELE VEM! Um querido amigo meu, que se senta bem junto a mim, Ele segura minha mão, inclina-se em minha direção e diz:
'Eu vim só pra lhe dizer quão feliz eu sou desde que nos tornamos amigos. Gosto de ouvir sua oração e penso em você todos os dias.
Agora sou eu quem o está observando... e cuidando! '
Jesus é sempre o melhor amigo.
SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO OBSERVADO (a)!

Autor desconhecido

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Chuvas De Verão


Voce viu a chuva de ontem à tarde? Ela me fez pensar... Na minha vida e na sua. Ontem foi mais um belo dia de verão, decorado de luz, calor, cores... Borboletas vadiavam por entre flores de todos os matizes e passarinhos cantarolavam, rasgando os ares. Mas, de repente, nuvens escuras borraram o azul do céu e grossos pingos dágua surgiram dispostos a encerrar o espetáculo da Natureza em festa. O ar se fez abafado, o sol se perdeu nas nuvens, as flores desbotaram na sombra, as borboletas se esconderam... Mas, curiosamente, estranhamente, notei que os passarinhos, refugiados nas copas das árvores, continuavam cantando!
Quantas vezes, diante dos obstáculos naturais da existência, nós nos estendemos em longas lamentações ou num desânimo inútil e nocivo?...Ou nos perdemos a maldizer a vida, a reclamar da sorte, a condenar a Deus?...Abafamos o calor do nosso sorriso num semblante marcado, triste, destrutivo e auto-piedoso. Esquecemos entre as nuvens o sol da esperança, desbotando a própria personalidade nas sombras egoístas do "por que comigo"? Quando deveríamos entender que estamos na vida para vivê-la, fruindo suas alegrias, mas também passando por seus tropeços. Passando por eles, não estacionando neles! Bom seria que encarássemos a vida como as aves: percebendo os seus obstáculos como chuvas de verão! Entendendo que, mesmo escondido entre nuvens espessas, o sol radioso - esperança de dias melhores - continua a brilhar, inatingível! E que, mesmo que a chuva abençoada das privações nos impeça, por hora, os passeios habituais, convidando-nos à viagem para dentro de nós próprios, mais tarde tudo se modifica, o sol volta a reluzir, as borboletas ressurgem e a vida nos chama a vôos mais altos! Saibamos então cantar nos momentos chuvosos como nas tardes ensolaradas...Aprendamos que dificuldade é aprendizado, sofrimento é prova e dor é oportunidade de crescimento... Depende de nós! Cantemos à vida, sempre !
Autor desconhecido.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

ngO Taxista


Há vinte anos, eu ganhava a vida como motorista de táxi. Encontrei pessoas cujas vidas surpreenderam-me, enobreceram-me, fizeram-me rir e chorar.
Nenhuma tocou-me mais do que a de uma velhinha que eu peguei tarde da noite.
Era agosto.
Eu havia recebido uma chamada de um pequeno prédio de tijolinhos de quatro andares, em uma rua tranqüila de um subúrbio da cidade.
Quando eu cheguei às 02.30 horas da madrugada, o prédio estava escuro, com exceção de uma única lâmpada acesa numa janela do térreo. Assim fui até a porta e bati. "Um minuto", respondeu uma voz débil e idosa.
Uma octogenária pequenina apareceu. Ao seu lado havia uma pequena valise de nylon.
Toda sua mobília estava coberta por lençóis. Não havia relógios, roupas ou utensílios sobre os móveis.
Eu peguei a mala e caminhei vagarosamente para o meio-fio, ela ficou agradecendo minha ajuda.
Quando embarcamos, ela deu-me o endereço e pediu:
- O Sr poderia ir pelo centro da cidade?
- Não é o trajeto mais curto - alertei-a prontamente.
- Eu não me importo. Não estou com pressa, pois meu destino é um asilo de velhos. Eu olhei pelo retrovisor. Os olhos da velhinha estavam marejados, brilhando.
- Eu não tenho mais família - continuou - O médico diz que tenho pouco tempo.
Eu disfarçadamente desliguei o taxímetro e perguntei:
- Qual o caminho que a Sra. deseja que eu tome?
Nas duas horas seguintes circulamos pela cidade.
Ela mostrou-me o edifício que havia, em certa ocasião, trabalhado como ascensorista.
Nós passamos pelas cercanias em que ela e o esposo tinham vivido como recém casados em outros tempos, hoje um depósito de móveis, que havia sido um grande salão de dança que ela freqüentara quando mocinha.
De vez em quando, pedia-me para dirigir vagarosamente em frente a um edifício ou esquina - ficava então com os olhos fixos na escuridão, sem dizer nada. Quando o primeiro raio de sol surgiu no horizonte, ela disse de repente:
- Eu estou cansada. Vamos agora!
Viajamos, então, em silêncio, para o endereço que ela havia me dado.
Chegamos a uma casa de repouso. Dois atendentes caminharam até o taxi, assim que ele parou.
Eu abri a mala do carro e levei a pequena valise para a porta.
A senhora já estava sentada em uma cadeira de rodas.
- Quanto lhe devo? - ela perguntou, pegando a bolsa.
- Nada - respondi.
- Você tem que ganhar a vida, meu jovem.
- Há outros passageiros - respondi.
Quase sem pensar, eu curvei-me e dei-lhe um abraço. Ela me envolveu comovidamente.
- Você deu a esta velhinha bons momentos de alegria.
- Obrigado.
Apertei sua mão e caminhei no lusco-fusco da alvorada. Atrás de mim uma porta foi fechada...
Ao relembrar, não creio que eu jamais tenha feito algo mais importante na minha vida.
Nós estamos condicionados a pensar que nossas vidas giram em torno de grandes momentos.
Todavia, os grandes momentos freqüentemente nos pegam desprevenidos e ficam maravilhosamente guardados em recantos que os outros podem considerar sem importância.

