abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Amizade é...

Amizade, Não é receber, é dar.

Não é magoar, é incentivar.

Não é descrer, é crer.

Não é criticar, é apoiar.

Não é ofender, é compreender.

Não é humilhar, é defender.

Não é julgar, é aceitar.

Não é esquecer, é perdoar.

Amizade..

É simplesmente AMAR.

domingo, 29 de setembro de 2013

Carta de uma MÃE para sua FILHA

“Minha querida menina, no dia que você perceber que estou envelhecendo, eu peço a você para ser paciente, mas acima de tudo, tentar entender pelo o que estarei passando.

Se quando conversarmos, eu repetir a mesma coisa dezenas de vezes, não me interrompa dizendo: “Você disse a mesma coisa um minuto atrás”.

Apenas ouça, por favor.

Tente se lembrar das vezes quando você era uma criança e eu li a mesma história noite após noite até você dormir.

Quando eu não quiser tomar banho, não se zangue e não me encabule.

Lembra de quando você era criança eu tinha que correr atrás de você dando desculpas e tentando colocar você no banho?

Quando você perceber que tenho dificuldades com novas tecnologias, me dê tempo para aprender e não me olhe daquele jeito...

Lembre-se, querida, de como eu pacientemente ensinei a você muitas coisas, como comer direito, vestir-se, arrumar seu cabelo e lhe dar com os problemas da vida todos os dias...

O dia que você ver que estou envelhecendo, eu lhe peço para ser paciente, mas acima de tudo, tentar entender pelo o que estarei passando.

Se eu ocasionalmente me perder em uma conversa, dê-me tempo para lembrar e se eu não conseguir, não fique nervosa, impaciente ou arrogante.

Apenas lembre-se, em seu coração, que a coisa mais importante para mim é estar com você.

E quando eu envelhecer e minhas pernas não me permitirem andar tão rápido quanto antes, me dê sua mão da mesma maneira que eu lhe ofereci a minha em seus primeiros passos.

Quando este dia chegar, não se sinta triste.

Apenas fique comigo e me entenda, enquanto termino minha vida com amor.

Eu vou adorar e agradecer pelo tempo e alegria que compartilhamos.

Com um sorriso e o imenso amor que sempre tive por você, eu apenas quero dizer, eu te amo minha querida filha.”

sábado, 28 de setembro de 2013

Gente Fina... (Martha Medeiros)

Gente fina é aquela que é tão especial que a gente nem percebe se é gorda, magra, velha, moça, loira, morena, alta ou baixa.
Ela é gente fina, ou seja, está acima de qualquer classificação.
Todos a querem por perto.

Tem um astral leve, mas sabe aprofundar as questões, quando necessário. É simpática, mas não bobalhona.
É uma pessoa direita, mas não escravizada pelos certos e errados: sabe transgredir sem agredir.

Gente fina é aquela que é generosa, mas não banana.

Te ajuda, mas permite que você cresça sozinho.

Gente fina diz mais sim do que não, e faz isso naturalmente, não é
para agradar.

Gente fina se sente confortável em qualquer ambiente: num boteco de beira de estrada e num castelo no interior da Escócia.

Gente fina não julga ninguém - tem opinião, apenas.

Um novo começo de era, com gente fina, elegante e sincera.
O que mais se pode querer?

Gente fina não esnoba, não humilha, não trapaceia, não compete e, como o próprio nome diz, não engrossa.

Não veio ao mundo pra colocar areia no projeto dos outros.

Ela não pesa, mesmo sendo gorda, e não é leviana, mesmo sendo magra.

Gente fina é que tinha que virar tendência.

Porque, colocando na balança, é quem faz a diferença.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

SUCESSO "Trabalhe em algo que você realmente goste, e você nunca precisará trabalhar na vida"

"Trabalhe em algo que você realmente goste, e você nunca precisará trabalhar na vida" (autor desconhecido)

SUCESSO

Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, estou tentado acreditar que tenho sua licença para dar alguns.
Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja, aqui vão alguns, que julgo valiosos.
Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu ofício com todo o coração. Persiga fazer o melhor.
Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser nem um grande bandido, nem um grande canalha. Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham. Porque são incapazes de sonhar. E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma.
A propósito disso, lembro-me de uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse: -"Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo". E ela responde: -"Eu também não, meu filho". Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar e realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna.
Meu segundo conselho: Pense no seu País. Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si. Afinal é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem como bichos e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega a viver como Homem. Roubam, mas vivem uma vida digna de Odorico Paraguassu..
Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: "seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito"
É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito: É preferível o erro à omissão. O fracasso, ao tédio. O escândalo, ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer o remanso. Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido. Tendo consciência de que, cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma evolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e, caminhar sempre com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra. Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: eu não disse!, eu sabia! Toda família tem um tio batalhador e bem de vida. E, durante o almoço de domingo, tem que agüentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa.
Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar. Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam.
Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar. Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso.
Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio, que é a morada do demônio, e constrói prodígios.
O Brasil, este país de malandros e espertos, da vantagem em tudo, tem muito que aprender com aqueles trouxas dos japoneses. Porque aqueles trouxas japoneses que trabalham de sol a sol construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta, enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho. Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam.
Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as mesmas conversas, mas o tempo, que é mesmo o senhor da razão, vai bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão. E isso se chama sucesso.

Nizan Guanaes

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

A Religião que te faz melhor (Marcos Grignolli)

Conta-se que Leonardo Boff, num intervalo de uma conversa de mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, perguntou ao Dalai Lama: “Qual a melhor religião?” O teólogo esperava que ele dissesse: É o budismo tibetano. Ou são as religiões orientais, muito mais antigas que o cristianismo. Mas Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, e afirmou: “A melhor religião é a que mais te aproxima de Deus. É aquela que te faz melhor”. O teólogo brasileiro, então, perguntou: “O que me faz melhor?”

“Aquilo que te faz mais compassivo; aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado, mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião...”, sentenciou Dalai Lama.

