abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O ABRIGO EM CHAMAS

Um grande navio naufragou em alto mar. O único sobrevivente, conseguiu agarrar-se aos destroços, que chegaram boiando até terra firme, em uma pequena ilha desabitada e fora de qualquer rota de navegação. Ele agradeceu a Deus por estar vivo, mas já sabia dos desafios que viriam pela frente.

Com muita dificuldade, usando restos dos destroços do navio, ele conseguiu montar um pequeno abrigo para se proteger do sol, da chuva e de animais, agradecendo mais uma vez por sua boa sorte.

Nos dias seguintes, a cada alimento que conseguia caçar ou colher, ele agradecia a Deus.

No entanto, um dia, quando voltava de um passeio pela mata, encontrou seu abrigo em chamas, envolto em altas nuvens de fumaça.
Terrivelmente desesperado, ele se revoltou. Chorou e gritou aos céus:
– O pior aconteceu! Perdi tudo! Deus, por que fizeste isso comigo?
Chorou tanto que, profundamente cansado, adormeceu ao relento.

No dia seguinte, bem cedo, foi despertado pelo som de uma pequena embarcação que se aproximava. Um grupo de pescadores desceu do barco e foi em sua direção:
– Viemos resgatá-lo – disseram.
– Como souberam que eu estava aqui? Perguntou ele.
– Nós vimos seu sinal de fumaça!

Moral da história: às vezes, é comum nos sentirmos desencorajados e até desesperados quando as coisas vão mal. Mas busque sempre enxergar os acontecimentos por outro ponto de vista. Como diz a sabedoria popular, "há males que vêm para o bem."

Deus age em nosso benefício, mesmo nos momentos de dor e sofrimento. Lembre-se: se algum dia o seu ÚNICO abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal de fumaça que fará chegar até você a AJUDA DIVINA!

O que está te incomodando agora, será uma destas bênçãos de Deus?

Autor: Desconhecido

Criticar.


Não se trata de julgar ou criticar os tempos modernos: porém, convém prestarmos mais atenção às novidades e avaliar bem suas consequências.

A preocupação com a aparência sempre foi grande nas moças, pois os homens, por serem visuais, são muito atentos a isso: a Barbie a exacerba.

As meninas, desde cedo, sonham em possuir um corpo escultural, de modo a, quando adultas, serem como a Barbie: ela passa a ser a referência!

Não são poucas as crianças que, desde os 5-6 anos, frequentam salões de cabeleireiros para pintar as unhas, arrumar os cabelos como a Barbie.

As tradicionais brincadeiras sexuais infantis parecem ter perdido a graça e o interesse: elas agora querem se vestir e aparecer como adultas.

O preocupante é o referencial: quantas moças se tornarão belas como a Barbie?

Quantas alimentarão eterna frustração por não serem como ela?

Liberte-se!

Depois de uma crise, quando a alma sente-se menos atraente, há necessidade de renovar propósitos, eliminar o que não serve mais, ativar novos caminhos na conquista da paz.


Não pode haver conquista sem alijar-se dos elementos inúteis ou que provocam situações negativas no dia a dia.

É hora do respaldo, da avaliação, da renovação.

Faça desde já essa escolha, liberte-se para poder dar um passo á frente.

Conscientize-se e ande.

Os erros são úteis, mas o que é sem serventia precisa ser eliminado.

Só assim terá meios de reagir e seguir adiante.

Zibia Gasparetto

Acredite em você


via Byline


Autoconfiança – Acreditar em você é o alicerce para uma vida bem
sucedida e satisfatória. É o primeiro passo de todo vencedor

Uns Fazem, Outros reclamam…


via Byline

 Era uma vez dois amigos que foram criados juntos. O primeiro conseguiu descobrir o prazer em aprender, investimento boa parte do seu tempo nessa atividade. Já o segundo resolveu que não era preciso dedicar-se com tanto cuidado. Obedecia sempre a sua voz interior, fazendo primeiro o que queria e, depois, no tempo que lhe sobrava, o que realmente era preciso.

Certo dia o reinado abriu concurso para prestadores de serviços ao rei. Os dois amigos passaram. A sorte maior apareceu para o primeiro. Foi contratado como conselheiro do rei. Já o segundo conseguiu serviço como remador no navio da realeza. Um dia o rei e seus conselheiros embarcaram para uma viagem no mar.

Falavam de negócios enquanto aproveitaram a brisa que soprava. Enquanto isso, mais próximo da popa, os remadores suavam para fazer o navio seguir adiante.
O remador, vendo seu amigo de infância bem à vontade em companhia do rei, ficou abalado, e quanto mais pensava, mais furioso ficava. Ao anoitecer, já cansado de tanto remar, não se conteve e começou a resmungar para outro amigo remador:

- Olhe aqueles inúteis. Intitulam-se conselheiros estratégicos, mas ficam à toa, jogando conversa fora. Por que é que temos de suar tanto para levar o navio deles adiante? Isso não é justo! Afinal, não somos filhos de Deus?
Ao ancorarem o navio para pernoitar, o remador foi acordado no meio da noite por uma mão que lhe sacudia. Era o rei em pessoa e lhe pediu, falando baixo:

- Há um barulho esquisito vindo daquela direção disse, apontando para a terra – Não consigo dormir, imaginando o que seja. Por favor, vá e descubra o que é. O remador  pulou do navio e subiu para o alto de um morro.Voltou pouco depois com a informação:
- Não è nada, Vossa Majestade. São alguns lenhadores cortando arvores, por isso há tanto barulho na floresta.

- E quantos lenhadores são?
O remador não tinha se dado ao trabalho de olhar com mais cuidado. Pulou do navio. Nadou até a praia. Correu morro acima. Voltou.
- Vinte e um, Vossa Majestade.

- Que tipo de árvore é?
Ele esqueceu de reparar.Lá voltou e retornou, dizendo:

- Pinheiros, Vossa Majestade.
- Por que estão cortando as arvores? Lá foi ele de novo…
- Para vender, Vossa Majestade.

- Quem é o dono das arvores?  De novo ele teve de voltar.
- Disseram que é um homem muito rico, Vossa Majestade.
- Obrigado. Agora venha comigo, por favor. Os dois, o rei e o remador, foram até a proa do navio e o rei acordou o conselheiro:

- Conselheiro, há um barulho esquisito vindo daquela direção – disse, apontando para a terra – Não consigo dormir, imaginando o que seja. Por favor, vá e descubra o que é. O Conselheiro desapareceu rumo a terra e voltou pouco depois.

- É uma equipe de lenhadores, Vossa Majestade.

- E quanto é?
- Vinte e um, Majestade.

- Que tipo de árvore é?
- São pinheiros, Majestade. Excelentes para construir casas.

- E por que estão cortando as árvores?
- Para negociar, Majestade. O reflorestamento de pinheiros é do prefeito do vilarejo. Ele realiza o corte a cada dois anos. O corte é autorizado. Mostrou-me o oficio. Ele pede desculpas pelo barulho e convida Vossa Majestade para o café da manhã, que será preparado especialmente para recebe-lo.

O rei olhou para o remador.
- Remador, ouvi seus resmungos. Sim, todos nós somos filhos de Deus. Mas todos os filhos de Deus têm seu trabalho para executar. Precisei manda-lo cinco vezes a terra para obter respostas. Meu conselheiro foi uma vez só. E é por isso que ele é meu conselheiro estratégico e você fica com os remos do navio.

