abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

terça-feira, 14 de março de 2017

Estar em depressão é querer ser forte o suficiente para viver intensamente


Psicologias do Brasil – Psicologias do Brasil
13 de mar de 2017 20:50

Por Aline Rollo

De dois anos pra cá, as crises tem sido tão frequentes que sinceramente esgotei todas as possibilidades de tratamento. É uma doença cruel, que me devora pouco a pouco e faz com que eu não me importe com mais nada. As contas vencem e eu esqueço de pagar. Esqueço de levar as chaves quando consigo sair de casa. Esqueço de responder mensagens de pessoas queridas. Acredite, não é descaso. É uma apatia que mal me deixa levantar da cama.

Aliás, o ato de levantar da cama exige um esforço surreal. Eu abro os olhos e já estou tremendo, coração saindo pela boca. Muitas e muitas vezes penso em desistir de levantar e ficar ali mesmo, deitada pra sempre. Meu desejo é esse, na maioria das vezes. Passo horas olhando para o filtro dos sonhos pendurado na minha janela. Observo ele indo e vindo, balançando com o vento, enquanto procuro entender porque estou passando por isso novamente.

Ao todo, são 4 remédios diários. Todos muito fortes. Iniciei, como última alternativa de tratamento, a acupuntura com homeopatia. Então, no total, tomo agora 9 remédios diários, cinco deles homeopáticos. Obviamente que preciso fazer lembretes no celular para tomar todos eles.

Faço academia e yoga, que são atividades chave para o tratamento contra depressão e ansiedade. Mas esta última crise, instalada em mim há uns 4 meses, não tem dado muita trégua, por mais atividades físicas que eu faça.

Pedi o desligamento da chefia do meu trabalho. Não podia mais lidar com tudo aquilo após ficar um mês de cama, fazendo mil exames de todos os tipos, cheia de manchas pelo corpo, para ser diagnosticada pela milésima vez com depressão. Desta vez aguda, segundo minha terapeuta.

Continuo trabalhando, agora sem a responsabilidade de uma chefia tão grande. Sou completamente apaixonada pelo meu trabalho, e sei que sou boa no que faço. Porém, a apatia me faz pensar o tempo todo que não dou conta. Não dou conta da minha filha, família, trabalho, relacionamentos e amigos.

Tenho tido um respaldo que nunca imaginei ter. Mesmo estando em um grande isolamento, meus amigos estão perto. Mesmo que eu não possa retribuir agora o que eles têm feito por mim, eles continuam por perto, o tempo todo.

Minha mãe está criando novamente uma criança grande. O tempo todo ligada, prestando atenção no meu comportamento, que muda cinco vezes por dia. Ela está comigo todo o tempo, me amparando, me dando todo o suporte que preciso. São dias difíceis e eu não conseguiria sem ela nem minha filha.

Fico tentando achar uma solução pra mim o tempo todo. Algo que me faça sair dessa crise que parece eterna. Existem mil saídas mas nenhuma viável. Qualquer uma delas seria radical demais e obviamente as pessoas não entenderiam. Vivemos numa sociedade que não entende o que é a depressão e o que ela faz com a gente. Ou somos frescurentos, ou mimizentos, ou preguiçosos, ou irresponsáveis. Este é o julgamento que alguém com depressão enfrenta diariamente.

O que eu mais quero na vida é sair dessa. Porque essa pessoa que está escrevendo agora não sou eu. Essa não é a Aline que tem tanta vontade de viver, aproveitar cada segundo, cada momento. Quero voltar a ser eu mesma. Ver o mundo cheio de cores e tons que eu sempre admirei. Poder estar com a minha família e amigos por inteiro. Trabalhar com a mesma paixão de sempre.

Depois de tantos anos de luta e esforço, ainda tenho esperança que meu sorriso largo vai voltar a ser tão espontâneo quanto minha vontade de viver intensamente.

Imagem de capa: Shutterstock/Stock-Asso

TEXTO ORIGINAL DE OBVIOUS

O post Estar em depressão é querer ser forte o suficiente para viver intensamente apareceu primeiro em Psicologias do Brasil.