abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

terça-feira, 14 de março de 2017

Ninguém nos irrita. Irritamos a nós mesmos quando não nos controlamos


A mente é maravilhosa – Daniela Corcuera
12 de mar de 2017 02:51

Comecemos defendendo que nem toda perspectiva de irritação é ruim, pois pode ser decisiva, às vezes, para oxigenar o corpo. Contudo, existe uma linha muito tênue que divide esse ponto de vista daquele outro que diz que nem sempre somos capazes de nos controlar.

É desta face mais negativa que iremos tratar a seguir: é o lado que chega com a ira e a raiva, revelando a parte mais obscura de nós mesmos. Neste sentido, quando nos irritamos assim estamos agindo com uma reação voluntária – portanto evitável – diante de uma provocação alheia: ninguém nos enfurece, enfurecemos a nós mesmos.

A irritação que leva à ira nos confunde

Em linhas gerais e resumindo a introdução, a irritação deixa de ser positiva quando se torna tóxica pela falta do controle que podemos exercer sobre ela. Quando você deixa de ter o controle e o transfere à irritação, chega o problema: o sentimento nos invade e esfumaça a razão.

A razão pode ficar tão nebulosa que não é de estranhar uma situação onde a discussão nos leva a nos perdermos por outros caminhos, de modo que acabamos esquecendo os motivos reais pelos quais nos sentimos incomodados. A ira e a raiva se transformam em guias dos nossos movimentos e isto faz com que possamos cair no erro.

"A irritação é uma emoção muito intensa que sequestra o cérebro. Quando a irritação toma conta, faz a nossa memória se reorganizar a ponto de nos fazer esquecer, em plena discussão, porque esta começou."
-Daniel Goleman-

Um erro que signifique arrependimento por falar mais do que desejamos, e além disso fazê-lo de forma errada. Erro de se alienar em favor da arrogância e do egoísmo (não ouvimos e olhamos o próprio umbigo). Em resumo, quando nos irritamos acabamos em um lugar onde não sabemos exatamente como chegamos, nem por quê. Um lugar no qual, além disso, não gostaríamos de estar.

mulher-com-raiva

Acredite na possibilidade de que existe outra forma

O que fazer então? Esta pergunta emerge ao ganharmos consciência de que a face negativa da irritação é difícil de neutralizar. Pois bem, precisamos ser capazes de confiar que existe outra forma de encarar os acontecimentos. Por algumas circunstâncias – como o estresse permanente – podemos nos irritar de forma costumeira. Seja este caso ou outro, uma possibilidade é encontrar ferramentas que nos preparem psicológica e emocionalmente para um conflito.

A principal é saber que a qualquer momento pode acontecer alguma coisa que nos altere, e precisamos aceitá-la como uma possibilidade. As discussões não podem deixar de existir, assim como essa sensação de irritabilidade que toma conta quando mergulhamos nelas.

"Não confie que o inimigo não aparecerá. Confie no que você espera. Não confie que ele não irá atacar. Confie em como você pode ser intocável."
-Matilde Asensi-

Contudo, conhecer bem nossos pontos fracos – aqueles que doem – nos ajudará a administrá-los quando for necessário. Para isso, podemos desabafar escrevendo, tirando todo o benefício de técnicas como a ioga, ou cultivando uma perspectiva mais positiva do mundo onde o protagonista seja o humor, etc.

A paradoxal falta de controle daquilo que é controlável

Como dissemos, é verdade que em um conflito com outra pessoa aparece a situação de ação-reação e é difícil se controlar; no entanto, dizíamos que no fim das contas o dono da irritação somos nós mesmos. Neste sentido, observamos que cada um é dono das suas emoções e atitudes, e paradoxalmente não conseguimos nos controlar.

alegria-raiva

Por um lado, parece que existem pessoas que são mais propensas a se irritar com os outros: se exaltam com mais intensidade que a média (gritam, mostram mau humor e insultam com mais facilidade). Por outro, é comum expressar por meio da irritação outros sentimentos negativos que são considerados piores socialmente, como a inveja.

"É irônico que uma das poucas coisas sobre as quais temos controle é sobre nossas próprias atitudes, e ainda assim, a maioria de nós vive a vida inteira se comportando como se não tivesse nenhum controle."
-Jim Rohn-

Ledo engano: a irritação convive com a nossa peculiaridade humana, mas é bom nos controlarmos para que a batuta do nosso próprio comportamento não caia nas suas mãos. Em resumo, a melhor coisa é procurar evitar a cólera e os seus sinônimos, produtos da frustração.

The post Ninguém nos irrita. Irritamos a nós mesmos quando não nos controlamos appeared first on A mente é maravilhosa.