Reproduzimos aqui esta história, por si só completa, para responder a amigos, leitores e, embora assim não os considere, “inimigos”. Isto porque, com mais de 210 mil visitas em menos de dois anos de existência, o blog passou a ser alvo de patrulhamento de companheiros espíritas e de críticas de pessoas que possuem crença diversa. De um lado, os seguidores do Espiritismo exigem que este espaço se preste à doutrinação e à discussão de temas particularmente caros aos frequentadores das casas espíritas. E, por outro lado, os detentores de outra convicção religiosa usam do espaço para comentários para, anonimamente, criticar e buscar “abrir os olhos” dos simpatizantes para os supostos “absurdos”, invariavelmente relacionados à crença da vida após a morte.

Há dias pensava em escrever sobre isto e buscarei ser breve, apenas no intuito de dar um singelo recado. Este espaço foi criado para levar consolo e entendimento a pessoas atingidas pela dor da perda; jamais para ser instrumento de conversão ou palco da defesa intransigente de convicções pessoais, mesmo que se fundem estas nos pilares do Espiritismo. Como regra, aliás, não promovemos a discussão estéril de temas notadamente espíritas (tão usuais), mas que não levam a nada.

Sites, listas de discussão e grupos espíritas tem o péssimo hábito de perder-se em temas abstratos, teóricos e desimportantes, como a reencarnação de Emmanuel; o caráter do Espiritismo como religião ou mesmo a identidade do espírito de André Luiz. E, embora reconheça o interesse de um grande número de amigos por assuntos desse tipo, garanto que jamais verão a repercussão de algo parecido neste blog. Simplesmente porque entendemos o espiritismo (e de resto todas as crenças) como uma coleção de regras de conduta e não como uma lista de dogmas a serem seguidos.

No relato acima, Dalai Lama foi ao centro da questão: a religião deve nos ser útil para a vida, promotora de melhorias em nossa alma. Por isto digo, também, aos supostos “adversários” : não haverá religião mais certa, mais errada, mas sim aquela que é mais adequada para as necessidades desta ou daquela pessoa. Se ela estiver promovendo a evolução moral, independente do nome que leve, será uma ótima religião. Como disse Kardec, “toda crença é respeitável quando conduz à prática do bem”. Ao contrário, se ela prega o sectarismo, a intolerância e a violência, é óbvio que ainda não cumpre adequadamente sua missão como religião.

Devemos nos esforçar para entender o sentido da vida, para nos tornarmos melhores; investirmos em tudo aquilo que nos faz mais compreensivos, mais sensíveis, mais amorosos, mais responsáveis. E, evidentemente, qualquer indivíduo pode alcançar este entendimento até mesmo sem religião, sem nem mesmo crer em Deus. Mas, de nossa parte, procuramos dentro de nós aquela religião que nos fale à alma, que nos console e que nos promova como espíritos imortais que somos. Sem teorias, sem sectarismo e, principalmente, sem nos acharmos detentores de toda a verdade.

Marcos Grignolli

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O difícil relacionamento humano (John Maxwel)

"Gente ferida fere outras pessoas com muita facilidade".

As pessoas com as quais você tem grande dificuldade de lidar, são também aquelas que podem ser os seus mais valiosos mestres.

Isso porque os problemas que você tem com elas não são necessariamente em função da maneira como essas pessoas são ou agem, mas sim, da maneira que você reage a elas.

Aprenda a lidar com pessoas difíceis e você irá aprender valiosas lições a respeito de si mesmo. Aprenda a se relacionar positivamente com pessoas difíceis e você irá desenvolver habilidades que podem muito lhe ajudar em muitas outras situações desafiadoras.

As pessoas são aquilo que são. Desista de tentar mudá-las, julgá-las ou condená-las e olhe pelo valor que elas podem oferecer. Algumas vezes esse valor é algo que está profundamente oculto e quando você o encontra você acaba descobrindo um tesouro preciosíssimo; algo que pouquíssimas pessoas investem um bom tempo em descobrir.

As pessoas com as quais você interage são espelhos que ajudam a ver algumas coisas dentro de você. Com algumas pessoas, esse espelho pode ser difícil de olhar, porém, quando você tem a coragem de fazê-lo, as recompensas podem ser maravilhosas.

Autor: John Maxwel.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Egoismo ou individualidade

A coisa mais comum é justificarmos nosso egoísmo falando em individualidade. Reis da barriga, levantamos a camisa e proclamamos a verdade natural “cada um que cuide do seu umbigo!”. Perfeito! Contudo, não é confundindo individualidade com egoísmo que exercemos nossa responsabilidade individual, muito pelo contrário, apenas fugimos dela.

Individualidade é sim verdade natural, mas egoísmo é escolha. É graças a nossa individualidade natural que podemos escolher entre egoísmo ou universalismo. Reflita: como “eu” poderia optar por cooperar ou competir com o “outro” se não tivesse consciência individual, consciência de “eu e outro”? Então, individualidade é fundamental pro jogo da responsabilidade, porém, não é o mesmo que egoísmo.

Individualidade é cada um no seu quadrado. Egoísmo é “meu quadrado primeiro, meu quadrado segundo, meu quadrado terceiro, meu quadrado quarto, meu quadrado quinto, meu quadrado sexto, meu quadrado sétimo, meu quadrado ad infinito”.

No futebol, por exemplo, cada um tem sua posição, seu quadrado. O goleiro joga no quadrado do gol, os zagueiros jogam no quadrado da defesa e os atacantes jogam no quadrado do ataque. Cada jogador joga (cuida) da melhor maneira possível do seu quadrado, mas cada um faz isto pro beneficio coletivo, do time. Por isto, quando vemos um jogador usando sua posição (individualidade) apenas pro beneficio individual, dizemos que tal jogador é “fominha”.

Eu admito que sou fominha! Admito que me dói profundamente perder, até pra quem eu digo que amo, minha esposa, meus familiares, meus amigos. Admito que gostaria que todas as pessoas (menos eu) fossem universalista pra cederem suas individualidades pra minha. Admito que uso o blablabla da individualidade pra justificar meu egoísmo. Admito que uso a teoria do universalismo pra fugir da prática do universalismo. Mas admito também que estou tentando desatrofiar esta capacidade de jogar por nós, tentando deixar de ser um jogador "fominha".
motiv
Admito que não é fácil, que sou viciado em egoísmo, que meu vicio sempre encontra uma maneira de se disfarçar de Jesus Cristo, mas que estou tentando.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - -
http://ferrarinanet.blogspot.com

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

5 lições sobre como tratar as pessoas

1 - Primeira lição importante - Senhora da limpeza

Durante o meu segundo ano no ensino superior, o nosso professor deu-nos um teste.

