abril acabar acontecer admin afirmo agosto agradecer ah ai ajuda alegria algua alguma alheia almeida ama amar amor ansiedade aonica apegue-se appeared aprenda aprendendo aprender aproveite assunto ata banalizar boas ca cabe caminho capacidade capazes cicatrizes cintia coisas comeasso confianassa coraassapso coragem costas criar cuidado deixa deixar deixe delas depressapso desejo despedida desperte deus devemos dezembro dias dinheiro disposto doaassapso dor ego enfim ensina entapso errado erros escolhas escolher espinho espinhos espiritual esponja estamos estapso esteja estiver estresse existe existem existir fa faassa falando felicidade feliz felizes fev fevereiro ficar filtro fique first fiz flor forassa forte fosse frases frente fundo gente gilson gosta gostaria gratidapso ha heranassa idade importa importante ir iria ja jago jamais janeiro jesus julgamentos julho juliana junho juntas junto juntos la leia lhe liberdade lindas livre lo ma maio maneiras mantra mantras marasso medo melhor melhores mensagens mente mesmo mestre mim morte motivaassapso muda mudar mulheres mundo negatividade ningua nishiyama novembro olha olhar on oraassapso ouassa outubro ouvir pai palavras parede participar passa paz pensa pensamentos perdemos perguntas permanecer pertinvolzes pessoa pessoas pior post postado postagens pra precisa pria prio problemas provavelmente qualquer queira questaues quiser raiva real realmente refletir reflexapso relaassaues relacionamento relacionamentos respostas reze ria rias rio sa saber saiba seja sejam sejamos seletivos sentimento sentimentos sentir sera setembro sexo si simpatia sinais solidapso sozinho sucesso supere tamanho tamba tempo tenha the tipo toma torna total tra tristeza trofa universo utilidade valorizar vamos veja velho veneno verdade verdadeiro vida vive viver vontade vou

sexta-feira, 3 de março de 2017

Se não for por amor, nem saio da cama!


CONTI outra – Ana Macarini
3 de mar de 2017 18:14

De acordo com Carlos Drummond de Andrade, um de nossos mais brilhantes escritores e poetas, "Existem muitas razões para não se amar uma pessoa, mas apenas uma para amá-la". Tenho cá para mim que além do incrível talento para as letras, Drummond foi também um memorável intérprete da alma humana.

Só as pessoas que conseguem dedicar parte de seu tempo a olhar para o que sente e procurar entender ali, o que sente o outro, são minimamente capazes de vestir o amor em suas vidas.

É… amor é algo que se veste, é preciso intenção forte para moldá-lo ao nosso corpo e espírito, ainda que em alguns dias, seja esse mesmo amor aquela saia que nos ajusta em demasia, ou aquela camiseta cuja etiqueta áspera nos corta a pele.

Amor é seda pura que acaricia, mas também é lã acrílica que pinica. E, muitas vezes, nos cabe a seda em dias gelados, assim como a lã embaixo de quarenta graus à sombra.

Amar é aceitar o imprevisível e entregar-se às dúvidas. Não cabem certezas no ato de amar, justamente porque ele depende visceralmente da nossa capacidade de acreditar naquilo que não se vê, raras vezes se toca, mas enche a vida de sabores doces, e ácidos e indescritivelmente perturbadores.

Ama-se apesar de. Ama-se os filhos, e filhas apesar de serem criaturas absolutamente livres e descrentes de nossas mais criativas preocupações. Ama-se os gatos, apesar de sua independência e indiferença concreta acerca de nossas carências. Ama-se a vida, apesar de não se ter quase nenhum controle sobre o seu destino.

Amar é mesmo verbo transitivo direto; mas haveríamos de encontrar uma outra denominação ao seu complemento que não fosse algo tão material quanto o é um objeto direto. Será culpa da gramática essa nossa falta de jeito para o amor? Será por isso que teimamos em coisificar a quem amamos, como se pudessem ser possuídos como uma peça de coleção, uma joia ou uma recompensa?

Amar só faz sentido se estivermos de fato e completamente envolvidos nessa missão insana e deliciosa de acolher no peito uma outra alma. Proteger sem possuir. Entregar afeto sem passar recibo. Confessar-se atraído sem aprisionar. Dedicar-se sem sufocar. Ligar-se sem depender.

Amar é prática sem defesa, sem peso, sem ataque. Fazer amor. Morrer de amor. Ter amor à arte. Amar porque sim. E por que não?

Se não for por amor, nem saio da cama. Se não for amor, nem me mexo… Fico imóvel, inerte e silenciosa. O amor me deixa barulhenta por dentro, me faz quere mais da vida, me dá apetite, força e coragem.

Amor, pode até ser essa palavra dissolvida em versos de poetas, em canções fluídas na beira de um lugar qualquer. Mas, no fundo, no raso ou na superfície da nossa pele e alma, amor é tudo! E sem ele, não somos absolutamente nada!

Imagem de capa meramente ilustrativa: cena do filme "Desculpa se te chamo de amor".

The post Se não for por amor, nem saio da cama! appeared first on CONTI outra.