abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Do lado de fora do mundo…


Ju Farias
27 de fev de 2017 04:50

Você já sentiu que estava do lado de fora do mundo?

Quero dizer, já teve a sensação de que as coisas saíram do lugar e algumas sobrevoam sua cabeça sem sentido algum, mas você permanece em outra dimensão? As pessoas se movimentam rapidamente, de um lado para o outro, e a gente mal consegue acompanhar.

O lado de fora do mundo existe e está mais próximo do que imaginamos. Além disso, as pessoas correm mais, isso é verdade absoluta. Fica difícil andar junto quando nosso ritmo está em outra velocidade.

Parece que acontece tudo ao mesmo tempo: o outro lado do mundo e nossa tentativa frustrada de segurar na mão de alguém. Não existe a menor possibilidade de alcançar qualquer pessoa estando do lado de lá.

Mas não há mistério, o lado de lá é só outra parte desse quebra-cabeça que é a vida. E nesse jogo maluco – e cheio de surpresas, vamos tentando juntar as peças para completar o ciclo. Porém, na falta de uma peça já não é mais possível decifrar o enigma.

Viver é esse exercício de descobrir aos poucos, de desvendar detalhes que acabam fazendo toda diferença no resultado final. A grande verdade é que alguns quadros nunca estarão completos. E quanto mais tentamos encontrar essas peças, mais distante elas ficam.

Certas coisas são o que são e pronto. Nada é tão incompleto quanto uma existência vivida para entender os motivos de tudo o que acontece (e do que não acontece). Quem cria a necessidade do inquérito acaba sempre desconhecendo o destino, pois fica ligado demais nos desvios que poderia ter feito. E não fez.

O outro lado é só o outro lado e as peças que faltam são apenas peças que faltam. Nada mais do que isso.

Parece tão óbvio, mas não é. Sabe quando que a gente aprende isso? Quando escutamos a música que toca no lado de fora do mundo. E só é possível ouvir essa canção quando estamos em silêncio.

Tenho aprendido a ficar em silêncio para entender direitinho essas sensações. E deixa só eu esclarecer: silêncio absoluto, mas um barulhão danado lá dentro, sabe isso? Fora o tambor que faz tum tum descompassado aqui no peito, tem outros sons inquietantes que assombram os tímpanos.

Tenho aprendido a ouvir o que as pessoas não dizem – e elas dizem tanto assim… (Isso pode assombrar o seu tímpano esquerdo, esse localizado no mesmo lado do coração, cuidado!). Detalhes, pequenas sutilezas que não acontecem, olhares que não chegam, telefones que não tocam, ihhhhhh… a lista é longa.

O lado de fora do mundo nos dá a oportunidade da observação, esse sétimo sentido que a gente quase não usa, mas que nos explica muito das peças que não encontramos. Tenho gostado do ditado aquele: silencie e observe por longos períodos.

Silêncio para ouvir o barulho e entender o que ele diz.

Vez ou outra essa voz vem de alguém querendo enlouquecer o que já está maluco, mas quase sempre ela acontece dentro da gente, no lado de fora do mundo.

Nem sempre o resultado da observação é do jeito que a gente imaginou, quase nunca é, mas certamente nos poupa de muitas outras coisas que não precisamos sentir, sabe? E se o outro lado do mundo ainda nos chama para uma temporada, só posso dizer uma coisa: é porque ainda não entendemos o que nos leva até lá.

The post Do lado de fora do mundo… appeared first on .