Eu era um aluno consciente e respondi rapidamente a todas as questões até ler a última:

"Qual é o nome da mulher que faz a limpeza na escola?"
Isto só podia ser uma brincadeira. Eu tinha visto a mulher da limpeza inúmeras vezes.
Ela era alta, cabelo escuro, por volta dos 50 anos, mas como poderia eu saber o nome dela?
Eu entreguei o meu teste, deixando em branco a última questão.

Mesmo antes da aula terminar, um dos estudantes perguntou se a última questão contava para nota.
"Sim!! Absolutamente," respondeu o professor. "Nas nossas carreiras iremos encontrar muitas pessoas. Todas são significativas. Elas merecem a nossa atenção e cuidado, mesmo que tudo o que façamos seja sorrir e dizer 'olá'."

Nunca esquecerei aquela lição. Também aprendi que o nome da senhora, era Dorothy.

2 - Segunda lição importante - Boleia na chuva

Uma noite, pelas 11:30 p.m., uma mulher de origem Africana, estava apeada numa auto-estrada do Alabama, tentando aguentar uma valente chuva torrencial. O carro dela tinha avariado e ela precisava desesperadamente de uma carona. Completamente encharcada, ela decidiu fazer stop ao carro que se aproximava. Um jovem, branco, decidiu ajudá-la, apesar de isto ser uma atitude destemida naqueles dias de racismo (década de 60). O homem levou-a até um lugar seguro, ajudou-a a resolver a sua situação e arranjou-lhe um táxi.

Ela parecia estar com muita pressa, mas mesmo assim tomou nota da morada do jovem e agradeceu-lhe.

Uma semana mais tarde batiam à porta do jovem. Para sua surpresa, uma televisão em cores era-lhe entregue à porta. Um cartão de agradecimento acompanhava a televisão.
Dizia:
"Muito obrigada por me ajudar na auto-estrada, na outra noite. A chuva não só encharcou a minha roupa, como o meu espírito. Foi então que você apareceu. Por sua causa consegui chegar ao meu marido antes de ele falecer. Que Deus o abençoe por me ter ajudado e ter servido outros de maneira tão altruísta.
Com sinceridade,
Mrs. Nat King Cole."

3 - Terceira lição importante - Lembre-se sempre daqueles que lhe servem

Nos dias em que um sorvete custava muito menos do que hoje, um rapazinho de 10 anos entrou no café de um hotel e sentou-se a uma mesa. Uma empregada de mesa trouxe-lhe um copo de água.
"Quanto custa um sorvete de taça?" perguntou o rapazinho.
"Cinquenta cêntimos," respondeu a empregada.
O rapazinho tirou do bolso uma mão cheia de moedas e contou-as.
"Bem, quanto custa um sorvete simples?" perguntou ele.
A esta altura já mais pessoas estavam à espera de uma mesa e a empregada começava a ficar impaciente.
"Trinta e cinco cêntimos," respondeu ela, com brusquidão.
O rapazinho contou novamente as suas moedas.
"Vou querer o simples." Respondeu ele.
A empregada trouxe o sorvete, colocou a conta em cima da mesa, recebeu o dinheiro do rapazinho e afastou-se.
O rapazinho terminou o seu sorvete e foi-se embora.
Quando a empregada foi levantar a mesa começou a chorar. Encima da mesa, colocado delicadamente ao lado da conta, estavam 3 moedas de cinco cêntimos...
Não sei se está percebendo: ele não podia comer o sorvete cremoso porque queria ter dinheiro suficiente para deixar uma gorjeta à empregada.

4 - Quarta lição importante - O obstáculo no nosso caminho

Em tempos antigos, um rei mandou colocar um enorme pedregulho num caminho. Depois escondeu-se e ficou vendo se alguém retirava a enorme pedra. Alguns dos comerciantes mais ricos do Rei passaram e simplesmente se afastaram da pedra, contornando-a. Alguns culpavam em alta voz o Rei por não manter os caminhos limpos. Mas nenhum fez nada para afastar a pedra do caminho.

Apareceu então um camponês, carregando um molho de vegetais. Ao aproximar-se do pedregulho, o camponês colocou o seu fardo no solo e tentou deslocar a pedra para a beira do caminho. Depois de muito empurrar, finalmente conseguiu. O camponês voltou a colocar os vegetais ás costas e só depois reparou num porta-moedas no local onde antes estivera a enorme pedra.

O porta-moedas continha muitas moedas de ouro e uma nota a explicar que o ouro era para aquele que retirasse a pedra do caminho. O camponês aprendeu aquilo que muitos de nós nunca compreendem:
Cada obstáculo apresenta uma oportunidade para melhorar a nossa situação.

5 - Quinta lição importante - Dar o quanto se precisa

Muitos anos atrás, quando eu trabalhava como voluntário num hospital, conheci uma pequena menina chamada Liz, que sofria de uma doença rara e muito grave. A sua única hipótese de salvamento parecia ser uma transfusão de sangue do irmão mais novo, de cinco anos, que já tinha tido o mesmo problema e sobrevivido milagrosamente, desenvolvendo anticorpos necessários para a combater. O médico explicou-lhe a situação da irmã e perguntou-lhe se ele estaria disponível para dar o seu sangue à sua irmã.
Eu vi-o hesitando, por uns instantes, antes de respirar fundo e dizer "sim, eu faço-o se isso a salvar."
À medida que a transfusão ia correndo, ele mantinha-se deitado ao lado da sua irmã, sorrindo. Todos nós sorríamos, vendo a cor a regressar à face da menina. Foi então que o menino começou a ficar pálido e o seu sorriso a desaparecer.
Ele olhou para o médico e perguntou-lhe, com a voz a tremer: "Será que eu começo a morrer já?".

Sendo muito jovem, o menino não compreendeu o médico; ele pensou que teria que dar todo o seu sangue à irmã para a poder salvar.