"AS PESSOAS PODEM NÃO SE LEMBRAR EXATAMENTE O QUE VOCÊ FEZ, OU O QUE VOCÊ DISSE MAS ELAS SEMPRE LEMBRARÃO DE COMO VOCÊ AS FEZ SENTIR"

Autor desconhecido.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

A Bomba D’água


Um homem estava perdido no deserto, prestes a morrer de sede…
Quando, esgotado, chegou a uma construção velha, desmoronando, sem janelas e sem teto. Andou por ali e encontrou uma pequena sombra onde se acomodou, fugindo do calor do sol.
Olhando ao redor, viu uma velha bomba d’água, bem enferrujada.
Ele se arrastou até a bomba, agarrou a manivela e começou a bombear, bombear, bombear sem parar.
Nada aconteceu…
Desapontado, caiu prostrado, para trás.
Então notou que ao seu lado havia uma velha garrafa.
Limpou-a, removendo a sujeira e o pó, e leu um recado que dizia:
"Meu Amigo, você precisa primeiro preparar a bomba derramando nela toda a água desta garrafa."
"Depois faça o favor de encher a garrafa outra vez, antes de partir, para o próximo viajante."
O homem olhou bem e, de fato, lá estava a água.
A garrafa estava quase cheia de água!
De repente, ele se viu num dilema.
Se bebesse aquela água, poderia sobreviver.
Mas se despejasse toda aquela água na velha bomba enferrujada, e ela não funcionasse, morreria de sede.
Despejar a água na velha bomba e esperar vir a ter água fresca… Que fazer?
Ou beber a água da garrafa e desprezar a mensagem?
Com relutância, o homem despejou toda a água na bomba.
Em seguida, agarrou a manivela e começou a bombear…
A bomba pôs-se a ranger e chiar, mas nada aconteceu! E a bomba foi rangendo e chiando. Então, surgiu um fiozinho de água, depois um pequeno fluxo e, finalmente, a água jorrou com abundância!
Para alívio do homem a bomba velha fez jorrar água fresca, cristalina.
Ele encheu a garrafa e bebeu dela ansiosamente. Encheu-a outra vez e tornou a beber seu conteúdo refrescante.
Em seguida, voltou a encher a garrafa para o próximo viajante, acrescentando uma pequena nota:
"Creia-me, funciona. Você precisa dar toda a água antes de poder obtê-la de volta."
Moral da história: Quantas vezes temos medo de iniciar um novo projeto pois este demandará um enorme investimento de tempo, recursos, preparo e conhecimento. Quantos ficam parados, satisfazendo-se com pequenos resultados, quando poderiam conquistar significativas vitórias.
E você…??? O que falta para despejar esta garrafa de água que você guarda, e conseguir água fresca em abundância, de uma nova fonte ???.

Autor desconhecido

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Envelheço


Envelheço quando me fecho para as novas idéias e me torno radical...
Envelheço quando o novo me assusta e minha mente insiste no comodismo...
Envelheço quando meu pensamento abandona a casa e retorna sem nada...
Envelheço quando me torno impaciente, intransigente e não consigo dialogar...
Envelheço quando penso muito em mim mesmo e me esqueço dos outros...
Envelheço quando penso em ousar mas temo o preço da ousadia...
Envelheço quando permito que o cansaço e o desalento tomem conta da minha alma...
Envelheço quando tenho chance de amar mas vence o medo de arriscar...
Envelheço quando paro de lutar...

Autor desconhecido

A Vida? o que é o que é?
Eu fico Com a pureza Da resposta das crianças
É a vida, é bonita E é bonita...
Viver! E não ter a vergonha De ser feliz
Cantar e cantar e cantar A beleza de ser Um eterno aprendiz...
Ah meu Deus! Eu sei, eu sei Que a vida devia ser Bem melhor e será
Mas isso não impede Que eu repita É bonita, é bonita E é bonita...
E a vida!
E a vida o que é? Diga lá, meu irmão
Ela é a batida De um coração Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!...
E a vida Ela é maravilha Ou é sofrimento?
Ela é alegria Ou lamento?
O que é? O que é? Meu irmão...
Há quem fale Que a vida da gente É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo Que nem dá um segundo...
Há quem fale Que é um divino Mistério profundo
É o sopro do criador Numa atitude repleta de amor...
Você diz que é luxo e prazer Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer Pois amada não é E o verbo é sofrer...
Eu só sei que confio na moça E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida Como der, ou puder, ou quiser...
Sempre desejada Por mais que esteja errada Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte...
E a pergunta roda E a cabeça agita
Eu fico com a pureza Da resposta das crianças
É a vida, é bonita E é bonita...

Gonzaguinha Composição: Gonzaguinha

domingo, 18 de novembro de 2012

O Vendedor De Balões


Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse.
Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.
Havia ali perto um menino negro.
Estava observando o vendedor e, é claro apreciando os balões.
Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco.
Todos foram subindo até sumirem de vista.
O menino, de olhar atento, seguia a cada um.
Ficava imaginando mil coisas...
Uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto.
Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou:
- Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?
O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:
- Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.