Autor desconhecido

Auto do blog:

Flávio Souza é Trainer Coach da Você Vencedor Soluções Empresariais, formador de coaches da International Coaching Community (ICC – Inglaterra), conferencista Internacional, especialista em Programação Neolinguística e referência em coaching executivo e de equipes no Brasil – Contatos: (19) 38981295 – flaviosouza@vocevencedor.com.br  -www.vocevencedor.com.br

Urgencia Emocional

Se tudo é para ontem, se a vida engata uma primeira e sai em disparada, se não há mais tempo para paradas estratégicas, caímos fatalmente no vício de querer que os amores sejam igualmente resolvidos num átimo de segundo.

Temos pressa para ouvir "EU TE AMO".

Não vemos a hora de que fiquem estabelecidas as regras de convívio:

- Somos namorados, ficantes, casados, amantes?

Urgência emocional.

Uma cilada.

Associamos diversas palavras ao AMOR:

- Paixão, Romance, Sexo, Adrenalina, Palpitação.

Esquecemos, no entanto, da palavra que viabiliza esse sentimento:

- "Paciência".

Amor sem paciência não vinga.

Amor não pode ser mastigado e engolido com emergência, com fome desesperada.

É preciso degustar cada pedacinho do Amor, no que ele tem de amargo e de saboroso, no que ele tem de duro e de macio.

Os nervos do Amor, as gorduras do Amor, as proteínas do amor, as propriedades todas que ele tem.

É uma refeição que pode durar uma vida.

Mas, não.

Temos urgência.

Queremos a resposta do e-mail ainda hoje, queremos que o telefone toque sem parar, queremos que ele se apaixone assim que souber nosso nome, queremos que ela se renda logo após o primeiro beijo, e não toleraremos recusas, e não respeitaremos dúvidas, e não abriremos espaço na agenda para esperar.

Temos todo o tempo do mundo, dizem uns;

Não há tempo a perder, dizem outros:

A gente fica perdido no meio deste fogo cruzado, atingidos por informações várias, vivências diversas, parece que todos sabem mais do que nós, pobres de nós, que só queremos uma coisa nessa vida, "Sermos Amados".

Podemos esperar por todo o resto: emprego, dinheiro, sucesso, mas não passaremos mais um dia sequer sozinhos.

- "Te adoro", dizemos sei lá pra quem...

Para quem tiver ouvidos e souber responder.

"Eu também", que a gente está mais a fim de acreditar do que de selecionar.

"Urgência Emocional", PRONTO-SOCORRO DO AMOR...

Atiramos para todos os lados e somos baleados por qualquer um.

E o coração leva um monte de pontos por causa dessa tragédia: "PRESSA".

Martha Medeiros

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014


"Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção...
Aprendendo e ensinando uma nova lição...
Vem, vamos embora que esperar não é saber...
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. "
Geraldo Vandré
                                


 

O monge e a mulher.

Dois monges viajavam juntos por uma caminho lamacento. Chovia torrencialmente o que dificultava a caminhada.

A certa altura tinham que atravessar um rio, cuja água lhes dava pela cintura. Na margem estava uma moça que parecia não saber o que fazer:

- Quero atravessar para o outro lado, mas tenho medo.

Então o monge mais velho carregou a moça às suas cavalitas para a outra margem. Horas depois, o monge mais novo não se conteve e perguntou:

- Nós, monges, não nos devemos aproximar das mulheres, especialmente se forem jovens e atraentes. É perigoso. Por que fez aquilo?

- Eu deixei a moça lá. Você ainda a está carregando?

(Tradição Zen Budista)

O valor de nossos pais.


Um jovem de nível acadêmico excelente, candidatou-se à posição de gerente de uma grande empresa.

Passou a primeira entrevista e o diretor fez a última, tomando a última decisão.

O diretor descobriu, através do currículo, que as suas realizações acadêmicas eram excelentes em todo o percurso, desde o secundário até à pesquisa da pós-graduação e não havia um ano em que não tivesse pontuado com nota máxima.

O diretor perguntou, "Tiveste alguma bolsa na escola?"

O jovem respondeu, "nenhuma".

O diretor perguntou, "Foi seu pai quem pagou as suas mensalidades ?" o jovem respondeu,

- "O meu pai faleceu quando eu tinha apenas um ano, foi a minha mãe quem pagou as minhas mensalidades."

O diretor perguntou, "Onde trabalha a sua mãe?" - e o jovem respondeu:

- "A minha mãe lava roupa."

O diretor pediu que o jovem lhe mostrasse as suas mãos.

O jovem mostrou um par de mãos macias e perfeitas.

O diretor perguntou,

- "Alguma vez ajudou sua mãe lavar as roupas?" - o jovem respondeu:

-"Nunca, a minha mãe sempre quis que eu estudasse e
lesse mais livros. Além disso, a minha mãe lava a roupa mais depressa do
que eu."

O diretor disse, "Eu tenho um pedido. Hoje, quando voltar, vá e limpe as mãos da sua mãe e depois venha ver-me amanhã de manhã."

O jovem sentiu que a hipótese de obter o emprego era alta.

Quando chegou em casa, pediu, feliz, à mãe que o deixasse limpar as suas mãos.

A mãe achou estranho, estava feliz, mas com um misto de sentimentos e mostrou as suas mãos ao filho.

O jovem limpou lentamente as mãos da mãe. Uma lágrima escorreu-lhe
enquanto o fazia.

Era a primeira vez que reparava que as mãos da mãe estavam muito enrugadas e havia demasiadas contusões nas suas mãos.

Algumas eram tão dolorosas que a mãe se queixava quando limpava com água.

Esta era a primeira vez que o jovem percebia que este par de mãos que lavavam roupa todo o dia tinham-lhe pago as mensalidades.

As contusões nas mãos da mãe eram o preço a pagar pela sua graduação, excelência acadêmica e o seu futuro.

Após acabar de limpar as mãos da mãe, o jovem silenciosamente lavou as restantes roupas pela sua mãe.

Nessa noite, mãe e filho falaram por um longo tempo.

Na manhã seguinte, o jovem foi ao gabinete do diretor.

O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do jovem e perguntou, "Diz-me,
o que fez e que aprendeu ontem em sua casa?"

O jovem respondeu, "Eu limpei as mãos da minha mãe e ainda acabei de
lavar as roupas que sobraram."

O diretor pediu, "Por favor, diz-me o que sentiu."

O jovem disse

"Primeiro, agora sei o que é dar valor. Sem a minha mãe, não haveria um eu com sucesso hoje. Segundo, ao trabalhar e ajudar a
minha mãe, só agora percebi a dificuldade e dureza que é ter algo pronto. Em terceiro, agora aprecio a importância e valor de uma relação familiar."

O diretor disse,

- "Isto é o que eu procuro para um gerente. Eu quero recrutar alguém que saiba apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conheça o sofrimento dos outros para terem as coisas feitas e uma pessoa que não coloque o dinheiro como o seu único objetivo na vida. Está
contratado."

Mais tarde, este jovem trabalhou arduamente e recebeu o respeito dos seus subordinados. Todos os empregados trabalhavam diligentemente e como equipe.

O desempenho da empresa melhorou tremendamente.

Uma criança que foi protegida e teve habitualmente tudo o que quis se desenvolverá mentalmente e sempre se colocará em primeiro.