O mais importante................... "Trabalha como se não precisasse do dinheiro, ama como se nunca tivesse sido magoado, e dança como dança quando não há ninguém a observá-lo."

AUTOR DESCONHECIDO

domingo, 22 de setembro de 2013

A importância dos Amigos - Vinicius de Moraes

“Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles. A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade. E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências... A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar. Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, htremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida. Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo. Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer... Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!"

"A gente não faz amigos, reconhece-os."

(Vinicius de Moraes, músico e poeta)

sábado, 21 de setembro de 2013

Nosso Excessos - George Carlin

Nós bebemos demais, fumamos demais, nos expomos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito
cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.

Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos. Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos. Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos. Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas". Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa. Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Lembre-se de dar um abraço carinhoso num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer. Lembre-se de dizer "eu te amo" à sua companheira (o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame... Ame muito.

Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.
Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.

(George Carlin)

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O que você pode fazer para mudar o mundo?

- RODRIGO BENTES DINIZ -

Comece mudando a si mesmo. Ninguém muda o mundo se não consegue mudar a si mesmo ...

Cuide da Saúde do Planeta. Não desperdice água, não jogue lixo no lugar errado, não maltrate os animais ou desmate as árvores. Por mais que você não queira, se nascemos no mesmo planeta, compartilhamos com ele os mesmos efeitos e conseqüências de sua exploração...

Seja responsável: não culpe os outros pelos seus problemas, não seja oportunista, não seja vingativo. Quem tem um pouquinho de bom senso percebe que podemos viver em harmonia, respeitando direitos e deveres...

Acredite em um mundo melhor. Coragem, Honestidade, Sinceridade, Fé, Esperança são virtudes gratuitas que dependem de seu esforço e comprometimento com sua Honra e Caráter. Não espere recompensas por estas virtudes, tenha-as por consciência de seu papel neste processo...

Tenha Humildade, faça o Bem, trabalhe. Não tenha medo de errar, com humildade se aprende, fazer o bem atrairá o bem para você mesmo e trabalhando valorizarás o suor de teu esforço para alcançar seus objetivos...

Busque a Verdade, a Perfeição, uma posição realista frente aos obstáculos, uma atitude positiva diante da vida...

Defenda, participe, integre-se à luta pacífica pela Justiça, Paz e Amor. Um mundo justo é pacífico, e onde há paz pode-se estar preparado para viver um grande Amor..
.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Vivendo, Amando e Aprendendo

Tenho uma forte impressão de que o oposto do amor não é o ódio e sim a apatia. É não ligar a mínima. Se alguém odeia, tem de sentir alguma coisa a respeito de mim, do contrário não poderia odiar. Portanto, deve haver algum modo pelo qual eu me possa comunicar. Mas se eles nem sequer me vêem, estou liquidado, não há meio de eu chegar a eles. Se você não gostar do meio em que está, se estiver infeliz, se se sentir só, se achar que as coisas não estão acontecendo, mude de ambiente. Pinte um novo pano de fundo. Rodeie-se de novos atores. Escreva uma nova peça e, se ela não for boa, saia do palco e escreva outra. Há milhões de peças - tantas quantas são as pessoas.

- Leo Buscaglia, em Vivendo, Amando e Aprendendo

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Uma história sentimental

Conta uma escritora ter, como hábito, ler nos jornais o chamado Correio Sentimental. Feliz no casamento, o seu não é o propósito de encontrar um novo amor mas, simplesmente, ler por ficar fascinada por esses anúncios.

Certo dia, um desses lhe chamou a atenção de forma muito especial. Dizia: Henrietta. Lembra de termos namorado em 1938? Nunca me esqueci de você. Por favor, me telefone.Irving.

A curiosidade não a deixou em paz enquanto não tomou do telefone e ligou para Irving. A voz que atendeu era uma voz madura e, depressa, ela foi dizendo que não era Henrietta.

Porque mostrasse interesse, Irving contou que, em 1938, ele conhecera Henrietta e se haviam apaixonado. A família dela, contudo, achava que ela era muito nova para casar.

Por isso, logo mandaram a jovem para a Europa por alguns anos. Ela acabou casando com um outro homem que conheceu naquele continente.

Irving também se casara. Estava viúvo há 3 anos e só. Pensou que se Henrietta também estivesse só, talvez pudessem reatar aquele doce amor da juventude.

A escritora ficou muito comovida com a esperança que revelava aquele homem. Durante dois anos acompanhou as buscas por Henrietta, sem nenhum resultado.

Então, um dia, no ano de 1993, no metrô de Nova York, enquanto lia o Correio Sentimental, foi interrompida por uma voz feminina que perguntou: Procurando um novo marido, querida?

Não, respondeu. Leio por curiosidade. Nunca teve vontade de ler tais anúncios?

Absolutamente, disse a senhora. Acredito que há muito sofrimento nessas páginas.

A conversa evoluiu e a jornalista acabou por concordar com a desconhecida, que havia muito sofrimento naquelas páginas.

Contou-lhe, na seqüência, a história de Irving e Henrietta. Ao finalizar, falou:

Gostaria de dizer que Irving encontrou o seu amor. Infelizmente, isso não aconteceu. Ou ela morreu, ou mora em outra cidade ou então não lê o Correio Sentimental.

A mulher falou baixinho: É a terceira opção. Acredite, eu tenho certeza.

E logo em seguida: Você ainda tem o número do telefone?

E aquele rosto enrugado, revelando uma beleza que já não dispunha de brilho agora, iluminou-se quando a jornalista lhe entregou o número do telefone de Irving.

Henrietta fora encontrada.

* * *

A esperança se constitui em apoio dos fracos e dos fortes, dos pobres e dos ricos, dos poderosos e dos necessitados.

A esperança é uma mensageira divina que ante o ardor do verão, quando tudo resseca, fala com suavidade do outono que se avizinha.

Na doença, ela fala sobre as bênçãos da saúde, inspirando coragem.

Na soledade ou no abandono, ela faculta a ligação com Deus e sempre oferece uma palavra de bom ânimo.

A força da esperança é tão grande que vence o tempo. Vence também a morte porque descobre a imortalidade que fala dos afetos que, embora sem o corpo físico, vivem e continuam a amar
.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

RENOVE-SE

Claudio, um rapaz já de certa idade, pegou o ônibus e enquanto subia, um de seus sapatos se soltou e escorregou para o lado de fora. O ônibus saiu rapidamente, e a porta se fechou sem que houvesse chance de recuperar o sapato "perdido".