sábado, 17 de novembro de 2012

Um Copo De Leite


Um dia, um rapaz pobre que vendia mercadorias de porta em porta para pagar seus estudos, viu que só lhe restava uma simples moeda de dez centavos e tinha fome.
Decidiu que pediria comida na próxima casa. Porém, seus nervos o traíram quando uma encantadora mulher jovem lhe abriu a porta.
Em vez de comida pediu um copo de água. Ela pensou que o jovem parecia faminto e assim lhe deu um grande copo de leite.
Ele bebeu devagar e depois lhe perguntou?
- Quanto lhe devo?
- Não me deves nada - respondeu ela.
- Minha mãe sempre nos ensinou a nunca aceitar pagamento por uma oferta caridosa.
Ele disse:
- Pois te agradeço de todo coração. Quando Howard Kelly saiu daquela casa, não só se sentiu mais forte fisicamente, mas também sua fé em Deus e nos homens ficou mais forte.
Ele já estava resignado a se render e deixar tudo.
Anos depois essa jovem mulher ficou gravemente Doente.
Os médicos locais estavam confusos. Finalmente a enviaram a cidade grande, onde chamaram um especialista para estudar sua rara enfermidade.
Chamaram ao Dr. Howard Kelly para examina-lá, quando escutou o nome do povoado donde ela viera, uma estranha luz encheu seus olhos.
Imediatamente subiu do vestíbulo do hospital a seu quarto.
Vestido com a sua bata de doutor foi ver a paciente.
A reconheceu imediatamente. Retornou ao quarto de observação determinado a fazer o melhor para salvar aquela vida.
À partir daquele dia dedicou atenção especial aquela paciente.
Depois de uma demorada luta pela vida da enferma, ganhou a batalha.
O Dr. Kelly pediu a administração do hospital que lhe enviasse a fatura total dos gastos para aprova-lá. Ele a conferiu e depois escreveu algo e mandou entrega-lá no quarto da paciente.
Ela tinha medo de abri-la, porque sabia que levaria o resto da sua vida para pagar todos os gastos. Mas finalmente abriu a fatura e algo lhe chamou a atenção, pois estava escrito o seguinte:
Pago totalmente faz muitos anos com um copo de leite (assinado) Dr. Howard Kelly.
Lágrimas de alegria correram de seus olhos e seu coração feliz rezou assim:
Graças meu Deus por que teu amor se manifestou nas mãos e nos corações humanos.
"A CADA UM , SEGUNDO AS SUAS OBRAS"
"TUDO O QUE VOCÊ DÁ PARA O MUNDO, O MUNDO TE DEVOLVE"
É A MAIS PURA VERDADE....

Autor desconhecido

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A Tartaruga Tagarela


Era uma vez uma tartaruga que vivia num lago com dois patos, muito seus amigos. Ela adorava a companhia deles e conversava até cansar. A tartaruga gostava muito de falar. Tinha sempre algo a dizer e gostava de se ouvir dizendo qualquer coisa.
Passaram muitos anos nessa feliz convivência, mas uma longa seca acabou por esvaziar o lago. Os dois patos viram que não podiam continuar morando ali e resolveram voar para outra região mais úmida. E foram dizer adeus à tartaruga.
- Oh, não, não me deixem! Suplicou a tartaruga. - Levem-me com vocês, senão eu morro!
- Mas você não sabe voar! - disseram os patos. - Como é que vamos levá-la?
- Levem-me com vocês! Eu quero ir com vocês! - gritava a tartaruga.
Os patos ficaram com tanta pena que, por fim, tiveram uma idéia.
- Pensamos num jeito que deve dar certo - disseram - se você conseguir ficar quieta um longo tempo. Cada um de nós vai morder uma das pontas de uma vara e você morde no meio. Assim, podemos voar bem alto, levando você conosco. Mas cuidado: lembre-se de não falar! Se abrir a boca, estará perdida.
A tartaruga prometeu não dizer uma palavra, nem mexer a boca; estava agradecidíssima! Os patos trouxeram uma vara curta bem forte e morderam as pontas; a tartaruga abocanhou bem firme no meio. Então os patos alçaram vôo, suavemente, e foram-se embora levando a silenciosa carga.
Quando passaram por cima das árvores, a tartaruga quis dizer: "Como estamos alto!" Mas lembrou-se de ficar quieta.
Quando passaram pelo campanário da igreja, ela quis perguntar: "O que é aquilo que brilha tanto?" Mas lembrou-se a tempo de ficar calada.
Quando passaram sobre a praça da aldeia, as pessoas olharam para cima, muito espantadas.
- Olhem os patos carregando uma tartaruga! - gritavam. E todos correram para ver.
A tartaruga bem quis dizer: "E o que é que vocês tem com isso?"; mas não disse nada. Ela escutou as pessoas dizendo:
- Não é engraçado? Não é esquisito? Olhem! Vejam!
E começou a ficar zangada; mas ficou de boca fechada. Depois, as pessoas começaram a rir:
- Vocês já viram coisa mais ridícula? - zombavam.
E aí a tartaruga não agüentou mais. Abriu a boca e gritou:
- Fiquem quietos, seus bobalhões...!
Mas, antes que terminasse, já estava caída no chão. E acabou-se a tartaruga tagarela.
Moral da história: Há momentos na vida que é melhor ficar de boca fechada.

Autor desconhecido

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Pedra Preciosa


Um pesquisador de jóias e pedras preciosas estava viajando, como de costume em busca de algo novo.
Quando resolveu parar e pedir um copo de água em um casebre à beira da estrada.
Bateu à porta e uma mulher vestida com roupas bem surradas lhe atendeu.
Prontamente se dispôs a saciar sua sede.
O homem parado começou observar a pobreza da família e sentiu-se penalizado, pensou em ajudá-los…
Olhou em volta para tentar descobrir o que poderia fazer por eles;
Onde estaria a sua maior dificuldade ou necessidade para que pudesse fazer alguma coisa.
Foi então que algo curioso aconteceu!
Pouco mais adiante dele.
Brincando feliz no terreiro, estavam duas crianças sujas de terra dos pés à cabeça e rodando algo que lhes faziam muito feliz:
Uma velha e enorme pedra empoeirada…
O homem observou aquilo e achou interessante como duas crianças poderiam se divertir com algo tão peculiar.
Mas… Acabou notando que de peculiar alí não tinha nada, aquilo era nada mais nada menos, que uma enorme pedra preciosa que valia uma fortuna e eles inocentemente estavam jogando-a de um lado para outro no quintal.
Enquanto passavam necessidades imagine você o que com um pedacinho só daquela pedra poderiam suprir…
Aquela família precisava apenas de alguém que lhes ajudasse a perceber o valor daquilo…
E ali estava o homem, agora só dependia deles aceitar ou não, sua ajuda…
Conclusão:
Quantas preciosidades já tivemos em nossas mãos e nem soubemos reconhecer?
Quantas coisas e pessoas próximas de nós que nem notamos e nem dedicamos atenção?
Deixamos de viver…
Muitas vezes…
Porque não percebemos o que temos:
O dom maravilhoso da vida…
Da vida em Deus.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Para Que Gritar ?


Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos :
"Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas ?"
"Gritamos porque perdemos a calma", disse um deles.
"Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado ?", questionou novamente o pensador.
"Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça", retrucou outro discípulo.
E o mestre volta a perguntar :
"Então não é possível falar-lhe em voz baixa ?"
Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.
Então ele esclareceu :
"Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido ?"
O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito.
Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente.
Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância.
Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas ?
Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê ?
Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena.
Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram.
E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta.
Seus corações se entendem.
É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.
Por fim, o pensador conclui, dizendo :
"Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta".

Mahatma Gandhi

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Sexta Feira A Tarde


- Sexta feira a tarde saídeira De repente, você para tudo, e no meio da multidão, da maior agitação, descobre que está só. A cabeça parece girar, uma leve tontura toma conta de você.
Meu Deus quanta gente a minha volta e ao mesmo tempo ninguém. Olha minha agenda, repleta de nomes, mas nada representam, são nomes e pequenas histórias. Olha minha casa, as vezes parece um ringue, um campo de batalhas onde cada um luta para colocar o seu desejo, a sua vontade sobre os demais.
Cadê a tal felicidade? Onde esconderam a alegria? Por favor, alguém me diga onde o amor, aquele verdadeiro amor anda passando? Sexta feira, final de tarde e o mundo tão grande parece uma bolinha de gude, eu não posso tomar café da manhã, amanhã cedo em Paris, mesmo sabendo que o avião está lá no aeroporto...
Preciso urgentemente cuidar de mim, da minha vida, dos meus interesses, lutar mais, acreditar que a vida é a mais bela oportunidade que Deus nos deu para crescermos em todos os campos, isso me dá a certeza de que Deus quer que eu tenha tudo do bom e do melhor, então, o que falta? A resposta vem do meu eu interior que pede quase gritando para falar, parece que não tenho ouvido muito o meu "eu":
- Falta você aprender a distinguir o que é razão e o que é apenas emoção. As emoções, na maioria das vezes, nos conduzem a atitudes que nos machucam, nos impedem de crescer, de seguir adiante. O que fica parado neste mundo? Nada, nem as pedras! Então porque não usar a razão e ser feliz?
Pense, respire e pense, não tome atitudes precipitadas, não fale sim quando seu cérebro diz não, muito menos, diga não se a sua vontade interior grita sim. Não entre em conflito com você, respeite-se, ame-se, coloque-se no seu devido lugar, seu lugar é no topo, afinal de contas, você é muito importante, eu diria até, fundamental para o equílibrio do mundo. Acredite em você, eu acredito, Deus então, nem se fala!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Voem Juntos, Mas Nunca Amarrados


Conta uma velha lenda dos índios Sioux que, uma vez, Touro Bravo - o mais valente e honrado de todos os jovens guerreiros e Nuvem Azul, a filha do cacique e uma das mais formosas mulheres da tribo, chegaram de mãos dadas na tenda do velho feiticeiro da tribo e falaram:
Nós nos amamos e vamos nos casar.
E nos amamos tanto que queremos um feitiço, um conselho, ou um talismã. Alguma coisa que garanta que possamos ficar sempre juntos.
Que nos assegure que estaremos um ao lado do outro até a morte.
O velho sábio, ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse:
- Tem uma coisa a ser feita, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada. Tu, Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte dessa aldeia e, apenas com uma rede e tuas mãos, caçar o falcão mais vigoroso do monte e traze-lo com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
- E tu, Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono, onde encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com as tuas mãos e uma rede, deverás apanhá-la, trazendo-a viva.
Os jovens abraçaram-se com ternura, e logo partiram para cumprir a missão recomendada. No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves dentro de um saco. O velho pediu que, com cuidado, as retirassem.
Observou então que se tratava de belos exemplares.
- E agora, o que faremos? Perguntou o jovem. Nós as matamos e depois bebemos à honra de seu sangue ou as cozinhamos e depois comemos o valor da sua carne?.
- Não, disse o feiticeiro! Apanhem as aves e as amarrem entre si pelas patas, com essas fitas de couro. Quando estiverem amarradas, soltem-nas, para que voem livres... O guerreiro e a jovem fizeram o que lhes foi ordenado, e soltaram os pássaros...
A águia e o falcão tentaram alçar vôo, mas apenas conseguiram saltar pelo terreno. Minutos depois, irritadas pela incapacidade de voar, as aves jogavam-se uma contra a outra, bicando-se até se machucar.
- E o velho disse: jamais esqueçam o que estão vendo. Este é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão: se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, viverão arrastando-se e, cedo ou tarde, começarão a machucar-se mutuamente. Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos... Mas nunca amarrados...
Já parou para pensar quantas decisões você toma por dia? Muitas.
Somos obrigados diariamente a tomar decisões sobre coisas simples ou importantes que transformam a nossa vida.
Muitas vezes somos colocados numa grande "sinuca de bico" e ficamos meio que perdidos.
Se a decisão a ser tomada é complexa ou simples não importa, temos que aprender a decidir os rumos que a nossa vida terá que percorrer.
Para que isto ocorra com muita tranqüilidade, precisamos estar cientes do nosso verdadeiro papel e de nossa missão terrena, praticando um exercício mental, que consiste em estar livre para decidir conforme nossa essência e consciência.
Quando estamos com a mente clara e respeitamos a nossa maneira de ser, o mundo começa a entender melhor as nossas decisões.
Desta forma, poderemos ter uma vida mais tranqüila e feliz, simplificando as decisões e a maneira de conduzir os nossos horizontes de sucesso.