Ignorará os esforços dos seus pais e quando começar a trabalhar, assumirá que todas as pessoas o devem ouvir e quando se tornar gerente, nunca saberá o sofrimento dos seus empregados e sempre culpará os outros.

Para este tipo de pessoas, que podem ser boas academicamente, podem ser bem sucedidas por um tempo, mas eventualmente não sentirão a sensação de objetivo atingido.

Irão resmungar, estar cheios de ódio e lutar por mais.

Se somos esse tipo de pais, estamos realmente a mostrar amor ou estamos
a destruir o nosso filho?

Pode-se deixar seu filho viver numa grande casa, comer boas refeições, aprender piano e ver televisão num grande TV em plasma.

Mas quando cortar a grama, por favor, deixe-o experienciar isso.

Depois da refeição, deixe-o lavar o seu prato juntamente com os seus irmãos e irmãs.

Deixe-o guardar seus brinquedos e arrumar sua própria cama.

Isto não é porque não tem dinheiro para contratar uma empregada, mas porque o quer é amar e ensinar como deve de ser.

Quer que ele entenda que não interessa o quão ricos os seus pais são, pois um dia ele irá envelhecer, tal como a mãe
daquele jovem.

A coisa mais importante que os seus filhos devem entender é a apreciar o esforço e experiência da dificuldade e aprendizagem da habilidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.

Quais são as pessoas que ficaram com mãos enrugadas por mim?

O valor de nossos pais ...

Um dos mais bonitos textos sobre educação familiar que já li.

Leitura obrigatória para os pais e, principalmente, para os filhos.

Fruto da decisão.



"A vida é fruto da decisão de cada momento.

Talvez seja por isso, que a idéia de plantio seja tão reveladora sobre a arte de viver.

Viver é plantar.

É atitude de constante semeadura, de deixar cair na terra de nossa existencia as mais diversas formas de sementes..."

Fábio de Melo

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O amor deixa muito a desejar

O amor já teve um toque sagrado, a magia de uma inutilidade deliciosa, já foi um desafio ao dia-a-dia que nos tirava da vida comum.

Não existe mais o amante definhando de solidão, nem romeus nem julietas, nem pactos de morte, não existe mais o amor nos levando para uma galáxia remota, a uma eternidade semi-religiosa.

O amor tinha uma fome de compaixão pelo outro, de proteção à pessoa amada. Isso está acabando.

O ritmo do tempo atual acelerou o amor, o dinheiro contabilizou o amor, matando seu mistério impalpável.

Hoje, temos controle, sabemos por que "amamos", temos medo de nos perder no amor e fracassar no mercado.

O amor pode atrapalhar a produção.

O amor perdeu a gratuidade, as pessoas "amam" por desejo de ter um amor que não sentem mais.

O amor não tem mais porto, não tem onde ancorar, não tem mais a família nuclear para se abrigar, não tem mais a utilidade do sacrifício pelo "outro".

O amor ficou pelas ruas, em busca de objeto, esfarrapado, sem rumo.

Não temos mais músicas românticas, nem o lento perder-se dentro
de "olhos de ressaca", nem nas "pernas de fulana", nem temos as bocas beijadas por amantes tutti tremanti, nem o formicida com guaraná.

Não se diz mais: "Deus sabe quanto amei!...", mas "Deus nem sabe quantos(as) amei..."

A publicidade devastou o amor, falando na "gasolina que eu amo", no sabonete que faz amar, na cerveja que seduz. Há uma obscenidade flutuando no ar o tempo todo, uma propaganda difusa do sexo impossível de cumprir.

Como comer todas as moças da lingerie e do xampu, como atingir um orgasmo pleno e definitivo ?

A sexualidade é finita, não há mais o que inventar.

Já o amor, não...

O amor vive da incompletude e esse vazio justifica a poesia da entrega.

Ser impossível é sua grande beleza.

Claro que o amor é também feito de egoísmos, de narcisismos mas, ainda assim, ele busca uma grandeza — mesmo no crime de amor há um terrível sonho de plenitude.

Amar exige coragem e hoje somos todos covardes.

O amor passa a buscar não mais uma entrega, mas um domínio.

O amor vira um objeto de consumo, fast love, com obsolescência programada para durar pouco.

O amor deixa muito a desejar.

Em geral, o amor existe hoje como uma espécie de adoçante para justificar, legitimar uma tesão ou uma conquista.

Os amores duram três edições de Caras.

Os casais se permutam num troca-troca rápido e quantitativo.

As próprias mulheres estão virando "D. Juans".

Vejam o périplo de jovens atrizes que vão comendo, um por um, os modelos que surgem nas revistas, elas, que deviam se manter damas inatingíveis para pálidos quixotes românticos.

Estamos com fome de amor cortês, num mundo em que tudo perdeu aura.

O terrível bombardeio que a cultura americana está fazendo nos sentimentos é invisível, mas é pior que as bombas contra o Iraque.

A cultura americana está criando um "desencantamento" insuportável na vida social.

Tudo é tolerável, num arrasamento de mistérios.

Vejam a arte tratada como algo desnecessário, sem lugar, sem uso, vejam as mulheres amontoadas na Internet, nuas, com números — basta clicar e chamar. Estamoscom fome de infinito em tudo, na vida, na política, no sexo.

Por isso, o filme de Almodóvar, cheio de compaixão sussurrada, parece um segredo religioso, uma saudade inexplicável de alguma coisa que existe "aquém", antes da vida.

Nos anos 60, liberdade sexual foi uma questão política.

Hoje, podemos tudo, podemos casar até com jacarés ou macacas, sem escândalos, desde que não prejudique a produção.

Mas o que invisivelmente está virando uma nova necessidade política é o amor e seus subprodutos: compaixão, paz, justiça.

Ninguém está agüentando mais somente "utilidade" e" desempenho", poder e sucesso.

Estamos virando coisas.

Precisamos aprender a amar de novo as pedras, as árvores, as nuvens, até chegarmos a nós mesmos...

E acho que isso vai surgir na América, como foi nos anos 60 — a luta pelos direitos civis será agora a luta pela beleza da inutilidade.

Arnaldo Jabor

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

PARE! PENSE! REFLITA!

Transformação social.


"(...) Sabemos que a força propulsora da transformação social está na prática do maior de todos os mandamentos da Lei de Deus: o Amor, expressado na solidariedade fraterna, capaz de mover montanhas."

Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos" significa trabalhar pela inclusão social, fruto da Justiça; significa não ter preconceitos, aplicar nossos melhores talentos em favor da vida plena, prioritariamente daqueles que mais necessitam.

Somar esforços para alcançar os objetivos, servir com humildade e misericórdia, sem perder a própria identidade.

Cremos que esta transformação social exige um investimento máximo de esforços para o desenvolvimento integral das crianças.

Este desenvolvimento começa quando a criança se encontra ainda no ventre sagrado da sua mãe.

As crianças, quando estão bem cuidadas, são sementes de paz e esperança.

Não existe ser humano mais perfeito, mais justo, mais solidário e sem preconceitos que as crianças.

Como os pássaros, que cuidam de seus filhos ao fazer um ninho no alto das árvores e nas montanhas, longe de predadores, ameaças e perigos, e mais perto de Deus, devemos cuidar de nossos filhos como um bem sagrado, promover o respeito a seus direitos e protegê-los."

