abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

terça-feira, 28 de março de 2017

Quem gosta de banho-maria é pudim!


CONTI outra – Ana Macarini
26 de mar de 2017 20:23

Nunca confie em pessoas mais ou menos. Esse povo que sorri amarelo, que fala meias verdades, que adora mandar uma indireta. Gente que só não sabe o que quer quando a coisa não lhe afeta diretamente, para o bem ou para o mal.

Esse negócio de cor neutra, água morna, comida insossa não consegue manter nenhuma pessoa viva entretida por muito tempo.

Cor neutra só se for em parede, caso contrário vai murchando a pessoa. Imagina só passar uma vida inteira usando bege. Ou pior, vestir roupa daquela cor que oscila entre o nude e o café com leite, e ficar parecendo que saiu sem as calças para quem vê assim, meio de relance.

Pense, então, numa vida fadada ao morno… Banho morno, relacionamento morno, café morno… Eu, hein! De repente, a pessoa assume aquele estado de letargia, sai por aí feito um morto–vivo e acha que tudo bem, porque nem se lembra mais o que é a delícia de uma água gelada pra acalmar o fogo da garganta e o aconchego de um café quente para despertar o espírito. Morreu de quê, coitado? Sei lá… parece que se dissolveu por falta de estímulo.

E comida sem gosto? Tipo aquelas gororobas que são servidas no "bandeijão" da faculdade. Tudo tem o mesmo gosto. Tanto faz se é frango, carne ou peixe… tudo é meio cinza e fibroso. Gosto de nada. Chega uma hora que a pessoa nem mastiga mais direito. Pra quê? Comer vira uma obrigação.

Mas nada, nada mesmo, pode ser pior que um relacionamento morno. Durante alguns dias, pode ser até um alento essa calmaria. Nada de conflitos, nada de desafios emocionais, nada de enfrentamento, nada de nada.

Amor morno. Tente repetir isso algumas vezes seguidas. Amormornoamormornoamormorno! Tenha santa paciência! Parece aqueles mantras que a gente aprende na Yoga pra esvaziar a mente.

Amor não foi feito pra esvaziar nada. Amor foi feito pra invadir, isso sim! Invadir a alma da inquietação daqueles que ousam subverter a ordem dos chatos de plantão e se apaixonar até as últimas consequências. Amor sem calor, sem gelo na espinha, sem sabor e sem sobressalto não serve.

Quem gosta de banho-maria é pudim. A gente, que insiste em continuar sendo gente, apesar de toda a força contrária, gosta mesmo é do fogo intenso das coisas lindas que tiram a gente do eixo, ou do arrepio dos ventos inesperados que mudam tudo de lugar.

No mais, que venham as janelas e portas escancaradas, ou o desafio das trancas que escondem o desconhecido, porque pelas frestas só passam as coisas poucas. E de miséria, o mundo já está rigorosamente saturado, não é não?

Imagem de capa meramente ilustrativa: cena do filme "Em luta pelo amor"

The post Quem gosta de banho-maria é pudim! appeared first on CONTI outra.