Autor desconhecido

domingo, 11 de novembro de 2012

A Vida Me Ensinou


A Vida me ensinou a compreender as pessoas, pois uma pessoa é Diferente da outra.
A Vida me ensinou a Respeitar os animais, eles fazem parte da nossa vida.
A Vida me ensinou que muitas vezes Amamos e não somos Amados na mesma proporção, mas Amar sempre vale a pena.
A Vida me ensinou a Cuidar da flor, ela é sensível e enfeita o mundo muitas vezes Cruel.
A Vida me ensinou a Estender a mão a quem Precisa, embora seja um inimigo.
A Vida me ensinou a Sorrir, embora esteja com Lágrimas nos olhos, o outro pode estar mais Triste do que eu.
A Vida me ensinou que o sofrimento nos faz mais Fortes e assim Compreender melhor o outro.
A Vida me ensinou que de cada pedra encontrada no Caminho, se faça uma escadaria para se chegar ao topo de mais uma Realização.
A Vida me ensinou que a Beleza esta no Coração e não na Aparência.
A Vida me ensinou a Compreender os infelizes que não Conhecem e nem sabem o que é o Amor.
A Vida me ensinou a Perdoar aqueles que não são Amigos, pois não sabem o significado de Amizade.
A Vida me ensinou que a Solidão é bom para refletir.
A Vida me ensinou que a essência da Vida é o Amor.

Autor Desconhecido.

sábado, 10 de novembro de 2012

O Tolo


O ato de parar e observar tudo que nos envolve, é um momento mágico de contemplação da vida, é um momento de inspiração para os nossos sonhos a serem realizados e é uma janela de esperança que abrimos todos os dias para um desejo maior: viver em paz.
Assim, todo o dia, abra bem os seus olhos para os sinais positivos que a vida lhe dá.
Veja a vida por um outro ângulo, mais puro, mais sincero e verdadeiro, resgatando assim, aquilo que há de melhor neste planeta, que é estar vivo e feliz...
Conta-se que numa pequena cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado de pouca inteligência, que vivia de pequenos biscates e esmolas.
Diariamente eles chamavam o bobo ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas, uma grande de um valor irrisório e outra menor, porem de grande valor.
Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.
Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos.
- Eu sei
- respondeu o não tão tolo assim, ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda...
Pode-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa.
A primeira: quem parece idiota, nem sempre é.
Dito em forma de pergunta: quais eram os verdadeiros tolos da história?
Outra conclusão: se você for extremamente ganancioso, acabará por estragar sua fonte de renda.
Mas a conclusão mais interessante, a meu ver é a percepção de que podemos estar bem mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.
Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas o que realmente somos!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Suas Atitudes


 

Onde você pretende chegar com suas atitudes e pensamentos atuais? Você anda com a luz ou com as trevas? É isto mesmo, eu pergunto porque um dia me perguntaram e eu todo pretensioso, orgulhoso, achei até uma ofensa a pergunta, afinal de contas eu fazia caridade, eu sempre fui um bom pai, bom marido, bom filho, bom vizinho, bom... A pessoa que me perguntou pediu que eu parasse o discurso e perguntou como andava a minha vida, se em casa havia harmonia, se os armários andavam cheios, se a conta no banco estava no azul, se havia reservas para as emergências, se havia diálogo com a esposa, com os filhos, quando foi a última visita ao vizinho mais próximo, quando foi a última comemoração em casa e que houve mais de 30 pessoas reunidas, como estava a saúde de cada familiar. Enquanto ele falava eu ia pensando e fazendo uma cara cada vez menos confiante...
Olha, eu descobri, naquele dia, que a minha vida não estava tão azul assim, e que a luz que só eu enxergava, estava meio apagada. O pior ainda estava por vir. Ele perguntou como era os meus pensamentos, se eu desejava o mal para quem me "fechava" no trânsito, mesmo que por instantes. Se eu falava palavrões normalmente, como coisa natural, se eu já havia cobiçado o cargo, o carro, e pior, a mulher de alguém??? Olha, que surra mental que eu levei...
Olhando me nos olhos, ele falou que toda a obra de Jesus não estava em poucas letras, ou no conhecimento de salmos, versículos e doutrinas, e sim, na prática diária dos seus ensinamentos, e nisso reside a verdadeira felicidade. Quando você faz as contas mentalmente e percebe que algo está errado e tem humildade para reconhecer que ainda não está nem perto da Luz, e pede ajuda para melhorar-se, tudo se renova, os vícios vão se tornando mais fáceis de serem vencidos, as coisas do mundo deixam de ter aquele brilho e você começa a conquistar tudo, eu disse TUDO, que você sonhou, dinheiro, paz, saúde, casamento feliz, família unida e até o que você nunca pensou em pedir. O segredo está na transformação real, verdadeira do seu eu, para uma nova pessoa, uma pessoa que ninguém precisa dizer que é da Luz, a Luz está no seu rosto.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Ser Feliz


"...Ser feliz é viver na plenitude do momento que passa. É libertar-se de um passado já morto e de um futuro inexistente, pois a única coisa que existe é o momento presente..."
"....Ser feliz é ser forte na renúncia. Mas a renúncia não deve ser apenas uma palavra, expressão de um conhecimento intelectual, ou teórico. A renúncia deve ser uma realidade que tem de ser experimentada. Renúncia é sinônimo de libertação..."
"...Ser feliz é não se apegar a coisa alguma deste mundo. Todo apego cria germe de futuro sofrimento..." "...Ser feliz é estar livre de todos os desejos. Se me sinto feliz no momento de satisfazer um desejo que me surge na mente, é porque naquele exato momento eu fico sem desejo. Porém, logo em seguida, a felicidade desaparece, porque surgem outros desejos em minha mente. E assim sucessivamente... Por maior que seja a minha capacidade de satisfazer os meus desejos, estes serão sempre superiores à capacidade de satisfazê-los..."
Autor desconhecido

Você sabia que existe um jeito muito fácil de ser feliz. É simplificando as coisas. Sabe aquela discussão boba e sem o menor valor com a mulher amada; deixe-a de lado. Sabe aquele problema que parece insolúvel; deixe o tempo se acomodar que as respostas irão fluir. Sabe aquele projeto que não deu certo, não fique se lamentando, outros mais virão pela frente. Assim é a nossa vida. Um dia vivemos a glória, no outro nem tanto. Mas pra que ficar esquentando a cabeça ou deixando que a ansiedade tome conta do seu pensamento, desperdiçando uma energia poderosa? Pra que ficar martelando sobre assuntos e coisas sem futuro, insistindo em razões sem sentido ou impróprias para a nossa essência. Assim, ao acordar pela manhã prometa a si mesmo: a partir de hoje irei usar a simplicidade com um grande instrumento em busca da minha felicidade. Faça isto e seja feliz!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Maior Inimigo