— Trechos do último discurso Zilda Arns

MEU CORAÇÃO EXIGENTE


"O meu coração não é escrito a lápis... 
Sou incapaz de apagar pessoas, sentimentos 
e vivências com a borracha da indiferença. 
Porém, esse mesmo coração tem uma outra vantagem:
ele não tem espaço para arquivo morto... 
Quem souber aproveitar a estada que ele oferece
 e conquistar o seu afeto, tem lugar cativo ...
 Os demais foram lições e aprendizados de
 capítulos encerrados. 
A vida é curta demais para repetir histórias 
e o meu coração exigente demais para conviver
 com pessoas rasas. Novas experiências 
e sentimentos profundos. 
É o mínimo que ele espera de mim."
Lígia Guerra



O que eu tenho não me pertence

O que eu tenho não me pertence, embora faça parte de mim.

Tudo o que sou me foi um dia emprestado pelo Criador, para que eu possa dividir com aqueles que entram na minha vida.
Ninguém cruza nosso caminho por acaso e nós não entramos na vida de alguém sem nenhuma razão.

Há muito o que dar e o que receber; há muito o que aprender, com experiências boas ou negativas.

Tente ver as coisas negativas que acontecem com você como algo que aconteceu por uma razão precisa.

E não se lamente pelo ocorrido; além de não servir de nada reclamar, isso vai lhe vendar os olhos, dificultando assim, continuar seu caminho.

Quando não conseguimos tirar da cabeça que alguém nos feriu, estamos somente reavivando a ferida, tornando-a muitas vezes bem maior do que era no início.

Nem sempre as pessoas nos ferem voluntariamente.

Muitas vezes somos nós que nos sentimos feridos e a pessoa nem mesmo percebeu; e nos sentimos decepcionados porque aquela pessoa não correspondeu às nossas expectativas.

E sabemos lá quais eram as nossas expectativas?

Decepcionamo-nos e decepcionamos outras pessoas também.

Mas, claro, é bem mais fácil pensar nas coisas que nos atingem.

Quando alguém disser que lhe magoou sem intenção, acredite nela!

Vai lhe fazer bem.

Assim, talvez, ela poderá entender quando você, sinceramente, disser que "foi sem querer".

Dê de você mesmo o quanto puder!

Sabe, quando você se for, a única coisa que vai deixar é a lembrança do que fez aqui.

Seja bom, tente dar sempre o primeiro passo para a reconciliação, nunca negue uma ajuda ao seu alcance, perdoe e dê de você mesmo.
Seja uma bênção a todos que o cercam!

Deus não vem em pessoa para abençoar, Ele usa os que estão aqui dispostos a cumprir essa missão.

Todos nós podemos ser Anjos. A eternidade está em nossas mãos.

Viva de maneira honrada, para que, quando envelhecer, você possa falar só coisas boas do passado e sentir, assim, prazer uma segunda vez ... e ter a certeza de que quando você se for, muito de você ainda fique naqueles que tiveram a boa ventura de lhe encontrar.

- Chico Xavier

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Crítica.


Como funciona a Crítica...

Convidado a fazer uma preleção sobre a crítica, o conferencista compareceu ante o auditório superlotado, sobraçando pequeno fardo.

Após cumprimentar os presentes, retirou os livros e a jarra d'água de sobre a mesa, deixando somente a toalha branca.

Em silêncio, acendeu poderosa lâmpada, enfeitou a mesa com dezenas de pérolas que trouxera no embrulho, várias dúzias de flores, apanhou da sacola diversos "biscuits" de inexprimível beleza, representando motivos edificantes.

Em seguida, situou na mesa um exemplar da Bíblia em capa dourada.

Depois, com o assombro de todos, colocou uma pequenina lagartixa num frasco de vidro.

Só então comandou a palavra, perguntando: o que vocês estão vendo?

E a plateia respondeu, em vozes discordantes: um bicho, um lagarto horrível, uma larva e um pequeno monstro.

Quando pararam de falar, o pregador disse: assim é o espírito da crítica destrutiva, meus amigos!

Vocês não enxergaram o forro de seda, nem as flores, nem as pérolas, nem as preciosidades, nem a Bíblia, nem a luz faiscante que acendi.

Viram apenas a diminuta lagartixa...

E concluiu:

- Nada mais tenho a dizer...

Pense sobre isso!!

Aprendi aos 30 anos.


O que eu aprendi aos 30.

Ou depois dele.

As suas calças jeans resolvem, por conta própria, que não te servirão mais.

Curtir uma balada que começa meia-noite e vai até as cinco da manhã só é possível com energético ou pó de guaraná.

Caso consiga permanecer até o fim da festa, estará imprestável no dia seguinte.

Quando digo imprestável, é imprestável mesmo. Sem conseguir andar.

Ou falar.

Bebidas alcoólicas só serão ingeridas durante horas se você tiver tomado um Engov antes.

Depois dos 30, você também não se esquece de tomar o segundo Engov.

Não esquece porque tem certeza de que dará vexame se dormir sem ele.

Você se olhará no espelho e vai se achar esquisita.

Isso acontecerá dia sim, dia não.

Pés de galinha irão aparecer.

Um bom dermatologista valerá mais do que um analista. Uma boa manicure também substituirá algumas sessões de terapia.

Um fio branco no cabelo pode aparecer.

Sandálias de salto alto:

- O que é isso mesmo?

Conforto é o que interessa.

Exercícios para o glúteo não serão mais eficazes, se é que um dia foram.

Se a sua bunda nunca foi dura, forget it.

Foque nos músculos do tchauzinho. Vai abandonar o projeto Biquinho de Lacinho.

Não pensará duas vezes na hora de comprar um bom corretivo para as olheiras.

Começará a ler revistas como Casa & Jardim, Gula e Planeta.

Vai querer largar tudo para vender coco na praia.

Ou surfar no Havaí. Ou dançar reggae na Jamaica.

Vai se achar nova demais para ter filhos e velha demais para não tê-los.

Terá medo do futuro.

Repensará se não está na hora de aumentar o tanto que você guarda mensalmente para a sua aposentadoria. Se é que guarda alguma coisa.

Vai sair sozinha para tomar drinks sem medo de te acharem encalhada, solitária, sem ninguém nessa vida bandida.

Vai conhecer Saturno, o senhor do tempo, um verdadeiro vilão que retorna para a sua vida quando você passa dos 30 anos e simplesmente te enlouquece.

Nunca ouviu falar de Saturno?

Então, prepare-se.

Vai gargalhar com as piadas mais absurdas.

Vai aprender a ter paciência e inspirar e expirar antes de soltar os cachorros no vizinho, no trânsito ou na fila do supermercado.

Vai morrer de saudade do tempo que morava com seus pais.

Vai morrer de saudade daqueles conselhos caretas da sua mãe e vai repensar se morar longe é mesmo a melhor alternativa. Vai se arrepender de não ter aproveitado melhor o tempo com seus avós.

Vai ser tia.

E vai amar seus sobrinhos como se fossem seus filhos.

Vai querer todos os seus amigos de infância e da adolescência por perto.

Vai usar expressões como "estou velha para isso." Se você tomou sol sem protetor a vida toda, é agora que as consequências começam a aparecer e você será um poço de arrependimentos.

Um poço sem fim de arrependimentos com manchas de sol espalhadas pelo corpo.

