abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

domingo, 19 de fevereiro de 2017

QUEM PODE MELHORAR O PASSADO?


Fãs da Psicanálise – Jane Castelo Branco
17 de fev de 2017 15:29

Estudos revelam que cerca de 90% de nossa energia psíquica é investida naqueles espaços intangíveis que insistimos em visitar: "passado" e "futuro". O interessante é que, na linearidade do Cronos, ambas as grandezas são inapropriáveis. Ambos os tempos "não são"; apenas o agora "é-já-não-sendo".

Nos últimos dias (estranhamente), tenho encontrado diversas pessoas que fizeram morada no ontem (e de lá não querem sair), na tentativa de mudar o amanhã (que não chega da forma imaginada)…

Pessoas que machucaram ou foram machucadas; pessoas que traíram ou foram traídas; pessoas que decepcionaram ou foram decepcionadas; pessoas que se sentem, de algum modo, na obrigação de consertar, corrigir, adaptar… E, não raramente, quanto mais tentativas de restauração, mais dores, mais rancores, mas prisões.

Passado… Que ente poderoso é este?

O passado, dentro da realidade humana, é um verdugo que faz "sangrar" a nossa psiquê, aprisionando-nos a mágoas, culpas, vergonhas, dores e medos, ao mesmo tempo em que alimenta (em nós) uma cadeia contínua de traumas e autopunições.

Quantos já não se renderam ao chicote desse algoz empoeirado?

Mas, por que muitos se sujeitam tão docemente a um carrasco tão conhecido? Talvez porque boa parte das pessoas gostaria de não errar nunca, de fazer o que é correto sempre, de ter êxito em tudo… Assim, curvados diante de um imperativo de inerrância absoluta, procuram uma forma de "melhorar" aquilo que já foi…

Mas, alguém pode, de fato, melhorar o passado?

O Efeito Borboleta é uma expressão ligada à Teoria do Caos que resume a seguinte ideia: uma mínima mudança no início de um evento pode desencadear consequências absurdas e desconhecidas no futuro (o bater de asas de uma borboleta no Brasil, por exemplo, dentro dessa teoria, poderia desencadear fenômenos meteorológicos de grande magnitude no Texas).

Quem já assistiu ao filme de mesmo nome (Efeito Borboleta) consegue entender quão pior pode ser o futuro de uma pessoa, se alterado em sua concepção.

Leia mais: Deixe a dor passar 

A mensagem desse texto longo é uma só: às vezes — como Ashton Kutcher, no final do filme —, precisamos simplesmente deixar o passado passar, porque algumas "químicas existenciais" não têm outro poder, senão o de desencadear o caos (em nós e naqueles que nos cercam) — independente dos padrões em que tentemos nos encaixar; independente dos movimentos que façamos para "melhorar" determinada resposta.

Voltando ao início do post, creio que para vivermos a potencialidade do hoje (espaço em que cabem todos os sonhos e aspirações), precisamos aceitar o fato de que algumas pessoas só têm a capacidade de nos fazer mal, e nós a elas.

E essa consciência pode ser libertadora…

O post QUEM PODE MELHORAR O PASSADO? apareceu primeiro em Fãs da Psicanálise.