Por várias vezes procurei entender quem efetivamente seria o meu maior inimigo. Houve um tempo em que eu achava que as pessoas que eu não engolia é que eram meus maiores oponentes. Estava, equivocado. Eles, na realidade, são meus professores, de como não se deve fazer. Quem nós não conseguimos digerir, precisa ser entendido, porque, algumas vezes, nós mesmos somos os errados.
Certa vez, perguntei a uma pessoa que trabalha comigo:
- Quem é o seu maior inimigo?
Ela pensou um pouco e disse:
- Meu medo!
Fiquei surpreso com a pronta resposta. Não deixa de ser uma realidade, porém...
O medo nada mais é do que a composição e somatória de nossas fraquezas. Muito pouco para ser o nosso maior inimigo.
Quem seria, então, este personagem?
Depois de abandonar todas as religiões, aceitar que a vida precisa de uma filosofia para ser entendida, aplicada e que essa jamais controle nossas atitudes, descobri que EU SOU O MEU MAIOR INIMIGO.
É a mim que preciso vencer.
São meus defeitos que devo corrigir.
São minhas manias que tenho que entender e rever constantemente.
Nada em nossa vida é eterno. Portanto, a verdade de ontem está sob julgamento hoje.
Jamais devo me comportar com fanatismo exacerbado, pois a mutação é a realidade mais presente.
Permanecer estático significa regredir.
Jamais devo potencializar uma dor a ponto de torná-la sofrimento.
Jamais devo copiar qualquer coisa porque os parâmetros mudam a cada milésimo de segundo.
A verdade de ontem não serve mais para hoje.
Por esta razão, temos que ter sabedoria para vencermos nossos hábitos, vícios e manias.
O maior segredo, por conseguinte, é que os pais tenham competência para nos educar e jamais adestrar, porque aquele que tiver sido adestrado não saberá encarar as dificuldades da vida.
Para este, a vida se tornará uma droga. Faltará sentido para se viver e a droga vira -literalmente-, companheira dos adestrados.
Somos, sim, nossos maiores inimigos.


terça-feira, 6 de novembro de 2012

Enxugar Gelo


Confesso que a primeira vez que ouvi esta afirmação, sorri. A pessoa que usou a expressão estava exaltada e meu sorriso foi bastante inoportuno. Mas fui autêntico e natural em minha reação. Enxugar Gelo é uma tarefa impossível. É o mesmo que tentar dar um nó em pingo d’água.
A expressão serviu para quebrar o "gelo" do momento e a conversa ficou menos ácida. Pudemos respirar e entender que estávamos diante de um grande desafio:
Entender a mente de quem é fanático e que só segue regras.
É muito complicado querer encontrar bom senso em quem está cego, achando que sua verdade é a única e desta maneira desejar que todos se adaptem a ela; em todos os sentidos e com exclusividade.
Tentar mudar uma pessoa assim é, verdadeiramente, o mesmo que "Enxugar Gelo"...
Para que serve a vida se não evoluirmos? Para que serve o nosso dia se não for para nos policiarmos e darmos sentido às nossas atitudes? Para que serve o dia a não ser para aprendermos?
O mais importante do ato de viver é estarmos abertos ao aprendizado de cada segundo.
Precisamos sair de nosso meio, conviver com pessoas diferentes, dar espaço para o novo, escutar novos conceitos. Todavia, só poderemos aplicar aquelas verdades que nosso coração e nossa intuição determinarem.
Precisa entender bem quem tem o dom da palavra e a capacidade de influenciar nossas futuras decisões. Nossa evolução sempre será individual e a Terra SEMPRE SERÁ um planeta de desigualdades.
Desta forma, Enxugar Gelo passa a ter duplo sentido:
- Corresponde à nossa rigidez em não estarmos abertos ao novo.
- Define nossa pretensão de nos acharmos prontos para nunca mais precisarmos aprender.
A vida exige que estejamos próximos do caminho do meio em todas as nossas ações e pensamentos. Os extremos demonstram que nossa evolução estacionou.
Toda regra precisa ser revista de tempo em tempo. Nada é eterno e tudo se transforma conforme muda a energia do local e das pessoas. Quanto maior a velocidade com que os fatos são propagados, maior se torna a necessidade de nos adaptarmos a esta nova realidade.
Viver no e do passado nos deixa inertes, chatos e desprovidos da boa energia. Viver do futuro nos torna sonhadores, inconseqüentes e fora da realidade.
É preciso viver o presente.
Quem sabe um dia, próximo, alguma autoridade se dê conta de que nosso Código Penal é velho e ultrapassado e que os Fora da Lei são bem velozes. Que os nossos meninos de 14 anos são considerados inaptos para o trabalho correto, mas úteis para o tráfico de drogas...
O governo te subsidia ou sustenta e a gente fica em casa dormindo... Baita evolução. Estamos plantando uma excelente base para o futuro...
Que valores são estes e que governantes lúcidos temos se sua única preocupação é o voto?
O ser humano não é o que ele pensa que é. Não é a cultura que possui, mas é efetivamente o que realiza.
Ignorar isso é o mesmo que Enxugar Gelo.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Bagagem