Nunca mais vai pisar na rua sem protetor solar.

Vai começar a pensar em investir – vejam bem, investir – parte do seu salário em algumas aplicações de botox. Se fuma, vai querer parar.

Se come carne vermelha, vai repensar.

Se não casou, vai querer casar.

Se casou, vai querer separar.

Perder um mísero quilo demorará tanto quanto aprender a tabela periódica.

Vai olhar para aquela tatuagem feita aos 18 anos e pensar "meu Deus". Vai morrer de medo de sair com qualquer um que conhecer noites afora. Vai que ele é um psicopata. Ou um tarado.

Ou um ladrão.

Melhor não.

Vai trocar o arroz branco pelo integral, a cerveja pelo vinho, a musculação pelo pilates e a Coca pela água com gás.

Vai aprender que trinta é bem diferente de vinte e vai se assustar com a possibilidade dos quarenta.

Mas uma coisa é certa: trinta é muito melhor do que vinte.

Muito melhor

O lavrador e a enxada.


via Byline

Certa manhã, quando ainda trabalhava na Fazenda de Criação do Ministério da Agricultura, em Pedro Leopoldo, Chico caminhava para o trabalho, atravessando largo trecho do campo no rumo do escritório, meditando sobre os trabalhos mediúnicos a que se confiava.

As exigências eram sempre muitas.

Como agir para equilibrar-se na tarefa?

Surgiam doentes, pedindo socorro...

Aflitos rogavam consolação...

Curiosos reclamavam esclarecimentos...

Ateus insistiam pela obtenção de fé...

Os problemas eram tantos!

Quando curvava a cabeça, desanimado, aparece-lhe Emmanuel e aponta-lhe um quadro a pequena distância.

Era um lavrador ativo, manejando uma enxada ao sol nascente.

— Reparou? – disse ele ao Médium – guiada pelo cultivador, a enxada apenas procura servir.

Não pergunta se o terreno é seco ou pantanoso, se vai tocar o lodo ou ferir-se entre pedras...

Não indaga se vai cooperar em sementeira de flores, batatas, milho ou feijão... Obedece ao lavrador e ajuda sempre...

Logo após, fez uma pausa e considerou:

— Nós somos a enxada nas mãos de Jesus, o Divino Semeador.

Aprendamos a servir sem indagar.

Chico, tocado pelo ensinamento, experimentou iluminada renovação interior, e disse:
— É verdade! O desânimo é um veneno...

— Sim, – concluiu o orientador – a enxada que foge à glória do trabalho, cai na tragédia da ferrugem. Essa é a Lei.

O benfeitor despediu-se e o Médium abraçou o trabalho, naquele dia, de coração feliz e a alma nova.

Ramiro Gama -

ESTOU DE DIETA

Estou de dieta e evitando:
Pensamentos negativos...
Pessoas destrutivas...
O que me tira o riso largo...
O que me perturba o sono...
O que ofusca o brilho do meu olhar...
O que me traz insegurança e aflição...
O que "empanzina" meu caminho!

Em um mês:
Perderei 3Kg de Doenças
Ganharei 3Kg de qualidade de vida.
Desconhecido 
 

Nunca se afaste de Deus


via Byline

Nunca se afaste de Deus...O amor de Deus por nós!
Views: 0
0 ratings
Time: 05:16 More in People & Blogs

Faço por mim ou pelo outros?

Acho que de vez em quando vale a pena parar um pouco e refletir:

- Será que faço tudo que posso por mim e pelos outros?

Será que quando algo me fere respiro fundo antes de atacar? Será que deixo para lá pequenices que não devem ser levadas adiante?

Será que procuro todo dia ser um pouco mais tolerante?

Será que já fiz as pazes com minha consciência por erros passados? Será que sei me desculpar quando piso na bola? Será que digo aos outros o que sinto por eles?

A vida é aqui, é hoje, é agora.

O amanhã pode não chegar ou demorar a vir.

Por isso, volta e meia bato um papo bem sério comigo mesma para ver como andam as coisas, afinal, a vida é corrida e nem sempre a gente se dá conta do que faz ou deixou de fazer.

Pedro bial

domingo, 23 de fevereiro de 2014

A faxina

Estava precisando fazer uma faxina em mim...
Jogar alguns pensamentos indesejáveis fora
Lavar alguns tesouros que andavam meio que enferrujados...
Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.
Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões...
Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei...
Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li...
Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas
E as coloquei num cantinho, bem arrumadinhas.
Fiquei sem paciência!
Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão:
Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste...
Mas, lá também havia outras coisas... e belas!
Um passarinho cantando na minha janela
Aquela lua cor de prata, o pôr-do-sol...
Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças...
Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou.
Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.
Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante:
O amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos...
Como foi bom relembrar tudo aquilo!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as a mostra, para não perdê-las de vista.
Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar e de recomeçar

ASSIM COMO O GIRASSOL - FÊNIX FUSTINE


Assim como um girassol escolhe sempre estar voltado para o sol, escolha focalizar o lado melhor, mais bonito, mais luminoso e vibrante das coisas que lhe acontecem.

Nossa percepção é seletiva, nós "focalizamos" o que queremos ver e deixamos de perceber o restante.
Você já reparou como é fácil ficar de baixo astral?
Uma conta para pagar...
Não ganhar todo o dinheiro de que se precisa...
Não ter a aparência que se gostaria de ter...
Não ser valorizada no trabalho...
Não ter encontrado o sucesso, ou um grande amor ...
É por isso que freqüentemente não nos sentimos bem. Depositamos nossa atenção no que nos falta, no que nos magoa...E ocupamos nossa mente com pensamentos preocupantes sobre o futuro. Enfim, deixamos a nossa mente à deriva, torturada por pensamentos negativos que nos dominam.
Na verdade a maior parte do tempo, estamos lutando com a vida, não aceitando o que ela nos traz...E quando não aceitamos aquilo que é, e nos concentramos no que deveria ser, nos frustramos, sofremos cada vez mais, ao ponto de perdemos o sentido da existência...
É justamente quando estamos frustrados e insatisfeitos, que precisamos lembrar que possuímos uma antena interna - a atenção - capaz de captar o lado bom da vida. Exatamente como na natureza, faz o girassol.
O girassol se volta para onde o sol estiver, mesmo que este esteja escondido atrás de uma nuvem. Ele está sempre em busca da luz, da vitalidade, da força, da beleza.
Saber captar o lado luminoso da vida significa aprendermos a valorizar tudo de bom que já recebemos e também a sermos gratos por isso...
Apreciar e agradecer o carinho, o afeto, os gestos de atenção e delicadeza oferecidos pelos amigos, filhos, pais, namorados. Apreciar o sorriso luminoso de alguém que você gosta. Apreciar um gesto de gentileza, uma palavra de estímulo do seu colega de trabalho, do seu vizinho...
Apreciar todo contato humano que lhe trouxe conforto, novo animo...Apreciar todo apoio que a vida lhe deu, de tantas formas misteriosas, quando precisou... Apreciar e agradecer porque a Vida é Amor, e sempre o protegeu, realizou seus desejos mais profundos, tomou conta de seus interesses e suas verdadeiras necessidades...
Ser aprendiz de girassol,não é fácil!
Infelizmente a maioria de nós, não foi preparada pra buscar o lado luz da vida, e vive se debatendo na obscura zona dos condicionamentos subconscientes e dos pensamentos destrutivos!
Daqui pra frente, quando perceber que está desanimado, revoltado ou deprimido, que possa se lembrar de ser girassol.
Selecione o melhor do seu mundo, valorize tudo o que de bonito e bom que existe nele!
Acredite no Poder da Luz para neutralizar qualquer situação adversa e transformar sua Vida em uma verdadeira obra-prima!
Assim, começará a reter Força, Vitalidade e Alegria dentro de você.
E como o girassol, estará de bem com a grande festa colorida que é a Vida!