Imediatamente, Claudio retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.

Um rapaz no ônibus que observava a situação, sem poder ajudar perguntou:

- Desculpe perguntar, mas por que jogou fora seu outro sapato?

E Claudio respondeu:

- Pra que alguém o encontre e seja capaz de usá-los. Provavelmente apenas alguém realmente necessitado dará importância a um sapato usado encontrado na rua. E de nada lhe adiantará apenas um pé.

Quando desceu do ônibus em seu destino, Claudio buscou uma loja, e comprou um novo par de sapatos.



Durante nossa vida é inevitável perder coisas. Muitas vezes estas perdas são penosas e supostamente injustas, porém certamente necessárias para que coisas novas e melhores possam acontecer.

Jogue fora idéias, crenças, maneiras de viver ou experiências que não lhe acrescentam nada e lhe roubam atenção e energia. Aproveite e tire do seu "armário" aquelas coisas negativas que só lhe trazem tristezas, ressentimentos, mágoas e sofrimento.

O "novo" só pode ocupar espaço em nossas vidas quando o "velho" deixar de fazer parte dela.


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/amizade/mensagens-para-reflexao/?PHPSESSID=92f9a13d8f7f88f8e4a70884fe20e1bc#ixzz2c8POKk2h

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

MEU AMIGO(A)

Nada na vida é tão bom do que ter pessoas com quem se pode contar.

Aquelas que sempre que a gente precisar, vão estar por perto e com certeza irão ter aquela palavrinha de conforto.

Temos nossos pais é claro, mas existem outras pessoas que, não sei, parece ser mais fácil de compartilhar alguns assuntos, alguns momentos.

Essas pessoas são o que muitos dizer ser a família que nos permitiram escolher, ou seja, os amigos.

São com eles que aprendemos grandes lições, conquistamos muitos caminhos, enfrentamos inúmeros desafios, criamos coragem, começamos etapas na nossa vida.

São eles que estão por perto em determinados momentos onde ninguém mais poderia estar, a não ser eles.

Com os amigos, superamos barreiras, aprendemos a amar de uma forma diferente, de querer bem e estar bem.

Amigos são pessoas maravilhosas que por mais que apareçam os problemas, lá estão eles conosco, junto, passando por cima de tudo.

É lógico que nem todos os amigos são assim, afinal de contas, existem amigos e amigos.

Tem aqueles de determinadas horas, ocasiões, dias, épocas, enfim, existem vários tipos de amigos.

Mas o que cito aqui é o amigo você.

Aquele com quem me sinto bem quando estou por perto, aquele que me passa segurança apesar de as vezes não parecer.

Aquele que por mais que hajam brigas, sempre fica do lado quando precisa.

Aquele que de alguma forma não dá pra esquecer de jeito nenhum.

Aquele que esta junto nas horas mais importantes da minha vida.

Aquele com quem, a cada dia que passa, aprendo mais e me sinto muito melhor.

Aquele com quem quero estar para o resto de meus dias, mesmo que um dia eu vá para longe ou vice versa.

Aquele que sempre que acontece algo de novo, quero que seja a primeira pessoa a saber.

Aquele que, por mais que eu viva mil anos, jamais sairá da minha mente e principalmente do meu coração.

Aquele que eu gosto, que eu admiro, que eu confio, que eu ajudo quando precisa, que eu brigo quando a ou não motivos.

Aquele de quem eu nunca, nunquinha, vou esquecer.

Aquele que não importa a situação ou a hora em que me encontre, sabe que sempre vai poder contar comigo, para o que der e vier.

Aquele que eu simplesmente amo pelo fato de já fazer parte da minha vida e por me fazer ter vontade de continuar a viver, por mais que a vida pra mim já não signifique nada em alguns instantes, pois com você, a vida tem sentido e como já diria Shakespeare, me faz ver que eu tenho sentido diante da vida.

Não quero te perder, pois amigo como você, com certeza n%Einto bem quando estou por perto, aquele que me passa segurança apesar de as vezes não parecer.

Aquele que por mais que hajam brigas, sempre fica do lado quando precisa.

Aquele que de alguma forma não dá pra esquecer de jeito nenhum.

Aquele que esta junto nas horas mais importantes da minha vida.

Aquele com quem, a cada dia que passa, aprendo mais e me sinto muito melhor.

Aquele com quem quero estar para o resto de meus dias, mesmo que um dia eu vá para longe ou vice versa.

Aquele que sempre que acontece algo de novo, quero que seja a primeira pessoa a saber.

Aquele que, por mais que eu viva mil anos, jamais sairá da minha mente e principalmente do meu coração.

Aquele que eu gosto, que eu admiro, que eu confio, que eu ajudo quando precisa, que eu brigo quando a ou não motivos.
Aquele de quem eu nunca, nunquinha, vou esquecer.

Aquele que não importa a situação ou a hora em que me encontre, sabe que sempre vai poder contar comigo, para o que der e vier.

Aquele que eu simplesmente amo pelo fato de já fazer parte da minha vida e por me fazer ter vontade de continuar a viver, por mais que a vida pra mim já não signifique nada em alguns instantes, pois com você, a vida tem sentido e como já diria
Shakespeare, me faz ver que eu tenho sentido diante da vida.

Não quero te perder, pois amigo como você, com certeza não encontrarei ao atravessar a rua.

Um amigo que me faz ver tudo e todos de todas as formas.

Que me faz enxergar o que há de bom e que abre meus olhos para que eu não cometa delitos.

Um amigo assim não é todo mundo que tem.

Deus te pôs no meu caminho e não foi por acaso.

E agradeço sempre a Ele por isso, pela chance que me deu ao fazer com que você atravessasse meu destino, pois agora que você pisou nele, tenho certeza que tão logo não sairá e que ainda temos muito o que viver juntos.

Amigo é como bichinho doente, ou cuidamos com carinho, ou perdemos para sempre.