Uma das pessoas que assisto, realinhando seus chakras para que mude a sua forma de ver a vida, um dia me disse:
"Você sabe que é muito difícil a bagagem que temos que carregar em nossas vidas", referindo-se aos problemas passados e suas notáveis conseqüências em nossos relacionamentos e colheitas.
Respondi:
Discordo de você quando deixa evidente que na vida precisamos levar a bagagem que não agrega mais valor... que dói, que machuca... não, não há bagagem pesada a ser levada. A vida e as experiências não têm peso... somos nós que insistimos em lhes dar.
Toda a emoção que colocamos em cada um dos episódios de nossa vida é o nosso Livre-Arbítrio que escolhe. Dar maior ou menor importância a um fato, evento passado... cabe exclusivamente a nós decidirmos o que fazer com ele. Manter a emoção do momento, boa ou ruim, insisto, cabe a nós a decisão de preservar ou de abandonar.
Alguns dizem:
"Deus quis assim"...
Não é correto. Deus não quer nada. Nós é que falamos e decidimos, portanto, afirmar isso é apenas uma fuga para a nossa incapacidade e/ou incompetência em mudarmos as nossas atitudes. É sempre mais fácil ficarmos em nossa zona de conforto. Desta forma, não há peso em nossas "bagagens" da vida. Há emoções e elas não possuem peso. Nossa necessidade de continuarmos como "coitadinhos" é que lhes atribui volume. É nossa falta de amor-próprio que nos deixa assim.
É o nosso quarto chakra desequilibrado que nos leva à situação de queremos afago, colo e nos sentirmos finalmente protegidos.
É a incapacidade de desafiarmos a nós mesmos que nos torna reféns de nossos problemas. É o medo, instalado pelos pais, educadores e que nos faz estacionar e nos impede de seguirmos em frente.
A vida é um processo eterno de evolução, livre de qualquer tipo de bagagem que tenha peso específico. Nós, infelizmente, em alguns momentos damos valor ao que nada vale.
Somos, portanto, os criadores de nossos problemas e também das soluções. Quem pode afirmar que as emoções que nutrimos foram colocadas por outras pessoas? Ninguém, pois cabe a nós aceitarmos aquela emoção ou não.
É mais cômodo, confortável até, achar que o outro me forçou a ser assim. Na realidade, nosso conforto e nossa covardia nos colocaram nesta posição.
A covardia nada mais é do que a corrupção da prudência. Aliás, em nosso país corrupção já esta se tornando motivação de gente "esperta"... Só falta acharmos bonito e nos tornamos um covarde corrupto com nossos valores internos.
Finalizando, em minha opinião, não há como transformamos problemas em fardos pesados ou falarmos "Seja como Deus quiser"...
O fardo de nossas memórias não tem peso e Deus não quer nada. Nós é que tornamos tudo complicado. Nós é que decidimos ficar com a emoção de nosso aprendizado. A dor é necessária, mas o sofrimento é opcional, portanto sem peso, sem bagagem. Deveremos ficar só com o aprendizado. Ele é leve, bonito e também é um grande mestre.

domingo, 4 de novembro de 2012

Caminhada


Às vezes nos sentimos meio perdidos,
Sozinhos e sentimos a necessidade de buscar novos Caminhos para nossas vidas...
Nessa caminhada, encontramos muitas pedras
Que lapidadas transformam-se em
Uma jóia preciosa: a experiência!
Encontraremos pessoas mais novas...
E com elas reaprenderemos a inocência perdida...
Encontraremos pessoas mais idosas...
E com elas aprenderemos a ser maduros...
Aprenderemos que o fogo que queima
Também esquenta as noites de frio...
Em algum momento nossa caminhada
Será interrompida e aprenderemos que foi apenas
Uma pausa para o descanso da alma...
Às vezes achamos que perdemos algumas pessoas,
Mais depois percebemos que elas é que nos perderam.
Sentiremos medo e solidão,
Mas encontraremos sempre a mão amiga
Daquele que foi crucificado por nós...
E se achamos que a caminhada é longa demais,
Temos a garantia do abraço sempre aconchegante
Daqueles que também dariam a vida por nós:
nossos pais.
Ao final desta grande caminhada que se chama VIDA,
Perceberemos que o que realmente importa
São aquelas coisas que podemos carregar
Dentro de nossos corações.
Portanto, guarde somente os bons sentimentos.
Assim chegaremos com o coração leve
E a mala cheia de boas lembranças...

Autor desconhecido

sábado, 3 de novembro de 2012

A Última Pedra



Gosto de uma música que Frank Sinatra
costumava cantar, My way.
O curioso é que só fui prestar atenção na letra dessa canção quando escrevia este texto.
Ela diz mais ou menos assim:
"Se eu acertei ou se errei, fiz isso da minha maneira".
Quando olho para trás, percebo que fiz muitas bobagens.
Acertei bastante, mas também errei bastante.
Quando olho para diante, tenho certeza de que vou acertar e errar bastante também.
É impossível acertar sempre.
Mas o importante é que não gastemos nosso tempo nem nossa energia nos torturando.
A autocrítica pelo que não deu certo, além de ser nociva para a saúde, faz que a gente perca os passarinhos que a vida nos oferece no presente.
Um dia destes, um dos meus filhos me perguntou por que eu tomei determinada decisão estúpida tempos atrás.
Respondi que me arrependia do que tinha feito, mas expliquei que, naquele momento, minha atitude me parecia lógica.
Se eu tivesse o conhecimento e a maturidade de hoje, certamente a decisão seria diferente.
Por isso é que lhe digo: não se torture por algo que não deu certo no passado
Talvez você tenha escolhido a pessoa errada para casar.
Talvez tenha saído da melhor empresa onde poderia trabalhar.
Talvez tenha mandado uma filha grávida embora de casa.
Não importa o que você fez, não se torture.
Apenas perceba, o que é possível fazer para consertar essa situação e faça. Se você sente culpa, perdoe-se.
E, principalmente, compreenda que agiu assim porque, na ocasião, era o que achava melhor fazer.
Há uma história de que gosto muito: um pescador chegou à praia de madrugada para o trabalho e encontrou um saquinho cheio de pedras.
Ainda no escuro começou a jogar as pedras no mar.
Enquanto fazia isso, o dia foi clareando até que, ao se preparar para jogar a última pedra, percebeu que era preciosa!
Ficou arrependido e comentou o incidente com um amigo que lhe disse:
– Realmente, seria melhor se você prestasse mais atenção no que faz, mas ainda bem que sobrou a última pedra!
Existem pessoas que não prestam atenção no que fazem e depois passam a vida inteira arrependidas pelo que não fizeram, mas poderiam ter feito, e se martirizam por seus erros.
Se você está agindo assim, deixo-lhe uma mensagem especial:
não gaste seu tempo com remorsos nem arrependimentos.
Reconheça o erro que cometeu, peça desculpas e continue sua vida.
Você ainda tem muitas pedras preciosas no coração:
muitos momentos lindos para viver
e muitos erros para cometer.
Aproveite as oportunidades e curta plenamente a vida.
Curta os passarinhos.
Eles são os presentes do universo para você!