Lição de vida não coma os animais


via Byline

Aprenda com essa criança uma lição de vida para o futuro do planeta.
Views: 0
0 ratings
Time: 02:42 More in Gaming

A Borboleta Azul


Texto de Fernando Pessoa

Havia um viúvo que morava com suas filhas curiosas e inteligentes.

As meninas sempre faziam muitas perguntas. Algumas ele sabia responder, outras não.

Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina.

O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar.

Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.

Então, uma delas apareceu com uma linda borboleta azul que usaria para pregar uma peça no sábio.

"O que você vai fazer?" – perguntou a irmã.

"Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta.

Se ele disser que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar.

Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e

esmagá-la. E assim qualquer resposta que o sábio nos der estará errada!"

As duas meninas foram então ao encontro do sábio, que estava meditando.

Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio, ela está viva ou morta?

Calmamente o sábio sorriu e respondeu:

Depende de você… ela está em suas mãos!!!

Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro.

Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado. Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não conquistamos).

Nossa vida está em nossas mãos, como a borboleta azul…

Cabe a nós escolher o que fazer com ela.

A Revolução dos Bichos (Animal Farm - 1954), de George Orwell (desenho animado legendado)


via Byline

A Revolução dos Bichos é mais um daquelas animações necessárias e imprescindíveis. Baseado no clássico de George Orwell, demonstra claramente como qualquer m...
Views: 0
0 ratings
Time: 01:09:28 More in News & Politics

sábado, 22 de fevereiro de 2014

O espetáculo do sol - Prof. Felipe Aquino

Se algum dia você se sentir desprezado pelas pessoas, não se aborreça.
Se algum dia você perceber que não valorizam os seus esforços para melhorar, não fique nervoso e aborrecido, isto só lhe faria mal.
Se algum dia você se sentir rejeitado pelos homens e, esquecido, colocado em segundo lugar, não se aborreça, não serás menor por causa disso.
Se algum as pessoas não notarem a grandeza da tua alma, também não fique com raiva delas, você não perderá nada por causa disso.
Se você se levantar todos os dias para fazer o bem aos outros, e mesmo assim ninguém te agradecer por isso, não fique aborrecido, você não perdeu o mérito de suas boas obras.
Se você fez um belo trabalho e ninguém te parabenizou e aplaudiu, não fique frustrado, a sua obra continuará grande.
Se você sorri para as pessoas, ajudando-as a viver, mas elas não percebem o valor do teu gesto e não te agradecem, não se revolte, a tua grandeza permanece.
Se você renova todos os dias, incansável, e gratuitamente, o seu amor às pessoas, e elas não são gratas a isto, não fique triste, pois também o Sol nasce todos os dias, gratuitamente, e a maioria não repara isto.
Todos os dias ele dá um grande espetáculo ao nascer, mas a maioria da plateia está dormindo e não pode lhe aplaudir.
Todos os dias ele se levanta para nos dar a luz, o calor e a vida, e a maioria nem nota tudo isto.
Não fique triste e frustrado, Deus vê todas as coisas e te recompensará muito mais do que os aplausos dos homens.

Prof. Felipe Aquino

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

SONHE - O melhor vídeo de inspiração em 2014 para você agir


via Byline

Este vídeo fará você refletir e talvez encarar de uma outra maneira tudo que tem feito.
Views: 1
0 ratings
Time: 06:35 More in Entertainment

O ESPAÇO SECRETO


A menininha vivia numa solidão imensa. Seus pais não permitiam que ela tivesse amigos. "Bastam os parentes", diziam. As janelas da casa eram protegidas do exterior por persianas abaixadas que criavam um espaço interior de sombras. Pelas frestas das persianas, ela olhava o mundo luminoso que vivia lá fora. Sua casa não era sua casa. Não havia nela espaço para sua solidão. A solidão da criança é aquele mundo em que ela está protegida da vigilância adulta. Da minha infância tenho memórias felizes dos meus espaços solitários, espaços da minha liberdade. Há os grandes espaços solitários, a criança correndo livre, longe dos olhos adultos. Vejo-me soltando pipa… E há os pequenos espaços solitários, os espaços aconchegantes. As crianças gostam de fazer cabaninhas, sonham com uma casa no alto de uma árvore, onde os adultos não chegam. Pois essa menininha descobriu o seu espaço, espaço que era só dela, ninguém mais sabia, ninguém entrava nele: era um taco de assoalho solto no fim de um corredor. Quando ela levantava o taco, ele se transformava na caverna de Ali Babá, cheia de tesouros. Ali a menininha guardava pedrinhas coloridas. Não importava o valor das pedrinhas. Importava que elas eram o seu tesouro, as suas jóias… Naquele espaço ninguém mais entrava. Só ela… Uma terapeuta contou-me de um paciente seu, um garotinho. Ele tinha uma caixa onde guardava os seus tesouros. Numa sessão de terapia, ele e ela fizeram um jogo num papel. Ele achou o jogo maravilhoso. Guardou-o no seu cofre. Na sessão seguinte, ela lhe perguntou sobre o jogo. Ele respondeu: "Jogou fora" e não soube dar maiores explicações. Como ele só falava na terceira pessoa, ela entendeu o "Jogou fora" como "Joguei fora". Conversando com a mãe do menino, ela perguntou: "O que o Joãozinho fez com o jogo que fizemos?". Ela queria compreender as razões do comportamento do menino. A mãe não entendeu. A terapeuta explicou: "Ele havia guardado o jogo naquela caixa…". "Ah!", sorriu a mãe, "aquela caixa de tranqueiras bobas e sujas? Limpei a caixa. Joguei tudo fora…". Pobre mãe! Ela não sabia que havia jogado fora pedaços preciosos da alma do seu filho.

(Rubem Alves, em "Ostra feliz não faz pérola").

Falta de tempo.


Dessa forma, eu digo: não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo.

Não deixe de ter alguém ao seu lado, ou de fazer algo, por puro medo de ser feliz.

A única falta que terá, será desse tempo que infelizmente…

Não voltará mais.

Mario Quintana

Adepto a verdade.

Sou adepto da Verdade, mas acho que a Verdade não deve ser lançada na cara de ninguém... 


Jesus silenciou diante de Pilatos.

Naquelas circunstâncias, adiantaria dizer alguma coisa!

Nunca se deve prevalecer da Verdade para humilhar alguém.

A Verdade que esmaga está destituída de Amor!

Deus não age assim...

A Verdade só deve ser dita quando possa servir de alavanca para reerguer quem se encontra no chão.

Eu fugiria de quem só tivesse verdades para me dizer...

A gente enlouquece.

Deus não nos violenta...

A razão nunca está de um lado só.

As pessoas que se orgulham de ser francas demais estão escondendo de si mesmas a sua própria realidade...