E prometo que tentarei ao máximo fazer com que isso não aconteça, mas se um dia acontecer, não se apavore, estarei do teu lado e em pouco tempo estaremos juntos novamente, e a cada dia minha existência terá mais valor com você a meu lado, pode estar certo disso.

Medo (Saul Brandalise Jr)

Eu tinha Medo do escuro até descobrir que ele fazia parte de minha ignorância.

Eu tinha medo de falar em público até descobrir que isso acontecia porque me preocupava muito com o que os outros iriam achar do meu conteúdo.

Eu tinha medo de altura. Não conseguia ficar firme em local alto. Isso até descobrir que eu me achava pequeno frente aos meus problemas. Altura é superação.

Eu tinha medo de filmes de terror até descobrir que eles se confundiam com a realidade de minhas palavras. Gostava muito de amedrontar as pessoas. Parei e este tipo de medo sumiu.

Eu tinha medo, mais que insegurança, de enfrentar situações que desconhecia. Mais tarde descobri que isso me foi colocado na mente por algumas pessoas e credos teológicos.

Eu tinha medo de ter medo. Descobri finalmente que ele nada mais é do que a manifestação da minha profunda insegurança. Aquela que todos temos, mas que insistimos em negar a sua existência.
Assim consegui combater o mal que o medo cria em nossa vida quando comecei a olhar para dentro de mim e fazer uma análise das causas e efeitos que ele acaba criando na nossa existência. O Medo aborta muitas coisas que podem nos deixar felizes antes mesmo de tentarmos.

O medo é o "cupim" de nossa alma. O lodo de nossa base. A goteira de nosso teto e o odor de nossa pele.

Para nós podermos identificar as causas e origens de nossos medos, precisa analisar de maneira atenta e sem "dogmas" quatro coisas:
1. As verdades de nossos familiares. - Você, eu, qualquer um de nós escolheu a família em que vive, portanto, as dificuldades fazem parte do aprendizado. Saber superar tudo isso é um ato de grandeza. A forma como somos educados, com mais, menos ou isenção de medo depende de nossos educadores.
2. As verdades de nossos amigos/professores. - Elas acabam fazendo parte de nossos valores quando as apreciamos. Portanto, temos que admitir que somos um pouco (muito) parecidos com o meio em que vivemos.
3. As verdades da empresa em que trabalhamos. - Por conforto, necessidade ou MEDO de desafiar normas e condutas ultrapassadas, nós nos adaptamos às muitas coisas que precisamos combater, alterar e mudar.
4. As verdades de nossa religião. Elas podem estar equivocadas para nós e temos que ter a coragem de experimentar o novo. A religião e a teologia nela inserida, com seus medos e dogmas, querem o controle de sua mente. A vida, para ser prazerosa, tem que ser aceita e entendida. Muito mais do que isso, desfrutada como um grande aprendizado.

Em outras palavras e falando francamente, precisamos DESTRUIR para CONSTRUIR. Temos que desafiar a mesmice de nossas vidas para podermos criar uma nova ação e fazer que esta atitude nos traga mais conhecimento. ..

Assim, como já afirmei nos dois textos anteriores sobre o mesmo assunto, o Medo nunca vem por um acaso. Ele, de alguma forma, foi instalado por alguém em nossos valores... E, uma vez feito isso, ele, o medo, começa a fazer parte de nossa vida. Ele é quem nos destrói a iniciativa, nos faz estacionar e nos coloca em decréscimo de colheitas.

Nada é tão nefasto para nossas futuras colheitas do que o sentimento de medo. Mas, fiquemos atentos, ele nunca é instalado por nós, mas sempre é Livre-Arbítrio deixar ele morando entre nossos valores internos, ou o descartando definitivamente de nossa vida. Em outras palavras: ele é consequência do despreparo de nossos educadores, mas não são eles que conseguem eliminá-lo da nossa vida. Como as nossas doenças têm origem em nossas emoções, é verdadeiro afirmar que o medo é o começo de todas elas.

Quando conseguimos parar o relógio de nossas atitudes sem analisarmos causa e efeito, e buscarmos entender o mal do medo em nossas vidas, começamos efetivamente a alterar o processo de felicidade em nossas vidas.

Ter medo de tomar atitudes significa estagnar o aprendizado de uma encarnação.
Pior que tudo isso é ter medo de eliminar o medo em nossas atitudes..
.

domingo, 15 de setembro de 2013

Se sua vida fosse um jardim, como cuidaria dele?

Imagine se a sua vida fosse um jardim, como você estaria cuidando dele? Estaria molhando as flores todos os dias? Estaria colocando fertilizantes nas plantas? Estaria impedindo o crescimento de ervas daninhas? Estaria admirando mais as flores que se abrem do que as pétalas caídas?

Os momentos alegres de nossas vidas são os mais importantes, devemos admirá-los como admiramos as flores do jardim. Afinal de contas, a flor que desabrocha é bem mais importante do que mil pétalas caídas.

Precisamos cuidar e apreciar mais o nosso jardim, sem desmerecer ou invejar o do nosso vizinho. Dra. Sônia Choquette nos ensinou:"Não use sua imaginação para invejar o jardim do outro. Todos nós escolhemos imagens que moldam nossas vidas. Se o jardim do outro é poderoso, use-o como um modelo e seja grato pela inspiração."

sábado, 14 de setembro de 2013

Três Passos para conquistar uma vida melhor.

O problema hoje é que 75% das pessoas não têm ideia de como ganhar a vida fazendo o que amam.

A primeira forma é identificar como viver uma vida de paixão, descobrindo a sua verdadeira vocação.

A segunda maneira é compreender o poder da crença de superar os obstáculos que podem parecer intransponíveis.

A terceira maneira é ter fé, esperança e amor no coração.

Então, como fazer isso? Comece criando riqueza através de seus pensamentos, palavras e atitudes.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Sentimento

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.
Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.
Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.
Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microcopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer
esse amanhecer
mais noite que a noite.
Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

O amor e a vida

Ás vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Ás vezes nos falta esperança.
Ás vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.

Ás vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar...é nossa razão de existir.

Ás vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.

Ás vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta o nosso coração pela falta de uma única pessoa.

Ás vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um por de sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto, é a força da natureza nos chamando pra a vida.

Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.
Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.