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A Flor Azul


Eu estava correndo e de repente um estranho trombou em mim: - Oh, me desculpe por favor, foi a minha reação. E ele disse: - Ah, desculpe-me também, eu simplesmente nem te vi! Nós fomos muito educados um com o outro, aquele estranho e eu. Então, nos despedimos e cada um foi para o seu lado. Mais tarde naquele dia, eu estava fazendo o jantar e meu filho parou do meu lado tão em silêncio que eu nem percebi. Quando eu me virei, tomei o maior susto e lhe dei uma bronca. - Saia do meu caminho filho! E eu disse aquilo com certa braveza. E ele foi embora, certamente com seu pequeno coração partido. Eu nem imaginava como havia sido rude com ele. Quando eu fui me deitar, podia ouvir a voz calma e doce de Deus me dizendo: - Quando falava com um estranho, quanta cortesia você usou! Mas com seu filho, a criança que você ama, você nem sequer se preocupou com isso! Olhe no chão da cozinha, você verá algumas flores perto da porta. São flores que ele trouxe para você. Ele mesmo as pegou, a cor-de-rosa, a amarela e a azul. Ele ficou quietinho para não estragar a surpresa e você nem viu as lágrimas nos olhos dele. Nesse momento, eu me senti muito pequena. E agora, o meu coração era quem derramava lágrimas. Então eu fui até a cama dele e ajoelhei ao seu lado. - Acorde filhinho, acorde. Estas são as flores que você pegou para mim? Ele sorriu: - Eu as encontrei embaixo da árvore. Eu as peguei porque as achei tão bonitas como você! Eu sabia que você iria gostar, especialmente da azul. Eu disse: - Filho, eu sinto muito pela maneira como agi hoje. Eu não devia ter gritado com você daquela maneira. - Ah mamãe, não tem problema, eu te amo mesmo assim! - Eu também te amo. E eu adorei as flores, especialmente a azul.

(Autor: Paspo )

Reflexão: Você já parou para pensar que, se morrermos amanhã, a empresa para qual trabalhamos poderá facilmente nos substituir em uma questão de dias. Mas as pessoas que nos amam, a família que deixamos para trás, os nossos filhos, sentirão essa perda para o resto de suas vidas. E nós raramente paramos para pensar nisso. Às vezes colocamos nosso esforço em coisas muito menos importantes que nossa família, que as pessoas que nos amam, e não nos damos conta do que realmente estamos perdendo. Perdemos o tempo de sermos carinhosos, de dizer um "eu te amo", de dizer um "obrigado", de dar um sorriso, ou de dizer o quanto cada pessoa é importante para nós. Ao invés disso, muitas vezes agimos rudemente, e não percebemos o quanto isso machuca os nossos queridos. Estejamos atenciosos com nossa família e com nosso trabalho, mantendo-os em boa harmonia sempre que possível.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O Mendigo


Um mendigo sentava-se na calçada, sempre num lugar por onde passavam muitas pessoas e ao lado colocava uma placa com os dizeres:
"Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado".
Alguns passantes olhavam intrigados, outros o achavam doido e outros até davam-lhe dinheiro.
Todos os dias, antes de dormir, ele contava o dinheiro e notava que a cada dia a quantia era maior. Numa bela manhã, um importante e arrojado executivo, que já o observava há algum tempo, aproximou-se e lhe disse:
"Você é muito criativo! Não gostaria de colaborar numa campanha da empresa?
Vamos lá. Só tenho a ganhar!", respondeu o mendigo.
Após um caprichado banho e com roupas novas, foi levado para a empresa.
Daí para frente sua vida foi uma seqüência de sucessos e a certo tempo ele tornou-se um dos sócios majoritários.
Numa entrevista coletiva à imprensa, ele esclareceu como conseguira sair da mendicância para tão alta posição. Contou ele:
Bem, houve uma época em que eu costumava me sentar nas calçadas com uma placa ao lado, que dizia: "Sou um nada neste mundo! Ninguém me ajuda! Não tenho onde morar! Sou um homem fracassado e maltratado pela vida! Não consigo um mísero emprego que me renda alguns trocados! Mal consigo sobreviver!" As coisas iam de mal a pior quando, certa noite, achei um livro e nele atentei para um trecho que dizia:
"Tudo que você fala a seu respeito vai se reforçando. Por pior que esteja a sua vida, diga que tudo vai bem. Por mais que você não goste de sua aparência, afirme-se bonito. Por mais pobre que seja você, diga a si mesmo e aos outros que você é próspero.
" Aquilo me tocou profundamente e, como nada tinha a perder, decidi trocar os dizeres da placa para: "Vejam como sou feliz! Sou um homem próspero, sei que sou bonito, sou muito importante, tenho uma bela residência, vivo confortavelmente, sou um sucesso, sou saudável e bem humorado.
" E a partir desse dia tudo começou a mudar, a vida me trouxe a pessoa certa para tudo que eu precisava, até que cheguei onde estou hoje.
Tive apenas que entender o Poder das Palavras.
O Universo sempre apoiará tudo o que dissermos, escrevermos ou pensarmos a nosso respeito e isso acabará se manifestando em nossa vida como realidade.
Enquanto afirmarmos que tudo vai mal, que nossa aparência é horrível, que nossos bens materiais são ínfimos, a tendência é que as coisas fiquem piores ainda, pois o Universo as reforçará.
Ele materializa em nossa vida todas as nossas crenças.
Uma repórter, ironicamente, questionou:
O senhor está querendo dizer que algumas palavras escritas numa simples placa modificaram a sua vida? Respondeu o homem, cheio de bom humor: "Claro que não, minha ingênua amiga! Primeiro eu tive que acreditar nelas!"