CHICO XAVIER

VOCÊ FAZ A PAZ

Procure uma posição confortável, acomode-se.
Fique em silêncio, feche os olhos, concentre-se.
Lentamente, respire fundo.
Relaxe, pense no mundo.
Atinja o nível mais alto do pensamento.
Sinta o que falta aos seres humanos
neste momento.
Analise a situação atual da humanidade.
E em como você pode colaborar,
mesmo com pouca idade.
Imagine um mundo sem ira, sem ódio,
sem inveja e sem maldade.
Só a honra de cada cidadão
cumprindo seus direitos e deveres com serenidade.
Pense na paz em plenitude.
E em como alcançá-la, com certas atitudes.
É tão fácil e seria maravilhoso.
Qualquer um pode colaborar
com um comportamento honroso.
Torne isso uma realidade.
Então verá que só assim
a vida tem sentido de verdade.
Cumpra pelo menos você a sua parte
e proporcione paz.
E verá a felicidade que isso traz.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Esvazie a mala - Roberto Shinyashiki


Pessoas que não conseguem desapegar-se das coisas que acumulam na vida, deixam de aproveita-la, porque não conseguem livrar-se de suas pesadas bagagens.
Em minhas viagens, costumo encontrar muitas pessoas que não curtem a jornada porque estão preocupadas demais com sua imensa bagagem. O mesmo acontece com as pessoas que não conseguem desapegar-se das coisas que acumulam na vida: bens, cargos, posições e até mesmo relacionamentos. Elas, com freqüência, deixam de aproveitar a vida porque não conseguem livrar-se de suas pesadas bagagens.
A ruptura de um relacionamento, por exemplo, não é nada fácil, embora em geral, no começo da relação, tudo seja muito simples e gostoso. Estamos, normalmente, tomados pelo delicioso anestésico da paixão. Lidar com o fim de uma relação, porém, é coisa que poucos sabem – embora todos nós possamos aprender.
A melhor história de desapego que conheço aconteceu com um casal de amigos meus. Certo dia, eles me convidaram para uma festa. Ao chegar, vi que se tratava de uma ocasião especial: decoração caprichada, banda de música, todos os amigos e familiares presentes. Lá pelas tantas, para surpresa geral, o casal anunciou que a festa era em comemoração de sua despedida. Estavam celebrando o fim de um ciclo de sua vida após dezessete anos de união. Em um discurso, explicaram:
– Para que a planta nasça, é preciso matar a semente. Para que o fruto exista, é preciso morrer a florada. A borboleta só surge com o desaparecimento da lagarta. O ser humano não existe sem o embrião e só vinga com a transformação do óvulo. Estamos morrendo para esse relacionamento, porém sinceramente preocupados e comprometidos em nascer para outros muito melhores, em que possamos doar o máximo de cada um de nós! Por favor, não fiquem tristes com nossa separação porque os amigos do coração nunca se separam.
Eles decidiram separar-se quando perceberam que estavam mais preocupados em anular a alegria um do outro do que em ser felizes. Se, para serem felizes, era importante transformar essa relação, eles dariam esse passo. Até mesmo para manter a amizade.
Que coragem, não?
É muito raro que alguém admita diante do parceiro que está casado por causa do conforto e não tem mais coragem de enfrentar a própria vida.
Se meu casal de amigos insistisse em seu relacionamento, provavelmente acumularia infelicidades e não poderia aproveitar os diversos passarinhos do amor que ainda surgiriam.
Por isso, não tema deixar para trás as coisas que já morreram. Elas são como uma bagagem que não é mais necessária.
Somente nossa experiência de vida e nosso desejo de criar uma existência cheia de significado são tesouros leves para carregar.

Roberto Shinyashiki

Levar o amor....



Que eu leve o amor...

A mim, em primeiro lugar.

Que eu leve o amor para dentro de mim e que todo auto-ódio se converta em chance, em nova chance.

Que eu me dê novas chances...

De amar de novo, de acertar de novo, de dar ao menos um pequeno passo adiante, afastando-me da estagnação.

Onde houver ódio em mim, que eu leve o amor; não esse amor de plástico, disfarçado de complacência, que mais me engana do que me enobrece.

Que seja um amor maduro, que proclama seguro:

- Eu sei quem sou! Eu sei quem quero ser!

Que eu leve o amor...

À minha família.

Onde houver ódio em minha família, que eu leve o amor...

Que eu seja a luz, mesmo que pequenina, a iluminar a escuridão dos dias difíceis em meu lar.

Que eu leve o amor aos que sofrem em silêncio e não querem falar de suas mazelas. Que minhas preces e meu sorriso os guarde em paz...

Que eu leve o amor quando seja ofendido, maltratado, menosprezado, esquecido. Que eu lembre de oferecer a outra face do ensino do Cristo.

Que eu leve o amor quando meus filhos sejam ingratos. Que minha ternura não seque tão facilmente.

Que eu leve o amor quando meus pais não me compreendam e não sejam os pais que gostaria de ter.

Que minha compreensão desperte de seu sono e perceba que eles buscam acertar, que buscam dar o melhor de si, embora nem sempre tenham êxito.

São os pais que preciso. São os pais que me amam.

Que eu leve o amor quando o romance esfriar e algumas farpas de gelo me ferirem o coração.

São os espinhos da convivência. não precisam se transformar em ódio se o amor assim desejar.

Que eu leve o amor... Aos meus inimigos.

Que eu leve o amor mesmo a quem não me tem amor.

Que eu respeite. Que eu compreenda. Que eu não me entregue ao ódio tão facilmente.

Que eu leve o amor aos que me querem mal, evitando aumentar seu ódio com meu revide, com minha altivez.

Que ore por eles. Que lhes peça perdão em prece, mesmo muitas vezes não recordando dos equívocos que macularam seus corações.

Que lhes mostre que ontem errei, mas que hoje estou diferente, renovado, disposto a reconstruir o que destruí.

Que eu leve o amor...

A minha sociedade.

Que eu leve o amor aos que não conheço, mas que fazem parte de meu mundo.

Que eu aprenda a chamá-los todos de irmãos...

Que eu leve o amor ao mundo, perfumando a Terra com bons pensamentos, com otimismo, com alegria.

Que eu leve o amor aos viciados em más notícias, aos pessimistas, aos que já se entregaram à derrota.

Que meu amor os faça ver a beleza da vida, das Leis de Deus, do mundo em progresso gerido por Leis de amor maior.

Que eu leve o amor aos carentes, do corpo e da alma. Que meu sorriso seja a lembrança de que ainda há tempo para mudar, para transformar.

Sou agente transformador. Sou agente iluminador. Sou instrumento da paz no mundo.

Que eu leve o amor...

SEMPRE AMIGOS


via Byline

Canção composta e executada por WANYR CACCIA, publicitário, músico, palestrante e divulgador espírita através de palestras musicadas. CONTATO: w.caccia@uol.c...
Views: 1
0 ratings
Time: 04:35 More in Music

O mestre e a cobra.


Um mestre do Oriente viu quando uma cobra estava sendo queimada e decidiu tirá-la do fogo, mas quando o fez, a cobra o picou.

Por reflexo e pela de dor, o mestre a soltou e a cobra caiu novamente no fogo, voltando a se queimar...

O mestre tentou tirá-la novamente e novamente a cobra o picou.

O discípulo que estava observando a tudo, se aproximou do mestre e lhe disse:

— Desculpe-me, mestre... Eu já entendi que todas as vezes que tentar tirar a cobra do fogo ela irá picá-lo!