Você descobre que algumas pessoas nunca te disseram “eu te amo”, e por isso nunca fizeram amor, apenas transaram...descobre também que outras disseram “eu te amo” uma única vez e agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá ajudá-los a reconstruir um coração quebrado..

Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são fatores importantes...

Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, e certifique-se de que quando estão juntos aquele abraço vale mais que qualquer palavra...

Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá restar.

Aproveite sua família que é uma grande felicidade, quando menos esperamos iniciam-se períodos difíceis em nossas vidas.

Tenha sempre em mente que as vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco, pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário, existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.
Não procure querer conhecer seu futuro antes da hora, nem exagere em seu sofrimento, esperar é dar uma chance à vida para que ela coloque a pessoa certa em seu caminho.

“A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna”

A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é, que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem...

François de Bitencourt

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Palavras


A palavra mais bonita... "Lealdade"

Ofereça-a.

A palavra mais egoísta... "Eu"
Evite-a.

A palavra mais satisfatória… "Nós"
Use-a.

A palavra mais venenosa… "Inveja"
Destrua-a.

A palavra mais usada... "Amor"
Valorize-o.

A palavra mais prazerosa... "Sorriso"
Mantenha-o.

As palavras que mais prejudicam... "Mentiras"
Ignore-as.

A palavra mais difícil... "Humildade"
Seja-o.

A palavra que mais destrói... "Mágoa"
Perdoe.

A palavra mais poderosa... "Conhecimento"
Busque-o.

As palavras essenciais... "Confiança em Deus"
Acredite!

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Pescaria inesquecível


Matty tinha onze anos e, cada oportunidade que surgia, ia pescar no cais próximo ao chalé da família, numa ilha que ficava em meio a um lago.


A temporada de pesca só começaria no dia seguinte, mas pai e filho saíram no fim da tarde para pegar apenas peixes cuja captura estava liberada.
O menino amarrou uma isca e começou a praticar arremessos, provocando ondulaões coloridas na água.
Logo, elas se tornaram prateadas pelo efeito da lua nascendo sobre o lago.
Quando o caniço vergou, ele soube que havia algo enorme do outro lado da linha. O pai olhava com admiração, enquanto o garoto habilmente, e com muito cuidado, erguia o peixe exausto da água.
Era o maior que já tinha visto, porém sua pesca só era permitida na temporada.
O garoto e o pai olharam para o peixe, tão bonito, as guelras para trás e para frente.
O pai, então, acendeu um fósforo e olhou para o relógio.
Eram dez da noite, faltavam apenas duas horas para a abertura da temporada.
Em seguida, olhou para o peixe e depois para o menino, dizendo:
- Você tem que devolvê-lo, filho!
- Mas, papai, reclamou o menino.
- Vai aparecer outro, insistiu o pai.
- Não tão grande quanto este, choramingou a criança.
O garoto olhou à volta do lago. Não havia outros pescadores ou embarcações à vista.
Voltou novamente o olhar para o pai. Mesmo sem ninguém por perto, sabia, pela firmeza em sua voz, que a decisão era inegociável.
Devagar, tirou o anzol da boca do enorme peixe e o devolveu à água escura.
O peixe movimentou rapidamente o corpo e desapareceu.
E, naquele momento, o menino teve certeza de que jamais veria um peixe tão grande quanto aquele.

Isso aconteceu há trinta e quatro anos. Hoje, o garoto é um arquiteto bem-sucedido. O chalé continua lá, na ilha em meio ao lago, e ele leva seus filhos para pescar no mesmo cais.
Sua intuição estava correta. Nunca mais conseguiu pescar um peixe tão maravilhoso como o daquela noite. Porém, sempre vê o mesmo peixe repetidamente todas as vezes que depara com uma questão ética.
Porque, como o pai lhe ensinou, a ética é simplesmente uma questão de certo e errado. Agir corretamente, quando se está sendo observado, é uma coisa. A ética, porém, está em agir corretamente quando ninguém está nos vendo.
Essa conduta reta só é possível quando, desde criança, aprendeu-se a devolver o PEIXE À ÁGUA.

A boa educação é como uma moeda de ouro:
TEM VALOR EM TODA PARTE.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Persistência


Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina.

Trabalha dia e noite, inclusive dormindo na própria oficina.

Para poder continuar nos negócios, empenha as jóias da própria esposa.

Quando apresentou o resultado final de seu trabalho a uma grande empresa, dizem-lhe que seu produto não atende ao padrão de qualidade exigido.

O homem desiste? Não!

Volta a escola por mais dois anos, sendo vítima da maior gozação dos seus colegas e de alguns professores que o tachavam de "visionário".

O homem fica chateado? Não!

Após dois anos, a empresa que o recusou finalmente fecha contrato com ele.

Durante a guerra, sua fábrica é bombardeada duas vezes, sendo que grande parte dela é destruída.

O homem se desespera e desiste? Não!

Reconstrói sua fábrica mas, um terremoto novamente a arrasa.

Essa é a gota d'água e o homem desiste? Não!

Imediatamente após a guerra segue-se uma grande escassez de gasolina em todo o país e este homem não pode sair de automóvel nem para comprar comida para a família.

Ele entra em pânico e desiste? Não!

Criativo, ele adapta um pequeno motor a sua bicicleta e sai as ruas.

Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem também as chamadas "bicicletas motorizadas".

A demanda por motores aumenta muito e logo ele fica sem mercadoria.

Decide então montar uma fábrica para essa novíssima invenção.

Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a idéia é boa, consegue apoio de mais ou menos cinco mil lojas, que lhe adiantam o capital necessário para a indústria.

Resumindo: Hoje a Honda Corporation é um dos maiores impérios da indústria automobilística japonesa, conhecida e respeitada no mundo inteiro.

Tudo porque o Sr. Soichiro Honda, seu fundador, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente.

Portanto, se você adquiriu a mania de viver reclamando, pare com isso!

O que sabemos é uma gota d'água. O que ignoramos é um oceano.

Lembre-se, nosso dia não se acaba ao anoitecer e sim começa sempre amanhã, não se desanime, vamos acordar todo dia como se tivéssemos descobrindo um mundo novo.

domingo, 8 de setembro de 2013

Provérbio Árabe


Não diga tudo o que sabes

Não faças tudo o que podes
Não acredite em tudo que ouves
Não gaste tudo o que tens

Porque:

Quem diz tudo o que sabe,
Quem faz tudo o que pode,
Quem acredita em tudo o que ouve,
Quem gasta tudo o que tem;

Muitas vezes diz o que não convém,
Faz o que não deve,
Julga o que não vê,
Gasta o que não pode.

sábado, 7 de setembro de 2013

Deficiências


"Deficiente"

É aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco"
É quem não procura ser feliz".

"Cego"
É aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria.

Surdo"
É aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão.

"Mudo"
É aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico"
É quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético"
É quem não consegue ser doce.

"Anão"
É quem não sabe deixar o amor crescer.

E "Miserável"
Somos todos que não conseguimos falar com Deus.

Autor: Mário Quintana

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Pai nosso


Se em minha vida não ajo como filho de Deus, fechando meu coração ao amor.

Será inútil dizer : Pai nosso

Se os meus valores são representados pelos bens da terra.
Será inútil dizer : Que estais no céu

Se penso apenas em ser cristão por medo, superstição e comodismo.
Será inútil dizer : Santificado seja o vosso nome

Se acho tão sedutora a vida aqui, cheia de supérfluos e futilidades.
Será inútil dizer : Venha a nós o vosso reino

Se no fundo o que eu quero mesmo é que todos os meus desejos se realizem.
Será inútil dizer : Seja feita a vossa vontade

Se prefiro acumular riquezas, desprezando meus irmãos que passam fome.
Será inútil dizer : O pão nosso de cada dia nos dai hoje

Se não importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar aos que atravessam o meu caminho.
Será inútil dizer : Perdoai as nossas ofensas, assim como nos perdoamos a quem nos tem ofendido

Se escolho sempre o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho do Cristo.
Será inútil dizer : E não deixeis cair em tentação

Se por minha vontade procuro os prazeres materiais e tudo o que é proibido me seduz.
Será inútil dizer : Livrai-nos do mal...

Se sabendo que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para me modificar.
Será inútil dizer : Amém.

Reflitam sobre isso!!!
 

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Das Vantagens de Ser Bobo - Clarice Lispector

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo. Estou pensando."

Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.

O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.

Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"

Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!

Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.

O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem.

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!

Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Peixes frescos

 Como manter os peixes e sua cuca ágil?

Os japoneses sempre adoraram peixe fresco. Porém, as águas perto do Japão não produzem muitos peixes há décadas.
Assim, para alimentar a sua população, os japoneses aumentaram o tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe do que nunca.
Quanto mais longe os pescadores iam, mais tempo levava para o peixe chegar.
Se a viagem de volta levasse mais do que alguns dias, o peixe já não era mais fresco. E os japoneses não gostavam do gosto destes peixes.

Para resolver este problema, as empresas de pesca instalaram congeladores, em seus barcos. Eles pescavam e congelavam os peixes em alto-mar.
Os congeladores permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem em alto mar por muito mais tempo, porém, os japoneses conseguiram notar a diferença entre peixe fresco e peixe congelado.
E claro, eles não gostavam. E isso fez com que o preço caísse.

Então as empresas de pesca instalaram tanques de peixe nos navios pesqueiros. Eles podiam pescar e enfiar esses peixes nos tanques, "como sardinhas".
Depois de certo tempo, pela falta de espaço, eles paravam de se debater e não se moviam mais. Eles chegavam vivos, porém cansados e abatidos. Infelizmente os japoneses ainda podiam notar a diferença do gosto.
Por não se mexerem por dias, os peixes perdiam o gosto de frescor. Os consumidores japoneses preferiam o gosto de peixe fresco e não, o gosto de peixe apático.

Como os japoneses resolveram este problema?

Como eles, conseguiram trazer ao Japão peixes com gosto de puro frescor?
Se você estivesse dando consultoria para a empresa de pesca, o que você recomendaria?

Antes da resposta, leia o que vem abaixo:

Quando as pessoas atingem seus objetivos ou até mesmo se encontram em situações complicadas, elas pensam que não precisam ou podem fazer mais nada, então relaxam, se entregam.
E como no caso dos peixes, foram capturados e não se tem nada a fazer.
L. Ron Hubbard observou, no começo dos anos 50:
" O homem progride, estranhamente, somente perante a um ambiente desafiador"
Quanto mais inteligente, persistente e competitivo você é, mais você gosta de um bom problema.
Se seus desafios estão de um tamanho correto e você consegue, passo a passo, conquistar esses desafios você fica muito feliz.
Você pensa em seus desafios e se sente com mais energia.
Você fica excitado e com vontade de tentar novas soluções.
Você cresce !! Você se diverte. Você fica vivo!

Para conservar o gosto de peixe fresco, as empresas de pesca japonesas ainda colocam os peixes dentro de tanques, nos seus barcos.
Mas eles também adicionam um pequeno tubarão em cada tanque.
O tubarão come alguns peixes, mas a maioria dos peixes chega "muito vivos" e frescos ao desembarque.
Tudo porque os peixes são desafiados, lá nos tanques.

Portanto como norma de vida, ao invés de evitar desafios, pule dentro deles. 
Massacre-os. Curta o jogo.
Se seus desafios são muito grandes e numerosos, não desista.
Se reorganize!
Busque mais determinação, mais conhecimento e mais ajuda.
Se você alcançou seus objetivos, coloque objetivos maiores.
Uma vez que suas necessidades pessoais ou familiares forem atingidas, vá ao encontro aos objetivos do seu grupo, da sociedade e, até mesmo, da humanidade.
Crie seu sucesso pessoal e não se acomode nele.
Você tem recursos, habilidades e destrezas para fazer a diferença.
"Ponha um tubarão no seu tanque e veja quão longe você realmente pode chegar"

Obs:
Na vida, dificilmente se ganha tudo ou se perde tudo!!
Portanto, se tiver que perder alguns peixes devorados pelo tubarão, não importa, faça a análise de custo-benefício e verifique que ainda assim, está no lucro!!

"Tirem de mim as minhas fábricas, meus prédios, mas, deixem o meu pessoal, que construirei tudo de novo". (Henry Ford)