O mestre então explicou:

— A natureza da cobra é picar, mas isto não vai mudar a minha, que é ajudar.

Então, com a ajuda de um pedaço de madeira o mestre tirou a cobra do fogo e salvou sua vida.

Não mude sua natureza só porque alguém lhe fez algum mal... Não perca a sua essência, apenas tome precauções.

Alguns perseguem a felicidade, outros a criam.

Preocupe-se mais com sua consciência do que com a sua reputação, porque a sua consciência é o que você é, e a sua reputação é o que os outros pensam de você.

E o que os outros pensam, não é problema nosso... é problema deles...

(texto recebido de Leandro Florio)

O CONTO DA MOSCA



O CONTO DA MOSCA – Hilário Silva

- A impaciência é vício grave. Falta de caridade para consigo mesmo. Por isso, afirmava Jesus: "Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a Terra" Isso quer dizer que o homem sereno desfruta o privilégio de mais extensa vida no corpo.
Jerônimo, o benfeitor espiritual, falava pelo médium, com grande acerto. E continuava:
- O suicídio indireto é, muitas vezes, praticado pelos cultores da intemperança mental. Em muitas ocasiões, basta um momento de indisciplina e a morte surge por nonadas.
A sessão terminou e todos exaltaram a excelência dos conceitos ouvidos. E Fraga, o contador de vários estabelecimentos comerciais, coçando nervosamente a cabeça exclamou risonho:
- Tão bons conselhos! Tão bons conselhos!
No outro dia, porém, o mesmo Fraga, entre os livros do escritório, no calor da tarde, via-se atarantado. Leve mosca zombava dele, procurando-lhe a calva. O zeloso contador tentava alcançá-la com um tabefe, aqui e ali, mas nada … À maneira da personagem de Fedro, castigava improficuamente a si mesmo. Sentindo que ela se alojava, provavelmente pela vigésima vez, entre os seus raros cabelos, bateu fortemente no próprio crânio. A pancada, no entanto, fê-lo cair. Socorro. Aflição. Ocorrera a ruptura de vaso importante no cérebro, e Fraga, em poucas horas, se viu desencarnado.
Quando acordou, espantado, no regaço do piedoso Jerônimo, ao conhecer a própria situação, gritou, afobado:
- E agora, meu Deus? Que fazer?
O amigo espiritual, todavia, informou calmamente:
- Você já se encontra fora do corpo de carne há dois meses, mas apenas agora toma acordo de si. Já estudamos seu caso. Você estava avisado quanto aos perigos da impaciência e caiu, mesmo assim, no conto das moscas. Suicídio indireto, meu caro, suicídio sem nenhuma razão de ser. E você ainda dispunha de onze anos pela frente para trabalhar junto aos homens.
- E agora? Que faço?
O benfeitor espraiou o olhar pela casa de socorro terrestre em que se achavam e esclareceu:
- Já expliquei o problema aos nossos Maiores. Pela vida correta que você levou, decerto não merece o pavor das`regiões abismais. Mas também não está habilitado para subir. Ficará aqui mesmo.
- Aqui, onde? – indagou Fraga, assombrado.
- No hospital onde estamos.
- Com que fim?
- Ajudando aos enfermeiros…
- E fazendo o que?
Sem sorrir, Jerônimo explicou simplesmente:
- Aprendendo a ter paciência, você ficará durante algum tempo a espantar moscas…

A Vida Escreve – Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, 
pelo espírito Hilário Silva

 

 

O dinheiro realmente traz felicidade?


via Byline

Muitas pessoas são infelizes porque dão mais valor aos bens que NÃO possuem e conferem status social, ao invés de se importarem com tudo o que conquistaram a...
Views: 5
0 ratings
Time: 26:13 More in Entertainment

Oração da Felicidade

Senhor, com muita fé e esperança, venho à sua presença rogar por(.......)pois sei da necessidade de suas almas, e dos momentos nem sempre felizes pelos quais eles tem passado...
Peço, amado Pai, afasta desses coração todos os sentimentos negativos que possam induzi-los ao equívoco e à perturbação, e leva para longe pessoas ou situações que tão somente povoariam suas horas de sofrimento e sombras...
Aqueles amigos que não lhe correspondem à sinceridade - afasta, meu Deus!
Os companheiros doentios que no trabalho lhes espreitam a competência - afasta, meu Deus!
Aquela relação que pode resvalar para o desengano e a dor - afasta, meu Deus!
Os desvios de consciência, que podem causar prejuízos sem conta - afasta, meu Deus!
O hábito da acomodação - afasta, meu Deus!
As iniciativas frustradas - afasta, meu Deus!
Todo o mal da estrada - afasta, meu Deus!
Sei que não posso alterar-lhes o destino, porém sei que posso pedir que os protejas, com Teu Amor e Tua Misericórdia, para que lhes sejam atenuadas provas e expiações... Sei que posso, com todas as forças do coração, interceder por aqueles que colocaste em minha vida, rogando para eles paz, alegria, harmonia e refazimento, não importa quem sejam e nem qual o sentimento possam nutrir a meu respeito...
Que a tua bênção e a tua luz possam refazer sentimentos e oportunidades, coroando todos os seus anseios de sucesso e felicidade. Mesmo que o sorriso que ostentem seja tristeza em meus olhos, mesmo que a alegria que conquistem me signifiquem dias menos doces e serenos; mesmo que o progresso financeiro os faça grandes e belos e os coloque muito acima de mim; mesmo que o poder os bafeje e eles não me reconheçam na multidão; mesmo que deixem de notar minha presença, mesmo que ignorem; mesmo que desprezem, mesmo que me esqueçam, ainda assim, Senhor, abençoa-os plenamente e nada do que puderes lhes conceder lhes seja retirado por minha causa, pelo motivo que seja!...
Que todo bem esteja em suas vidas, trazendo saúde e paz para si e aos seus familiares e amigos. Afasta a doença e a intranquilidade, e proporcione euforia, confiança, crescimento e realização. Que não falte dinheiro, que não lhes seja de menos o alimento... Que as noites sejam suaves e os sonhos revigorantes. Que sejam amados, respeitados e, se por ventura cairem em erro, que a misericórdia lhes seja abundante o bastante para que se refaçam do equívoco sem dores maiores que aquela que a consciência com certeza lhes indicará...
Que os bons espíritos possam ajudá-los constamente com seu conselhos e bons eflúvios, para que os dias transcorram harmoniosamente, afastando toda a desordem e perturbação.
Mas, acima de tudo, Pai, acima do que posso julgar bom para eles, concede-lhes o que realmente necessitam, na medida de seu merecimento! De mim sei que criaste a alegria para os teus filhos e sei que dela eles podem e devem participar! Não criaste a lágrima como regra para a existência e por isso, confiante em Tua proteção, peço permitas que eles se alegrem indistintamente com tudo o que lhes enviares, e que aceitem as lições e as provas com a confiança do aprendiz que busca, em qualquer clima e lugar, a sabedoria e a elevação para atingir, adiante, jubiloso e pacificado, a felicidade plena e imorredoura!

Assim seja!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Para refletir - A Bíblia e o celular


via Byline

esse vídeo vai para você que realmente quer um compromisso com Deus.
Views: 0
0 ratings
Time: 08:40 More in People & Blogs